É oficial: Jair Bolsonaro é uma besta

Há cerca de um mês, Jair Bolsonaro lamentou a morte de Tales Fernandes, um artista funk brasileiro que foi um dos mais destacados apoiantes do então candidato presidencial, que dias antes tinha agredido violentamente uma mulher, com quem alegadamente mantinha uma relação extraconjugal e que teria engravidado. A mulher acabou internada nos cuidados intensivos do Hospital Augusto de Oliveira Camargo, numa pequena cidade do interior de São Paulo. [Read more…]

“A Garota de Ipanema” está uma cinquentona

No dia 2 de Agosto de 1962, era apresentada ao mundo “A Garota de Ipanema”, com música de Tom Jobim e letra de Vinicius de Moraes. Continua lindíssima. O vídeo é de 1979.

Hoje dá na net: Vinicius de Moraes

Documentário sobre Vinicius de Moraes. O poeta, o músico, o embaixador, o erudito, o homem do povo, o álcool, “o branco mais negro do Brasil”. Muita música e declarações de monstros como Chico Buarque, Caetano Veloso e o amigo-parceiro-irmão Tom Jobim. Com os actores Camila Morgado e Ricardo Blat.

João Gilberto: o senhor Bossa Nova faz 80 anos

Há uns trinta anos, carregando o peso do acne e do buço adolescentes, já eu era um candidato a intelectual e, nas loucas noites tentugalenses, que passava fechado no meu quarto, dedicava-me a ler livros que não entendia, ao mesmo tempo que ouvia programas de rádio, no tempo em que a rádio tinha programas.

Muito do que tenho de melhor, por pouco que seja, devo-o a muitas horas de rádio e a nomes como Maria José Mauperrin ou Aníbal Cabrita ou José Nuno Martins e a programas como “Café-concerto”, “Pão com Manteiga” ou “24ª Hora”.

No silêncio nocturno da minha solidão juvenil, foi exactamente na “24ª Hora” que descobri, maravilhado, um fio de voz que era, também, uma viola: João Gilberto. A primeira música que me lembro de lhe ter ouvido foi “Disse alguém”, versão de “All of me”, um standard que viria a (re)conhecer mais tarde.

O veludo, a leveza e o rigor da voz nunca mais me saíram do ouvido, até hoje, tal como a Bossa Nova e, à falta de melhor designação, a MPB. Hoje, João Gilberto completa 80 anos de idade. Parabéns, João Gilberto. Obrigado, 24ª Hora. [Read more…]

Chega de Saudade por Chico Buarque e Edu Lobo

A música, a boa música, não tem pátria. É universal, tal como os seus autores (compositores e poetas) e intérpretes.

‘Chega de Saudade’, de 1958, de Jobim e Vinícius, é a música fundadora da  Bossa Nova na MPB. Trago-a aqui pela voz de Chico Buarque e Edu Lobo. O Chico é também um cidadão universal, lutador pela liberdade e a justiça social. No tempo da ditadura militar, viveu exilado em Itália. Mas antes de partir ludibriou a censura com o heterónimo Julinho da Adelaide sem ser reconhecido.

A publicação deste vídeo é réplica aos reptos musicais do meu companheiro Pedro (A.Pedro Correia).

Filosofia de bolso (12)

Para mim, bossa nova é fado transformado em jazz.