António Barreto e o “sistema”

António Barreto voltou a dar o ar da sua graça na imprensa nacional. Ainda no início de Fevereiro deu uma entrevista à TSF/DN, mas no Sábado passado estava de regresso à capa de um jornal de grande tiragem, desta feita o Sol, que agora se chama Nascer do Sol, excluído, perseguido e censurado como só este eterno barão do bloco central sabe ser.

António Barreto personifica, como poucos, aquilo a que comummente nos referimos que recorremos ao termo “sistema”. Se Olof Palme, sobre quem escrevi há dias, estava sempre do lado certo da luta, António Barreto tende a estar sempre do lado certo do poder, de mãos dadas com ele.

Senão reparem: António Barreto foi comunista durante o declínio do fascismo, quando era moda ser oposição ao Estado Novo, ministro do PS no tempo do soarismo, virou mais tarde à direita, trabalhou no sector público, trabalhou no sector privado, andou por fundações e órgãos de comunicação social, escreveu e escreve regularmente nos principais jornais nacionais, comenta a actualidade nos telejornais, enfim, está – literalmente – em todo o lado. E, curiosamente, nunca – mesmo nunca – é nada com ele. São os outros. É o sistema. O sistema que ele conhece, por dentro, como poucos. Muito poucos.

Mas não é nada com ele.

Rigorosamente nada.

Comments

  1. POIS! says:

    De cada vez que o Barreto é tema vem-me à memória uma afirmação da sua grande amigalhaça Fátima Bonifácio: “é um homem que podia ter sido tudo”.

    Pois podia. Mas, por modéstia, não foi. Talvez daqui a 20 anos, depois de intensa reflexão sobre os destinos do país, de onde vimos, para onde vamos e qual é o prato do dia no “Solar do Bacalhau”.

    • Abstencionista says:

      Querido Xô,

      Apreciei a tua chamada à colação da Srª Drª Maria Fátima Bonifácio, provavelmente a melhor historiadora portuguesa de todos os tempos, depois do Matoso.

      O elogio dela é uma verdadeira medalha para o A. Barreto que, tal como ela, também é um lutador anti racista.

      Sim senhor, gostei do teu post inteligente e acutilante na forma e no conteúdo.

      Parabéns.

      • Santiago says:

        Essa besta racista da Bonifácio é o quê?

      • POIS! says:

        Pois tá bem abelhinhabstinente!

        Oh pra ele a tentar enfiar-nos o barreto!

        Tá V. Exa. com azar. Já ninguém lhe dá, sequer, o bonifácio da dúvida. Já toda a gente o tem psicopatroca.


  2. Barreto, um sociólogo representativo do poder, que ficará para sempre ligado à destruição da reforma agrária, quer dizer, a criação de pobreza e subdesenvolvimento. Ele, que enche a boca com os pobres.

    • JgMenos says:

      ‘A enchada é minha’!

      • POIS! says:

        Pois sim!

        E a inxada também. Desde que uma Venturosa epifania o fez V. Exa. sair do armário essa carola, que é sua, anda muito volumosa.

        Toda essa excitação não será produto de salazarescas doses de Eucodal? Huuuuummm…

  3. Abstencionista says:

    Sempre do lado do poder João Mendes?

    Será que o fulano passou pela EDP, Galp, Mota Engil, TAP, REN, CTT, Lusoponte, BES, BPN, BPP, …?

    • Paulo Marques says:

      O Pingo Doce é pequenino e não sabias.

      • Abstencionista says:

        As palas além de te prejudicarem a visão ainda te aumentam a confusão pois parece-me que estás a confundir a mercearia com a Pordata!

    • José Peralta says:

      Abstencionista,

      “a Srª Drª Maria Fátima Bonifácio, provavelmente a melhor historiadora portuguesa de todos os tempos, depois do Matoso”

      Comparar a D. Fátima Bonifácio .ao Matoso, é o mesmo que comparar uma pôia com um pudim…

      Experimente provar uma e outro, e logo verá a diferença !

      Bom proveito

      • Abstencionista says:

        Confesso que nunca experimentei mas tu, que já provaste, diz aqui aos aventares qual é a diferença!

    • José Peralta says:

      Abstencionista

      António Barreto (PCP e, depois do 25 de Abril , deputado pelo PS, secretário de Estado do Comércio Externo (Gov. Pinheiro de Azevedo) e ministro do Comércio e Turismo, e, depois, da Agricultura e Pescas (Gov. Mário Soares) e mais recentemente, “convertido” à publicidade dos vinhos do Porto.

      Um figurão que a sabe toda ! Ao contrário de certos abstencionistas…

      • Abstencionista says:

        Já que a “sabes toda” explica lá porque é que o homem não pode trabalhar na publicidade do vinho do porto?
        Ou o homem não precisa de trabalhar?
        Uma coisa é trabalhar, outra coisa é usar as “portas giratórias” das empresas que citei para ser recompensado pelos favores que fez enquanto governante.

        • Paulo Marques says:

          Pode, tal como Jorge Coelho pode trabalhar na Mota-Engil, Maria Luís na Arrow, Barroso na Goldman, dá para todos os que lá andam.

  4. JgMenos says:

    É ouvido em todo o tempo e em todo o lado.

    Tanto basta para o querem diminuir.

    • abaixoapadralhada says:

      JG Menor

      “É ouvido em todo o tempo e em todo o lado.”

      É ouvido pelos teus, sejam eles fascistas confessos sejam dessimulados

      • Abstencionista says:

        É ouvido pelas pessoas cultas e inteligentes que são conhecidas por terem boa audição.
        Ao contrário de ti que tens as orelhas grandes mas és surdo como um penico.

  5. Paulo Marques says:

    Quando só os fascistas o elogiam, está tudo dito.

  6. Filipe Bastos says:

    Tanto basta para o quererem diminuir.

    Não sei se será só isso, Jg.

    Parece-me que é mais por ser um chulo oportunista, um xuxa sempre bem instalado e a favor do vento, um ‘crítico do sistema’ que não fez outra coisa além de mamar no sistema.

    Claro que não está sozinho: todo o centrão podre PS-PSD-CDS é um viveiro de ‘pensadores’ e salvadores da pátria que, sempre sem culpa de nada, têm apenas salvado as suas confortáveis carreiras e saudáveis contas bancárias. Não se pode ter tudo, né?

    • JgMenos says:

      O meu apreço pelo Barreto, apesar da costela de esquerda, é que nunca deu ares de desprezar o bom-senso como meio de afirmação – o que naturalmente lhe acarreta a raiva da esquerdalhada que faz do disparate um prova de originalidade criativa.

      • Paulo Marques says:

        O bom senso é concordar com o disparate das reformas sem admitir o custo. Que estranho que pessoas com mais de um neurónio se irritem!

      • José Peralta says:

        Ó menos

        O teu apreço pelo Barreto, apesar da costela de esquerda ?

        Da costela de esquerda ? Onde isso já vai !

        Sem esse “defeito”, podes “apreçá-lo” sem rebuço !

        Ele “vende-se” a qualquer preço…

      • anticarneiros says:

        O Menos

        Não posso crer !

        “o que naturalmente lhe acarreta a raiva da esquerdalhada que faz do disparate um prova de originalidade criativa.”

        Passaste-te para o inimigo, a esquerdalhada

  7. Vila do Conde says:

    Será bom lembrar que o homem foi fundador do chamado ” grupo de Genève” no seu chamado exílio… dourado

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.