Já puseste o caciquismo a lavar, Rui?

RRSM

Fotografia: Fernando Veludo/Lusa

O congresso do PSD correu dentro do esperado, talvez com a excepção do discurso final de Rui Rio, exótico a ponto de não se resumir a chavões e lavagem de roupa suja, desonrando assim uma longa tradição dos congressos do partido que já foi social-democrata. Valeu a faca longa do rebelde Luís Montenegro, assim como a calorosa recepção de Elina Fraga, após ser anunciada como nova vice-presidente do PSD. Os passistas ficaram radiantes!

Agora que o conclave laranja chegou ao fim, o país está preparado para o banho de ética que Rui Rio lhe prometeu. E como o novo líder do PSD não tem lugar no Parlamento, onde não falta quem não se lave há vários anos, porque não começar por limpar a casa por dentro? Porque não começar, por exemplo, pela eterna questão do caciquismo, que tanto destaque e preponderência teve nas recentes directas do PSD?

Das cotas pagas em massa à boca das urnas até às redes de transportes urbanos ocasionais Casa do Militante-Sede do Partido-Casa do Militante, passando por situações dramáticas como a daqueles 17 militantes do PSD Ovar que partilhavam uma pequena casa, ou a daqueles 8 que não só partilhavam a mesma casa como a própria casa desapareceu sem deixar rasto, o fenómeno do caciquismo não parece lá muito alinhado com o propalado conceito de “banho de ética”. Rui Rio vai precisar de esfregar bem!

Por falar em Ovar, ocorre-me o nome de Salvador Malheiro, que para além presidir à autarquia local foi director nacional de campanha de Rui Rio, e é, desde este fim-de-semana, um dos vice-presidentes do PSD. E Salvador Malheiro poderá ser um importante aliado de Rio na concretização desse objectivo hercúleo que é dar um banho de ética ao país. Como dirigente do PSD de Ovar, estará muito provavelmente familiarizado com as práticas mais comuns do caciquismo, o que poderá garantir o necessário know-how para combater e aniquilar o problema.

Assim que terminar de dar banho ao caciquismo, abundantemente, com muita ética e vários quilos daquele sabão que as nossas avós usavam, Rui Rio poderá pegar no seu tanque e tentar perceber o que se passou com a sua vice-presidente nos anos em que liderou a Ordem dos Advogados. A julgar pelas manchetes de hoje, alguém andou a viver acima das possibilidades da organização que comandava e uns quantos seus amigos encheram bem a barriguinha. Já agora, se o banho de ética é mesmo para acontecer, aparecer no congresso lado a lado com José Luís Arnaut foi uma jogada de mestre. Sehr gut, herr Rio, sehr gut!

Comments

  1. Fernando says:

    Terá sido o PSD alguma vez um partido social democrata?

    É que estamos a falar de um partido que teve como líder um colaborador da PIDE…

    • Bento Caeiro says:

      Fernando, teve laivos e ainda tem em partes do seu conteúdo doutrinário e de alguns daqueles que por lá param. Contudo, para aquilo que interessa – o seu posicionamento no todo nacional e, mesmo, internacional – não é um partido social-democrata. Estará, porventura, o PS mais próximo disso.
      Quanto aos colaboradores da PIDE/DGS, teve-os também o PCP e não se pense que seriam apenas os infiltrados com essa intenção.

  2. ZE LOPES says:

    O efeito do banho já se faz sentir. Pelo menos apareceram quase 40% dos votos bastante limpos!

    • ZE LOPES says:

      E na eleição do chefe do grupo parlamentar foi uma limpeza. Ai o que não faz um bom banhinho!

  3. antero seguro says:

    A jogada de Rio foi assertiva aos escolher Elina Fraga e um tal Malheiro. Já repararam que está tudo focado em Elina, enquanto Malheiro, um verdadeiro ilusionista que tirou eleitores de Rio do chapéu e os fazia conduzir duma forma amestrada aos locais de voto, transformando a eleição de Rio numa verdadeira paródia eleitoral, digna dos piores tempos do salazarismo mas da qual ninguém fala. Este sim, um verdadeiro artista e salvador de Rio.

  4. Luís Lavoura says:

    O que se diz da Ordem dos Advogados é uma trivialidade.
    (1) Que contratou serviços jurídicos a “apenas” cinco escritórios de advogados diferentes. Ora bem, contratar serviços a cinco empresas diferentes é ótimo, o governo deste país só contrata a duas ou três! Se a Ordem dos Advogados contratou cinco escritórios de advigados diferentes, então devia receber um prémio pela diversidade nas contratações.
    (2) Que excedeu os gastos orçamentados para o ano em algumas rúbricas. Isso é coisa que qualquer condomínio faz. Há sempre gastos inesperados e que excedem o orçamentado. Há sempre despesas urgentes, inadiáveis e inesperadas.

  5. A.Silva says:

    Tão bonito ver o João Mendes com tanta esperança na redenção do PSD, agora que lá tem o Rui Rio, é comovedor.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.