A ruptura é excelente

Efectivamente, «a ruptura com uma prática do Partido Socialista». Exactamente: a ruptura.

Sócrates sempre a malhar nos ricaços!

Em consequência de medidas tomadas pelo governo, os estagiários, essa nova espécie de milionários, passarão a receber menos 257 € por mês. Trata-se de estágios aprovados pelo IEFP, para licenciados, mestres ou doutores.

Esta medida enquadra-se, obviamente, na defesa do Estado Social e outra coisa não seria de esperar de um governo apoiado por um partido de centro-esquerda, submergido em preocupações sociais e obcecado pela ajuda aos mais necessitados, um partido sempre firme na exigência de obrigar os mais favorecidos a contribuir para o bem comum.

Na realidade, só uma pessoa muito bem paga pode acrescentar aos descontos que já fazia um valor como aquele, dir-se-ia. Decerto será gente que ganha acima dos três mil euros, pensará um leitor desprevenido. Todavia, esses estagiários recebiam, até aqui, caso fossem solteiros e não tivessem filhos, 838,44 €; passam a receber 581,13 €.

É claro que o conceito de milionário, de acordo com o governo, passou a integrar qualquer pessoa que ganhe mais que o ordenado mínimo e menos que um gestor público, como já tive ocasião de notar aqui. Para que todos possam invejar a vida destes novos milionários, fica aqui um comentário à notícia publicada hoje no i:

Sou licenciada e estou num estágio do IEFP desde Julho de 2010. Ganho os ditos 834€ subsidio de alimentação, no final não chego a receber 900€ e depois ainda desconto 80€ para o IRS. Estive desempregada durante 7 meses e quando arranjei este emprego fiquei bastante feliz. Só tenho um pequenino problema, fica a 40km de casa. Ou seja, para além do dinheiro que tenho de tirar para a renda da casa e contas, tenho de tirar em média (por mês) 160€ para o gasóleo. No final se conseguir ficar com 200€ para alimentação e despesas básicas é uma sorte! Ou seja se passarem a pagar os 580€, num caso como o meu, não chega para as despesas. Mais vale ir para uma operadora telefónica perto de casa onde se ganha o mesmo e não se gasta gasóleo porque se vai a pé! E lá se vão os 4 anos de Licenciatura pelo cano abaixo! Que bom senhor Sócrates!

Vêm a tempo para quarta-feira

Blindados chegaram a PortugalHá quem por aí quem se indigne face aos indispensáveis blindados comprados para a cimeira da NATO terem chegado tarde demais. Será mesmo assim?

 foto

 

[Read more…]

O Público e os links

O Público foi o primeiro jornal português a entender uma coisa óbvia: se os blogues linkavam para o Público iriam fazê-lo com muito mais vontade se recebessem uma ligação em troca, e ainda ganha o leitor de ambos, já que dispõe de um lado de um comentário à notícia e do outro de caminho directo para a notícia que está a ser comentada.

Utilizando o Twingly rapidamente se destacou dos seus concorrentes. Outros como o Maisfutebol e o Ionline seguiram-lhe o exemplo. Este gráfico publicado pelo António Granado mostrava o impacto da troca de hiperligações entre o Público Online e os blogues.

 

Sucede que desde a remodelação do Público Online o sistema de trocas deixou de funcionar. Embora lá esteja a indicação de que funciona, é fácil de ver que tal só acontece muito de vez em quando, tudo leva a crer que por via de uma dificuldade técnica, que se arrasta desde início de Outubro.

Agora gostava de ver os gráficos correspondentes para este final de 2009. Aceitam-se apostas para uma subida do Ionline para onde se vão mudando as ligações perdidas pelo Público.