Celebrar o Dia da Liberdade – 25 de Abril

Celebro, sim, sem qualquer mas, grato, sempre e muito, ao MFA, os militares que nos conduziram ao fim da ditadura moribunda do Estado Novo e nos ofereceram, através do seu programa, a Liberdade, individual e associativa, e a Democracia.
Quem diz celebrar este dia com “ah, mas o PREC” ou com “ah, mas só com o 25 de Novembro”, não está ainda preparado para sentir que o MFA, que mais tarde se dividiu, é certo, foi quem nos ofereceu a possibilidade de tudo o que nós fizemos após 25 de Abril de 1974.
Foi o 1º Dia, o primeiro Dia da Liberdade, após 48 anos de ditadura e é apenas esse dia que neste Dia celebro sem reserva alguma.
E celebro sim, com a Grândola que o João Mendes já colocou e com a marcha “A Life on the Ocean Wave”, de Henry Russel, adoptada como Hino do MFA!

Um governo, um presidente, dois PSD

psd-beja
Onde se confirma que Portugal não há só um, e PSD temos pelo menos dois. O camaleão é um animal giro, não é?

Há 40 anos chamava-se a isto coisa de vira-casacas, e a maioria dos que assim se mudaram de roupa, sem limpeza de consciência pelo apoio e usufruto da ditadura, foi precisamente fundar o PPD.

Ganharam: hoje temos a mesma inconsciência, é genético, os seus filhos no poder.

Imagem

25 de Abril de 2014

João Esteves

This slideshow requires JavaScript.

Milagre

cravos de Abril

E depois de helicóptero ter passado pela Praça do Comércio e largado os cravos Cavaco vê Maria afastar-se de regaço cheio.
– Que levais aí, mulher?
– É pão, senhor, é pão.