António Barreto e o ódio primário anti-comunista

Barrete

Disse o douto académico, dono de um vasto e brilhante currículo, em entrevista à RTP:

Em 100 anos, nunca vi um partido comunista no poder que governasse com eleições livres, com partidos políticos, com liberdade de expressão, sem exilados, sem presos políticos.

Não admira que tantos à direita elogiem hoje António Barreto, homem que em tempos aparentava ser de esquerda. Que ele não se reveja ou sequer concorde com a ideologia comunista é algo perfeitamente normal. Apesar do ciclone fascista que ontem atingiu o nosso país, creio ainda viver num país democrático onde cada um (ainda) tem direito à sua opinião. Mas choca-me que alguém tão erudito, alguém que se dedica ao estudo sociológico, alinhe neste tipo de discurso sectário, quando o mais certo é serem do seu conhecimento a esmagadora maioria dos exemplos referidos pelo jornalista Paulo Pena no Público, exemplos esses que invalidam por completo a generalização simplista contida na citação transcrita, a soar a sound bite de direita. Será ódio primário anti-comunista? Se não é parece.

Foto@I

Passos Coelho foi deputado em exclusividade

Passos Coelho assinou pelo seu punho declaração de que estava em exclusividade

Passos perdidos

na sala de espera da Tecnoforma. Afinal ainda há jornalismo de investigação.