Mário Machado, Manuel Luís Goucha e outros perigos, como o politicamente correcto

Já aqui se falou dessa grande maleita que é o politicamente correcto, que, ao que tudo indica, está a destruir a sociedade ocidental, e cuja solução, verdadeiramente mágica, passa pela introdução de mecanismos de repressão e censura, operados pela sempre abnegada extrema-direita.

Quem também teme essa tal de ditadura do politicamente correcto é Manuel Luís Goucha, que em tempos não gostou de ser alvo do humor do 5 Para a Meia Noite e processou o programa. É por aqui que começa a valente sova retórica que Daniel Oliveira aplicou naqueles que, ao longo dos últimos dias, procuraram contribuir para a normalização do branqueamento de uma personagem sinistra, que participou em crimes horrendos, e que, independentemente de ter cumprido anos de prisão por esses crimes, continua a representar uma ameaça à sociedade e à democracia portuguesa.

Manuel Luís Goucha, que teme os perigos do politicamente correcto, deu tempo de antena a um pseudo-jornalista, apresentado como repórter, que começou por dar a sua opinião quanto a necessidade do regresso de alguns aspectos do salazarismo, que é exactamente aquilo que se espera de um jornalista, quanto mais de um repórter, e que não achou relevante passar em revista o passado de criminalidade violenta, com contornos grotescos, que caracteriza a já longa carreira de Mário Machado.

Manuel Luís Goucha, que certamente se confrontaria com sérias dificuldades numa sociedade comandada por pessoas como Mário Machado, como o vídeo em baixo bem ilustra, está preocupado com o politicamente correcto. Porque o politicamente correcto é muito perigoso. Já o longo e assustador historial de Mário Machado, que o popular apresentador optou por reduzir ao de um “autor de algumas declarações polémicas”, não parece ser motivo de preocupação. É mesmo muito triste.

P.S: Não, não é mesmo um sketch de humor. E não lhes faltam potenciais recrutas no Facebook.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Infelizmente vamos ter que nos ir habituando a estes programas politicamente estúpidos, e aqui a palavra política tem a ver mais com os conteúdos de cada operador de rádio e televisão, não tanto por Mário Machado ser um fascista confesso, o que não falta neste país são fascistas mais ou menos disfarçados, mas porque ele é de certa forma, o nosso Anders Breivik, de serviço.
    Com o aparecimento das televisões privadas generalistas, e mais recentemente dos canais por cabo, temos assistido a um salve-se quem puder. CMTV e TVI entraram num jogo de competição infernal, onde a estupidez tem sido elevada ao mais alto nível, sempre com a expectativa de terem um share elevado, no programa em causa.
    Se olharmos ao painel de comentadores de ambos os canais, a falar de futebol, constata-se com facilidade, que o importante não é tanto o comentário e a análise o jogo nas quatro linhas, mas acima de tudo a provocação e a chacota, um sintoma da falta de rigor e qualidade. A começar logo pelo Pedro Guerra, o Manuel Serrão e o Pina.
    Habituem-se, que ainda veremos o Goucha à porrada ao Quintino Aires! Quem sabe mesmo, o Manuel Serrão e o Pedro Guerra a lutar Sumo( 相撲 ), cada um com uma tanga a condizer com as cores do seu clube.

    • Julio Rolo Santos says:

      Em democracia todas as opiniões devem ser livres de se expressarem.Coartar-lhes essa liberdade é recuarmos ao tempo da censura do estado novo (salazarista). Censurar não é proteger os mal informados dos perigos que esses sujeitos representam para a democracia, mas sim, mantê-los na ignorância não lhes dando a oportunidade de poderem distinguir o bem do mal. Pessoalmente não votaria num candidato Mário Machado.

      • ZE LOPES says:

        Tá bem, sejamos generosos…”eles” só nos cortaram a liberdade de expressão durante 48 anos. Para respondermos na mesma moeda ainda faltam uns quatro.

        O problema é que aqueles a quem damos a liberdade de expressão não a respeitam em relação aos outros. Nem a liberdade, nem o Direito à Vida, como aconteceu com o Alcino Monteiro.

        Lembremo-nos do que aconteceu com os “Gato Fedorento” quando resolveram fazer humor com um cartaz do PNR. Receberam eles, e, mais grave as famílias todo o tipo de ameaças. Ao Ricardo Araújo Pereira ameaçaram perseguir-lhe as filhas crianças!

  2. ZE LOPES says:

    Em relação ao video: a avaliar pela quantidade de gays que dirigem partidos de extrema-direita na Europa creio que esta faixa está relacionada com preocupações do PNR consigo próprio.


  3. Muito bom post!
    Aguardo sua visita e seus comentários 🙂


  4. Virou moda falar mal do “politicamente correto” como se fazer as coisas de forma errada é que fosse verdadeiramente correto. Tal com a mentira é a nova verdade e a verdade a nova mentira.

    E nos altifalantes continua-se a ouvir:

    “Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão, Ignorância é Força”.

  5. Anonimus says:

    O Goucha tem todo o direito de processar quem ele quiser.

    Aquilo é (é?) entretenimento, o Machado ali vale tanto como o Zé Cabra. Este tempo de antena é o que ele quer.

  6. JgMenos says:

    O politicamente correcto é difícil de combater por ser imune ao que melhor o qualifica – o ridículo.
    Sendo linguajar de ‘progressistas’ estes identificam-se por isso mesmo – não temerem o ridículo.

    Quanto ao MMachado, como desequilibrado que é, só lhe falta ser de esquerda e bater em patrões para ser benevolamente identificado como um indignado antifascista.

    • José Peralta says:

      Ó “menos” !

      “Ao mário machado SÓ lhe falta ser de esquerda” ?

      Uma impossibilidade e uma inverosimilhança, só possíveis de serem defecadas por cérebros doentes como teu e o do fascista mário machado !

      Tal como a direitalha nojenta a que pertences, TU TAMBÉM NÃO TEMES O RIDÍCULO…

    • ZE LOPES says:

      Pois é! Quando os salazarescos não agradam só lhes falta ser de esquerda. Aliás foi só isso que faltou ao próprio Salazar. Como desequilibrado que era. Se tem dado uma sova ao Champalimaud seria um indignado anti-salazarista

    • Paulo Marques says:

      Já queixar-se do juros da dívida quando o emprego é desviar dinheiro para que ela continue a crescer (com uma perninha na propaganda) é o quê?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.