We’ll always have plastic!

Dizem os especialistas que, lá para 2050, teremos mais plástico do que peixes no mar. Trata-se de uma das várias consequências das opções desse simpático grupo de crianças inconsequentes que dá pelo nome de Humanidade, especialista em futebol, redes sociais e reality shows parolos, mas globalmente incapaz de, por exemplo, separar o lixo que produz, como o macaco Gervásio por cá tentou ensinar, sem grande sucesso, já lá vão quase 20 anos. Sem grandes surpresas, o slogan “Se o Gervásio consegue, tu também conseguirás” continua ensombrado pelo “inconseguimento“. [Read more…]

A reciclagem do fascista

Certo dia tive uma acesa discussão com um presidente de Câmara, à porta do seu gabinete, sobre os mistérios do 25 de Abril, da Liberdade, da Esquerda e da Direita. Vangloriava-se, o triste autarca, cheio de orgulho boçal, de o senhor seu pai ter “corrido comunistas à paulada” da porta da fábrica onde era capataz, naqueles tempos quentes próximos da Revolução. Hoje era vê-lo, ao autarca, a discursar de um púlpito coberto de falsos cravos, com a Democracia e a Liberdade na boca, a Grândola ecoando, em surdina, pelo salão nobre, reciclando fascistas.

O Banco Alimentar haja fome

Isabel Jonet voltou a abrir a boca, e não tendo entrado mosca também não disse nada que não tivesse dito anteriormente, a velha k7 do vivemos acima das nossas possibilidades em versão bife. Mas aproveitemos para pensar no Banco Alimentar e em toda a cadeia das IPSS, cada vez mais sustentada pelo benemérito Mota Soares com os nossos impostos.

Explica Paulo Pedroso:

Em 2011 as campanhas de recolha em supermercados contribuíram apenas com 10% do valor dos produtos recolhidos pelo Banco Alimentar de Lisboa. A indústria agro-alimentar, reciclando os seus excedentes, doou 43%. A reciclagem de excedentes da UE contribuiu com 22%. O Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (de novo, os excedentes) doou  11%. As retiradas de fruta pelo IFAP (ainda os excedentes)  renderam 6%. Ou seja, ao todo, o escoamento de excedentes correspondeu a 82% do valor dos produtos distribuídos. [Read more…]

A parvoíce da esperteza saloia e o lixo

lixo-0404

No aproveitar é que está o ganho, reza uma daquelas velhas máximas herdeiras da sabedoria popular. Por este prisma, e porque estamos em Portugal, uma das pátrias do improviso, até nem espanta que uma empresa com licença de gestão ambiental tenha feito uma descarga de 10 toneladas de lixo, mesmo em vésperas da operação "Limpar Portugal".

O Público conta que a descarga de esponja, utilizada na criação de bancos para automóveis, aconteceu nas serras da Freita e de Mansores, no concelho de Arouca. Um crime ambiental, pois, que já levou a duas queixas no Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente da GNR.

A presidente da empresa admitiu a descarga das 10 toneladas de resíduos. Não sei se disse mas é claro que foi uma forma de aproveitar a acção "Limpar Portugal" para se desembaraçar de dez toneladas de lixo sem grande esforço. Nós sujamos, os outros parvos que limpem, terá pensado a nobel senhora, do alto da sua grandiosa parvoíce.

[Read more…]