O que diz uma criança sobre o número de alunos por turma!


A reportagem sobre o Dia Universal dos Direitos da Criança, no Público de hoje, lê-se com agrado, também (ou especialmente) quando os adultos, professores incluídos, são criticados.

De qualquer modo, cá por coisas, vale a pena ler e reler a opinião de um aluno do Primeiro Ciclo (Escola Primária) acerca do número de alunos por turma:

Há professores nas escolas que têm muitos alunos e não conseguem tomar bem conta de todos. Então podia-se dar um máximo de alunos a cada sala, 18 ou 20, para ser mais fácil. A minha professora tem 23 alunos. Assim não consegue dar tantas matérias. Perde muito tempo a atender a todos. A sala do lado tem 18 [alunos] e já estão um pouco mais avançados do que nós. Às vezes conseguimos acompanhá-los, mas estamos sempre um bocadinho mais atrás.

Imagine-se o atrevimento! O atrevimento, claro, de todos os “especialistas” que desvalorizam a questão do número de alunos por turma! Ainda há dias, com a leviandade dos ignorantes e com a raiva dos patrões que odeiam salários e outros privilégios, Rodrigo Moita de Deus julgava explicar que em Portugal há um professor para cada onze alunos, como se essas contas dissessem alguma coisa sobre o número de alunos por turma. De qualquer modo, para Rodrigo tudo estará bem, desde que se roube tempo e salários aos professores, porque é assim que o mundo deve ser, mesmo que isso possa ser lesivo também dos direitos da criança.

Comments

  1. JgMenos says:

    11 alunos por professor não quer dizer nada:
    – uns estão a relatar,
    – outros a administrar
    – há ainda os que estão a meditar a eterna reforma do ensino
    – outros, a salário inteiro, esperam que lhes deem trabalho.
    – outros estão no sindicato
    – outros no artº qualquer coisa
    – outros doentes
    – outros ausentes
    – …

    • António Fernando Nabais says:

      É isso, menos! Vê-se que é doutorado nisto!

    • ZE LOPES says:

      V. Exa tem mais um problema. Talvez tenha cura, mas tem de procurar ajuda: é a chamada inutilofilia: uma parafilia bastante perigosa que leva a que tipos que não fazem nada por aí além achem que todos os outros são inúteis!

      Já tivemos até um Primeiro-ministro, mais tarde Presidente que sofreu desta doença. Só um retiro na Coelha, nos últimos tempos, tem atenuado a coisa. Mas recentemente, algures no Alentejo, foi notório que teve uma recaída.

      Como é que se cura? Há tratamento, mas é violento: era colocar V. Exa. em frente a uma turma dos Cursos Vocacionais inventados por Crato (que, segundo me disseram, está também a ser submetido a tratamento mas, como é VIP, tem direito a que seja em Beverly Hills). Se resistisse mais de dois minutos estaria curado.

      Eu só lhe tenho dado bons conselhos. É uma frustração para mim o desprezo a que me vota. Qualquer dia até vou lá a Crackavelos para termos uma conversita.

  2. tekapa23 says:

    Já não há professores como dantes. O resto são cantigas…
    O jgMenos tem toda a razão !

  3. 11 alunos por professor é uma estatística tão válida quanto aquela que toda a gente conhece – a do frango: se eu comi um frango e tu não comeste nenhum, em média, comemos meio frango cada um. É que, se há turmas (p. ex., no Secundário) com poucos alunos, porque dada disciplina não acolheu mais inscrições (ignoro o que a legislação actual determina a tal respeito), ou porque tem alunos com necessidades educativas especiais, ou até com deficiências particularmente limitativas (invisuais, p. ex.), outras há que vão além do razoável, num tempo que não se compadece com uma pedagogia directiva e expositiva e em que se impõe uma relação de atenta proximidade do professor ao aluno. Alguns comentaristas parecem viver ainda com uma memória de todo inconsistente com a realidade dos nossos dias. Ou, então, dá-lhes jeito dizer mal. A alguns dá imenso jeito dizer mal de quem com legitimidade reivindica. Quando se trata de professores, se calhar, ainda mais jeito dá a uns quantos que não cresceram o suficiente para reconhecer que uma negazita ou um chumbo até foram merecidos.

  4. José Feliciano Cunha de Sotto Mayor says:

    óbvio que há demasiados alunos por turma. só os imbecis liberalóides não o entendem. até porque nos colégios muito caros onde metem os filhos isso não acontece.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s