Um Estado falhado chamado Brasil

B.jpg

O Brasil está cada vez mais violento. Depois do brutal assassinato de Marielle Franco, ontem foi a vez do vereador suplente Paulo Teixeira, também do Rio de Janeiro, ser baleado por gangsters que levam a cabo execuções com uma impunidade que choca e revolta. Gangsters que podem ser simples criminosos ou polícias criminosos ao serviço de padrinhos da máfia, de grandes traficantes de droga ou da elite fascista que controla o dinheiro e as Globos desta vida.

O Brasil caminha a passos largos para se transformar num Estado falhado. Violência e criminalidade terceiro-mundistas, corrupção em níveis estratosféricos, levada a cabo por uma elite política e empresarial que já nem se dá ao trabalho de esconder os seus crimes, uma sequência de governos igualmente corruptos, incapazes de manter a ordem na maior parte do território, parcialmente controlado por traficantes e outros criminosos, que controlam também uma boa parte da elite política e se confundem com a empresarial, e uma série de seitas fanáticas e retrógradas como a IURD, que controlam políticos e lugares-chave da governação, com uma agenda de nova ordem social centrada na interpretação da Bíblia dos gangsters que a lideram. Se tudo lhes correr de feição, chegará o dia em que a sharia destes lunáticos substituirá a lei fundamental do Brasil.

Como se tudo isto não fosse suficiente, o país é hoje governado por Michel Temer, outrora aliado do PT e de Dilma Rousseff, um corrupto consagrado que tresanda a fascismo bolorento e que decidiu colocar o exército nas ruas, quiçá já a preparar os brasileiros para o que aí virá. O Brasil das telenovelas está em vias de extinção, sobrevivendo apenas nos condomínios fechados da pequena elite que controla praticamente todos os recursos do país, e o futuro não augura nada de bom. Não há-de faltar muito tempo até que nem as belas praias e paisagens daquele país deixem de atrair turistas estrangeiros. Ninguém quer ir de férias e voltar estendido num caixão.

Comments

  1. Lu Pisarro says:

    O Rio está mal. Mas o Brasil é muito maior que o Rio.
    Chefes de governo corruptos e ladrões que levaram o lindo Rio de Janeiro a isto estão não prisão faz tempo.
    Nós brasileiros não ignoramos o estado lamentável que se encontra o Rio.
    Tanto é que a imensa maioria apóia a intervenção militar no Rio de Janeiro.
    Mas o Brasil não é Portugal!
    Somos grandes!
    Somos muito mais que o Rio!
    O Brasil está sendo passado a limpo com a Lava Jato.
    13 anos no poder de um partido corrupto, safado e ladrão trouxe sequelas que irão demorar muito para serem sanados.
    Seu presidente (PT) e ladrão mor (Lula) está inelegível e prestes a ser preso, pois foi condenado a 12 anos de regime fechado.
    Sou brasileira (filha de papai português) com muito orgulho!
    Morei por mais de 3 anos no lindo Algarve e amo a terra do meu pai.
    O Rio vai sair desta. O nosso lindo e amado Brasil é maior que tudo isto.

    • João Mendes says:

      Parabéns, Lu Pisarro: substituiram um corrupto por outro (Temer, ex-aliado do PT e da presidente Dilma), têm um país parcialmente controlado pelos jihadistas evangélicos e ainda podem contar com fascistas alucinados como o Bolsonaro, que daria um excelente ditador. Não, o problema não é só no Rio, ainda que o Rio possa ser o maior dos problemas. O problema começa em Brasília mas estende-se a todo o país. Aliás, o Rio nem é o estado mais violento do Brasil. Nem no top 5 aparece!

      • Fernando Antunes says:

        Um pequeno reparo à frase “substituíram um corrupto por outro”: Lula não era o Presidente do Brasil. Se muitas objeções podem ser feitas em desfavor de Dilma, há um facto que nem os seus caluniadores têm como contrariar: Dilma não era corrupta. Talvez incompetente em muitos aspectos, e péssima oradora, mas o seu processo de impeachment é continuará sempre como um dos episódios mais vergonhosos e lamentáveis da história recente.

