Quando convidam a bactéria para falar sobre a doença

As questões judiciais relativas a José Sócrates serão resolvidas pelos tribunais. Os actos reprováveis que possa ter cometido ficam com a sua consciência. O Núcleo de Estudantes da  Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra é livre de convidar quem muito bem entender e, apesar de tudo, faz mais sentido que um antigo primeiro-ministro dê uma palestra do que partir do princípio de que o desempenho desse mesmo cargo habilita qualquer um a ser professor.

Por mim, já ouvi José Sócrates vezes suficientes para saber que é desonesto, indefensável e que tem uma voz desagradável, mas sobretudo que faz parte de um conjunto de políticos europeus que, subordinados a interesses privados, têm contribuído para a ruína de uma Europa que deveria perseguir políticas sociais e económicas amigas dos cidadãos. Convidar José Sócrates para falar sobre o projecto europeu é, portanto, o mesmo que dar a palavra a um dos agentes das doenças que andam a corroer esse mesmo projecto há anos, o que, no fundo, faz sentido: quem não gostaria de ouvir o que o bacilo de Koch teria a dizer sobre a tuberculose?

De qualquer modo, reconheça-se coerência ao Núcleo de Estudantes da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra ao dar voz a quem defende ou pratica ideias que atentam contra o projecto europeu: Sócrates é o quinto orador neste ciclo de conferências, depois de Passos Coelho, Teodora Cardoso, Marques Mendes e Jorge Coelho.

Comments


  1. Subscrevo.

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Excelente post.
    Mas que ramalhete de oradores.
    Ficamos a saber que a Universidade de Coimbra é useira e vezeira neste tipo de lavagens ao cérebro.
    Os estudantes de Coimbra ficarão, com toda a certeza, com um grau de “iliteracia cerebral” muito mais acentuado, mas podem
    por no CV que assistiram a estas conferências.
    Percebeste Feliciano Barreiras Duarte?

  3. Rui Naldinho says:

    Nunca percebi muito bem as razões substantivas para estes convites, que não o dar visibilidade ao evento, mesmo que ele fique envolto em polémica. Isto serve para este senhor, Sócrates, e todos aqueles que o antecederam, em circunstâncias similares. Foram banidos pela opinião pública.
    A sensação com que fico, é que os promotores destas conferências, tal como aconteceu no ano passado com Jaime Nogueira Pinto, no ISCSP, ávidos de um certo mediatismo académico, e mais interessados no alarido das massas, do que numa dissertação fundamentada e documentada sobre as origens da crise, causas remotas e próximas, ou como sair dela sem sermos “entroikados”, a Europa, a globalização, blá blá blá, querem é assistir a um ajuste de contas com a História reescrita à feição de cada um. A chamada narrativa.
    De certa forma isto faz jus áqueles que consideram a economia uma não ciência.

    • Rui Naldinho says:

      Esqueci-me de um “por maior”. Assino por baixo tudo o que António F. Nabais escreve.


  4. O problema é que há bactérias que são fundamentais para manter o equilíbrio do sistema!

    O Sócrates têm de aprender com o mané avec… Detido pela bófia para interrogatório… mas vai dormir a casa no intervalo do circum quaestiones!

    • ZE LOPES says:

      Deixe-me adivinhar! Huuum! “mané avec”…detido pela bófia…mas vai dormir a casa no intervalo do “circum quaestiones”…Já sei! É o Tino de Rans!

      • Rui Naldinho says:

        “ Boa. Não sabia que a esposa do Tino cantava umas baladas. E acima de tudo tinha aquele olhar matador, que nos deixa a pensar se vale a pena comprar uns sapatos masculinos de salto alto.”

        • ZE LOPES says:

          Canta sim! Não me diga que nunca ouviu essas obra-primas que são “Mon Amour Paveur” e “Tino des Grenouilles”, do álbum “Ballades au Président de la Junte”.

          Mas foi difícil de adivinhar a personagem porque as charadas do voza0db provêm de uma mente superior a tudo. Os posts de tal sumidade só podem ser compreendidos por gente que tenha conhecimentos de história, filosofia, estatística, astronomia, fisica quântica, costura, culinária, línguas vivas, mortas e moribundas, tudo misturado.

  5. Sugestão de Errata says:

    Onde se lê “a bactéria”, leia-se “as bactérias”.

  6. omaudafita says:

    Sabem qual é a diferença ente o Sócrates e o Passos? É que um criou o Novas Oportunidades, e o outro o Novos Oportunistas!


  7. ….Post excelentemente escolhido e analisado, comentários cuja leitura nos deixa bem sentados a curtir neste “circum quaestiones”…de voza0db com a bem humorada companhia do Zé Lopes e a de todos vós.

    aquelabraço, companheiros !

  8. antonio Lourenço Antunes says:

    Isto escrito por alguem que trabalhou num coletivo para eleger passos e acabar com o socras…lol.tem graca

  9. antero seguro says:

    Claro que, depois daquele naipe de 4 idiotas que o precederam, o quinto “entertainer” só podia mesmo ser, Sócrates. A rapaziada coimbrã teve mesmo olho.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.