Uma Volta ao Mundo em 197 livros

Há uns tempos dei com um artigo sobre uma rapariga paquistanesa de 13 anos que começou um projecto online com o objectivo de ler um autor de cada país do mundo. Isto é mais difícil do que parece dado o número de países que existem e o facto de muitas vezes não termos sequer traduções das línguas originais.

De qualquer maneira pareceu-me uma ideia extraordinária e resolvi por isso roubá-la e aplicá-la aqui no Aventar. Por razões várias, não consigo agora estar a ler todos os livros que irei publicar. Vou ter de me contentar com uma lista e um pequeno resumo.

Comecemos então pelo A:

  Afeganistão

Mil Sóis resplandecentes, Khaled Housseni. Editorial Presença.
A história de duas mulheres afegãs que são forçadas a casar com o mesmo homem. Tem como pano de fundo a chegada dos taliban ao poder no Afeganistão.

 

África do Sul

 

A Arma da Casa, Nadine Gordimer, Texto Editora.

Um drama familiar que segue o crime do filho de um casal branco de classe média na África do Sul pós aparthaid.

Albânia

 

 

Um jantar a mais, Ismail Kadaré. Quetzal.

A história de um médico albanês durante a invasão da Alemanha Nazi e o regime comunista.

 

Alemanha

Berlim Alexander-Platz, Alfred Doblin. Dom Quixote.

Acompanha Franz Biberkopf no submundo do crime berlinense nas décadas de 1920 e de 1930.

Argélia

 

 

The Bridges of Constantine, Ahlem Mosteghanemi.

A história de um pintor argelino que se auto-exila em França desgostoso com a corrupção que se instalou no regime da Argélia após a independência.

 

Andorra

 

 

El Anillo de Átila, Albert Salvadó. Edição em Português pela Terramar.

Romance histórico sobre o rei dos Hunos.

 

 

Comments

  1. Ricardo says:

    Ora aqui está uma boa ideia..no entanto,uma pergunta: os livros anteriores não contam: ou seja já li um, por exemplo, do Coetzee…já elimino África do Sul ?

    • Daniela Major says:

      É uma boa questão. A vantagem de se ter 13 anos é que provavelmente ainda não se leu Coetzee 😀 Eu por mim eliminava, parece-me que o objectivo da miúda é conhecer um pouco da literatura de todos os países do mundo independentemente de quando se começa.


  2. Excelente ideia; ainda bem que a seguiu

Trackbacks

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.