A hipocrisia de Davos e a importância de taxar as grandes fortunas

E agora vou ali arder no fogo do Inferno liberal e já venho.

Comments

  1. JgMenos says:

    Ora aí está!

    Isto de andar a catar as migalhas do rendimento é uma mesquinhez.
    Há que ir à substância, à carne da perna.

    • Fuck you, Baby says:

      “Há que ir à substância, à carne da perna.”

      Isso mesmo, Menos. Aquela em que te especializaste a esconder na parte detrás do frigorífico, envolvida em folhas de couve, para que ninguém descubra que existe!

    • ZE LOPES says:

      Pois, pois. E enquanto se não chegar lá deixa-se apodrecer o Estado!


    • Há é que ir ao interior desse cu com um paraíso fiscal, Menos. Vai adorar!

  2. Paulo Marques says:

    A conclusão do vídeo é que não é sobre impostos, afinal… Ainda bem que pensam nisso, porque não falta literatura de como os impostos não fundam os estados, exceptuando acordos idiotas como Maastricht.
    O problema real é que o dinheiro que não é taxado serve para financiar propaganda mediática e opções políticas que restringem a política a uma teoria económica cheia de buracos que toda a gente começou a perceber que implica empobrecimento e precarização permanente.

    A pergunta ao Sr da Yahoo é óbvia… ó jovem, se isso é pleno emprego, onde está a pressão para os ordenados subirem, como dizem as “leis” do mercado “livre”?


  3. Não é preciso aumentar a taxa de impostos. É preciso acabar com os paraísos fiscais para que todos paguem uma taxa.

Trackbacks


  1. […] via A hipocrisia de Davos e a importância de taxar as grandes fortunas — Aventar […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.