        Já sobre Temer pendem denúncias (em grande número, aliás) de corrupção, de obstrução da Justiça e de organização criminosa. O Brasil está nas mãos de organizações criminosas, ponto. Os nossos Isaltinos cá do burgo são a Madre Teresa de Calcutá ao lado da escumalha cancerígena (PMDB, PSDB, Evangélicos, Globo, etc) que está a matar, não só as “Marielles”, mas o Brasil inteiro.

      • Lu Pisarro says:

        Quantas asneiras ditas aqui… João
        Morei 3 anos e meio em Portugal (no lindo Algarve e na charmosa Setúbal) mas prefiro mil vezes morar no Brasil.
        Sua gente é que faz toda a diferença!
        Falar sem ter morado no local por um bom tempo dá nisto…

    • Rui Naldinho says:

      Lu Písarro

      Gostei prá caramba, da sua oração. Em especial do refrão:
      “O Rio vai sair desta. O nosso lindo e amado Brasil é maior que tudo isto.”

      Já o meu tetra avô dizia por carta aos familiares que cá tinham ficado, a seguir à grande recessão de 1927, que o “Brasil ia sair desta”.
      Mas não saiu. Entretanto, já passaram quase 90 anos desde esse dia, e a corrupção no “Brasil continua linda”. Um verdadeiro samba.
      Em meados dos anos 70, estava eu em África, era um puto de 15 anos, e o meu pai com alguns sul africanos brancos, ligados às indústrias das madeiras exóticas, ainda com aquele espírito colonial do antigo regime, foram fazer uma visita ao seu belo país, o Brasil. Sim, disseram eles: “O Brasil é belo e alegre, mas pouco mais”.
      Mas, e daí? Que estatuto social é esse?
      Nessa viagem, depois de duas semanas em visita a várias cidades e indústrias, em especial na zona de São Paulo, uma das conclusões a que chegaram, foi precisamente:
      “O Brasil tem enormes desigualdades sociais. Vê-se nas ruas. Nas principais artérias”.
      Mas pior ainda, foi quando eles me disseram:
      “No Brasil não existe classe média. Há ricos e pobres.”
      Continue rezando. Vai ver um dia, a coisa muda.
      Nós é que somos capazes de já cá não andar!

    • ZE LOPES says:

      Sim, o Brasil é muito maior que o Rio! Para começar, há também…São Paulo!

    • Almerindo says:

      Dona Lu, sou neto de um emigrante no Brasil. Foi pedreiro em Santos e em São Paulo e durante algum tempo correu o norte brasileiro como vendedor. Portanto, eu sei alguma coisa do que ele me contava e ficou-me sempre a imagem de crianças com fome, de barriga inchada e da miséria geral, de um lado, e da riqueza ostentatória de outro lado. Eu estou a falar de fome mesmo e de um índice enorme de mortalidade infantil e de baixa esperança de vida. Era o tempo da “gente séria”, incorrupta, no comando do país, como muitos dizem aí no Brasil, porque toda a gente sabe que a corrupção só nasceu há 13 anos no Brasil… Não tem nada a ver, como se sabe, com o facto de apenas agora a justiça brasileira investigar e punir a corrupção… Não, é mesmo porque a corrupção não existia, né, querida? É a mesma gente que diz que o bolsa-família, por exemplo, só faz preguiçosos. Só tem duas hipóteses: ou a Dona Lu é ignorante da história do seu país, ou está a fazer propaganda. Olhe, o meu avô veio de lá fascinado, por um lado, com a dimensão das grandes cidades brasileiras e com a variedade de gentes e, por outro, horrorizado com a miséria, a mesma de que fugiu de cá. O meu avô era nortenho, do Alto Minho. Se ele aqui ainda estivesse, dizia-lhe uma ou duas coisas, naquela forma pouco simpática de falar que ele tinha ;)…

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Não quereria fazer comparações com outros países, mas ponho a questão que sempre pus, inclusivamente quando discuto a situação portuguesa.
    E os eleitores? Podemos dizer que o Brasil é corrupto e violento, mas tem eleições consideradas livres ou pelo menos, num ambiente onde cada um pode colocar uma cruz onde muito bem entende no boletim de voto.
    Quem colocou Lula no poder? E quem colocou Temer?
    Tal como aqui em Portugal: quem colocou Cavaco no poder e lhe deu quatro (QUATRO) maiorias absolutas?
    E quem queria , após quatro anos de “esmiframento” absoluto do povo, que o mesmo Passos continuasse com uma maioria?
    Não. O problema é outro. O problema são, para mim, os eleitores a que eu chamo “amibas” que se “adaptam ao meio”, saltando impunemente da frigideira para o frigorífico e deste para a frigideira. São os amantes de um bloco onde cada qual se comporta como uma Maria … que vai com as outras.

