Uma página numa rede social

Não sou muito de Facebooks, mas por causa dos posts do nosso João Mendes, tive curiosidade e fui ver.
Grande desilusão. Sempre pensei que seria uma página essencialmente de luta. Isenta e imparcial, com vontade de bater tanto naqueles que nos governaram como naqueles que nos governam.
Afinal, não é o caso.
A vontade de bater no Governo de Direita que está actualmente no poder parece que não é muita. Porque é disso que se trata: um Governo de Direita que está a praticar uma política de Direita e que, existindo uma alternativa muito pior, está a ser apoiado por uma Esquerda verdadeira mas que está a engolir muitos sapos diariamente. Se este Governo fosse de Esquerda e estivesse a governar à Esquerda, não seria, obviamente, elogiado pelo Ministro das Finanças da Alemanha.
Legitimidade total, obviamente, para Uma página numa rede social. Cada um é livre de escolher a sua linha editorial e o grau de coerência dessa escolha.

Garcia Pereira e o PCTP/MRPP

A reacção de Garcia Pereira à sua saída do PCTP/MRPP depois das declarações e actos por parte daquele que ele considerava como “um verdadeiro Amigo e até como um Pai”.

“Dezoito meses e milhentas calúnias depois de me ter visto forçado a apresentar a demissão do Partido onde militei durante mais de 40 anos, entendi ter chegado o momento de quebrar o silêncio que, desde então, impusera a mim próprio.” (António Garcia Pereira)

O meu silêncio

CDS-PP: não se passa nada.

 

Submarinos, Paulo Portas, Escom, contrapartidas, Jacinto Leite Capelo Rego e BES. Não se passa nada.

Portucale, Telmo Correia, Herdade da Comporta, despacho de última hora, abate de sobreiros, Abel Pinheiro e BES. Não se passa nada.

Casino de Lisboa, Telmo Correia, Estoril-Sol, despacho de última hora, Abel Pinheiro, Paulo Portas e uma tal de “coisa”. Não se passa nada.

Helicópteros, Paulo Portas, 60 mil cópias de documentos, contrato tóxico e BES. Não se passa nada.

Apesar da presença assídua de Telmo Correia, Abel Pinheiro e dos famosos despachos de última hora, dois nomes sobressaem entre os restantes: Paulo Portas e BES. E era isto que vos vinha cá dizer. Não admira que este vídeo incomode tanta gente no Largo do Caldas. E na Comporta. Mas não se passa nada.

via Uma Página Numa Rede Social

 

Parolos pos-modernaços

Exposição de carros no Museu dos Coches! Prafrentex, man ! Bué radical etc e tal. Para sensibilizar a malta, afirmam.
O que se segue? Exposição de molduras digitais – em 4k! – no Museu de Arte Antiga? E que tal uma mostra de cozinha gourmet no Museu de Arte Moderna? Ou talvez uma versão de disc-jockey da Traviata no S. Carlos. Não faltam possibilidades. Até que alguém vos pare, parolos pos-modernaços.

Social media’s Black Mirror

Caso prefira uma série de ficção, sugiro esta.