O diabo subiu à Terra sob a forma de juros da dívida


Fizemos orelhas moucas aos profetas que nos tentaram alertar. 365 dias de pragas sancionatórias depois, o tal resgate deve estar mesmo aí à porta e não haverá nada que nos livre do triste e inevitável destino dos nos transformarmos na Venezuela europeia. Corram, corram para os supermercados!

In other news: na passada semana, a República Luso-Soviética da Geringonça emitiu 1100 milhões de euros em bilhetes do Tesouro Português a 12 meses, a uma taxa de juro de -0,349%, e 400 milhões a 6 meses, à taxa de -0,400%. Em teoria, X investidores pagaram para nos emprestar dinheiro. Em teoria, que aquilo que se passa nos mercados é crime organizado, e o criminoso, em particular aquele que prima pela organização, nunca fica a perder. 

Mas se operações a 6 e a 12 meses nos deixam de pé atrás, pela curta maturidade e pelo elevado grau de previsibilidade que permite ao investidor saber (mais ou menos) o que está a fazer, apesar dos alertas dos profetas, que dizer sobre aquilo que aconteceu há duas semanas? Não é que governo estalinista emitiu 1250 milhões de euros de dívida a 10 anos, com uma procura 1,57 vezes superior à oferta, e pagou a taxa de juro mais baixa de sempre?

É certo que este desfecho não é alheio às decisões tomadas pelos banqueiros centrais do superestado europeu, mas, por esta altura, era expectável que as profecias apocalípticas, feitas ao longo destes dois anos de geringoncice, já se tivessem materializado. Querem ver que os gajos nos estavam a tentar enganar? Quem diria?

Em todo o caso, fiquem atentos e não se esqueçam de ter medo. O drama, a tragédia e o horror seguem dentro de momentos.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    ” Não sei qual a razão para o João estar a elogiar esse feito estilinista.
    Pois eu garanto-lhe que com Passos Coelho e Cristas a governar, o país já estaria no mínimo, com taxas de juro iguais às pagas pela Alemanha, o país teria liquidado um terço da dívida soberana, as exportações superavam em dois dígitos as importações, a taxa de desemprego era residual, já estava a chover desde o final do Verão, com forte precipitação Outonal, a sardinha continuaria a abundar na nossa costa, a produção de vinho, azeite e mel teriam batido recordes, a Legionela continuaria proibida pelo Leitão Amaro, o pirilau do Bruno Maçães tinha crescido tanto que lhe tinha partido os óculos, o Panteão já estava farto de dar lucros em jantares e concertos sem que alguém soubesse disso, e os portugueses continuariam felizes com Marcelo a apresentar o livro de Paula Bobone, Domesticália.”

  2. JgMenos says:

    Continuem ótimistas por nada e depois venham carpir os horrores dos mercados armados em virgens violadas.

    • Rui Naldinho says:

      Ninguém está optimista por nada, deste lado. Não soubéssemos nós que quando tocar a fodidos, a factura vem sempre para os mesmos do costume. Mas dá-me um certo gozo ver-te preocupado com o país.
      Não deve ser o mesmo onde vivo, de certeza!

  3. Quem é que anda a comprar (perdendo dinheiro) a nossa dívida?

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s