    Os políticos são o que queremos que eles sejam. Se votamos en corruptos, teremos políticos corruptos. Se duvidamos dos políticos e não vemos solução política para os nossos anseios, votemos NULO, uma possibilidade consignada em actos eleitorais. Os políticos não merecem a mínima confiança.
    Temos que desmascarar esta classe de corruptos e de personagens que se julgam acima da lei, mas não será a votar neles que deles nos libertaremos.
    Eles não ligam aos votos nulos e brancos (voto branco é perigoso, com tantos bandidos que por aí andam). Mas quando os votos nulos forem mais de 50 ou 60%, não tenho dúvidas que porão perguntas ou pelo menos, a sua desfaçatez não lhes permitirá ir à mesma velocidade que hoje vão, atropelando tudo, todos e até a Lei.
    Pare-se de culpar os políticos que sabemos serem maus, por definição e fundamentalmente, por estarem numa fila de interesses à espera de serem chamados.
    Comecemos a olhar para o eleitor AMIBA, aquele que toma a forma que lhe “adaptar-se ao meio” e sair em manifestações hipócritas.

    NOTA: Respeito o homem de direita e que vota conscientemente nas ideias que defende. Detesto, para ser meigo, essas amibas miseráveis e os indecisos que são as grandes causas para a destruição da democracia, a par dos políticos corruptos.
    Entre estes dois, venha o diabo e escolha…

  3. Brancoepreto says:

    Tanta treta pra dizer que a direita é que trabalha bem….
    E mais não digo.

  4. Rui Borges says:

    O Brasil caminha a passos largos novamente para uma ditadura militar
    Depois do golpe Dilma vem o golpe lula, onde um inquisitor inocenta corridos para tentar prender Lula sem uma única prova cabal
    Temer governa sobre um golpe dantesco onde está mais sujo que pau de galinheiro
    Os fascistas preconceituosos espreitam
    Resumindo
    O Brasil está numa encruzilhada
    Os nacionalistas de Washington que odeiam pobres homossexuais negros e os que se opõem ao entreguismo dos recursos naturais e das riquezas


  5. FOSSA BRASILIS é o que existe hoje em dia… Tanto faz a zona da FOSSA, Rio, São Paulo, Brasília, Fortaleza. Degenerou para lá do BINGO!

    • ZE LOPES says:

      Pois! Até há um género musical muito popular no Brasil e não só, que é produto destes tempos: a “FOSSA NOVA”! “Olha, que fossa mai’linda mai cheia de graxa…”

  6. Jorge Vieira Mastrani says:

    Lu, sou angolano naturalizado brasileiro e concordo totalmente com o que disse, só não falou que o pior de tudo, não só no Rio mas no Brasil inteiro,
    são os falsos defensores dos direitos humanos, que ajudam imenso a proliferar essa violência. Esses partidos, tipo REDE e PSOL, como não conseguem
    votos, vão para a porta das cadeias defender essa bandidagem, que devido a tanta impunidade, não pára de crescer. Se culpa a policia, não vou dizer que
    só tenha santos, mas me parece que quem ganha a miséria que a policia ganha e tem sua família em casa, á mercê desses bandidos, muito pouco pode
    fazer, mais, se compararmos o poder de fogo da bandidagem com o da polícia, então é que a coisa complica ainda mais. Hoje se matam policiais como se
    matam moscas e nada acontece, se matarem um delinquente, meu Deus, tadinho do moço que era um bom rapaz e excelente trabalhador, só não dizem
    onde e ao serviço de quem. Morre alguém de bala perdida, culpa da policia, o governo coloca o exercito nas ruas do Rio para proteger a população, mas
    sem poder entrar em confronto com os bandidos, a não ser que sejam alvejados, onde já se viu um negócio desses??? E para os espertos que criticam
    nossa corrupção brutal e absurda, não esqueçam que foram os portugueses que a trouxeram faz muito tempo !!!

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Pensei que o brasileiro era suficientemente inteligente para ficarem com algo de bom que os portugueses levaram e lançassem fora o que lhes não interessa.
      Afinal, enganei-me.
      O seu comentário final é característico de um racista que manda a pedra do outro lado do Atlântico.
      Caro senhor: não se lava o vosso estado social acusando outros do modo soez como o faz. Os Portugueses poderão ter muitas culpas no cartório, mas são os brasileiros que terão que procurar em interno onde a irresponsabilidade e moleza – que é inteiramente vossa – vos conduziu.
      Esse seu comentário trata o povo brasileiro mal – incapacidade para se livrarem de um mal português. Mas eu quero crer que há os brasileiros, pessoas com quem trabalho e muito respeito – e os Mastranis…

    • ZE LOPES says:

      Com tanto pastor envangelista por metro quadrado, já para não falar do rácio de pregadores por habitante, a invocar Deus por tudo e por nada e a esconjurar o diabo a cada 10 segundos, não sei como pode justificar-se a existência de tanto relzinho…

    • Lu Pisarro says:

      Jorge… Tens toda razão no teu comentario.
      Não ligue para os comentários desta turma de esquerda, que pouco importa para nós.
      Como já disse… O Brasil é grande e vai passar por tudo isto.
      Apesar de muitas coisas erradas e principalmente depois de sermos “saqueados” pelo desgoverno do PT em breve o Brasil vai voltar a ser o que era.
      Um país pujante e próspero.
      Sou a favor da polícia e fico indignada com este dito “Direitos Humanos” que no Brasil só defende os bandidos.
      Para a família de inocentes que são mortos por estes bandidos (principalmente “de menor”) eles nem um telefonema dão.
      Quantas vezes o “senhor papa” ligou (telefonou) para a família de jovens e adultos mortos por estes defendidos pelos ditos “direitos humanos?
      Nenhuma vez…
      Este papa não é de hoje é simpatizante da esquerda😝
      Um abraço, Lucinha Pisarro

      • João Mendes says:

        É mandar os bolsonaros dar um tiro nesse esquerdalho do papa, ó Lu! Ou então mandem os vossos Gladiadores do Altar ou outros jihadistas que vocês por aí têm com fartura para fazer o serviço porco. Pobre Brasil, entalado entre corruptos, fascistas violentos, traficantes de droga e idiotas úteis.

      • Almerindo says:

        Dona Lu, vou colocar aqui um comentário que coloquei em cima.
        Sou neto de um emigrante no Brasil. Foi pedreiro em Santos e em São Paulo e durante algum tempo correu o norte brasileiro como vendedor. Portanto, eu sei alguma coisa do que ele me contava e ficou-me sempre a imagem de crianças com fome, de barriga inchada e da miséria geral, de um lado, e da riqueza ostentatória de outro lado. Eu estou a falar de fome mesmo e de um índice enorme de mortalidade infantil e de baixa esperança de vida. Era o tempo da “gente séria”, incorrupta, no comando do país, como muitos dizem aí no Brasil, porque toda a gente sabe que a corrupção só nasceu há 13 anos no Brasil… Não tem nada a ver, como se sabe, com o facto de apenas agora a justiça brasileira investigar e punir a corrupção… Não, é mesmo porque a corrupção não existia, né, querida? É a mesma gente que diz que o bolsa-família, por exemplo, só faz preguiçosos. Só tem duas hipóteses: ou a Dona Lu é ignorante da história do seu país, ou está a fazer propaganda. Olhe, o meu avô veio de lá fascinado, por um lado, com a dimensão das grandes cidades brasileiras e com a variedade de gentes e, por outro, horrorizado com a miséria, a mesma de que fugiu de cá. O meu avô era nortenho, do Alto Minho. Se ele aqui ainda estivesse, dizia-lhe uma ou duas coisas, naquela forma pouco simpática de falar que ele tinha ;)…

Trackbacks


  1. […] Enquanto escrevo estas linhas, o pedido de habeas corpus do antigo presidente Lula da Silva é votado pelos 11 juízes que constituem o Supremo Tribunal Federal do Brasil. Tudo parece indicar que a matemática final ditará a prisão do metalúrgico que chegou a presidente e que caiu em desgraça por causa de um apartamento que ninguém conseguiu ainda provar ter alguma vez sido sua propriedade. Excentricidades de um estado falhado.   […]

Deixar uma resposta