Autopsicografia de um homem de esquerda

João Valentim André

A pergunta ressoa no mais fundo do corpo ético do homem de esquerda: “como posso eu aceitar, sem forçar todo o meu ser à dissolução, que a sociedade de que participo condene mil homens à pobreza para que possa criar um que seja rico?”

A pergunta é labiríntica. A resposta reside no seu centro mental, um ponto cósmico, guardada por um temível animal mítico. Mas uma vez chegado a esse centro, não tem, o homem de esquerda, como evitar o confronto. E ele dá-se precisamente no lugar do eixo, no axis mundi, na base da árvore da vida pela qual se ascende à resposta.

Para que o mistério não viesse a ser simplesmente um maneirismo literário, o demiurgo achou por bem fazer depender a vitória sobre a besta mítica da resposta a uma outra pergunta: desses mil homens condenados à pobreza, quantos não sacrificariam outros cem mil ao mesmo mísero destino para que a fortuna lhes sorrisse a eles?

[Read more…]

Princípio da Incerteza

Espaço-Tempo e mais Além. Bob Toben e Fred Alan Wolf. © Via Óptima, Porto, 2005

Espaço-Tempo e mais Além. Bob Toben e Fred Alan Wolf. © Via Óptima, Porto, 2005

 

Foi a descoberta da Teoria Quântica, na qual assenta hoje uma parte muito significativa da investigação científica, que permitiu ao Homem perceber que o Universo e o Pensamento sobre ele não são coisas distintas.

O Princípio da Incerteza afirma que não podemos conhecer simultaneamente a posição e o percurso de um objecto em movimento. Se um destes atributos for determinado com perfeita exactidão, isso acontecerá sempre à custa do outro, pelo que por mais exactas que possam ser as nossas observações, o mundo é sempre algo dependente do Princípio da Incerteza.

PIB cósmico em crise

Até o Universo entrou em crise!!

“Há já muito tempo que o’PIB cósmico‘ entrou em crise, diz o cientista português que liderou a investigação internacional” que veio demonstrar o seguinte: “a taxa de formação de novas estrelas no cosmo é actualmente 30 vezes menor do que foi no seu auge, que se terá provavelmente verificado há 11 mil milhões de anos.”

Parece ainda”que vivemos num Universo dominado por estrelas velhas”, metade das quais nasceram há 11 mil a 9 mil milhões de anos. Mas, apesar de o futuro “poder parecer sombrio”, David Sobral privilegia um registo mais optimista: “De facto, temos a sorte de viver numa galáxia saudável, produtora de estrelas, que deverá contribuir fortemente para a formação de novas estrelas”.

Adoro metáforas…

O meu Universo é Portugal. O povo português, cada vez mais envelhecido, sim, é formado por estrelas! Vivemos num país maravilhoso, numa «galáxia saudável» e há «milhões de anos» que estamos em crise.

Este povo lusitano vê um futuro sombrio pela frente, mas teima em ser optimista e a manter alguma da sua «luz» original. Não há outro remédio.
Tenhamos as condições, e surgirão novas estrelas que não terão de mudar de «galáxia»!

As palavras

(Adão Cruz)

 Tenho muito respeito pelas palavras e pela verdade nuclear que as constitui.

Tenho muito medo de poder esvaziá-las ou atraiçoá-las.

As palavras, elas mesmas, têm necessidade de serem ditas, senão não passam de palavras, e eu tenho necessidade de as saber dizer, senão não passo de mero dizente.

Por outro lado, se as palavras têm um sentido para aquele que as diz ou escreve, podem não o ter para aquele que as ouve ou as lê.

O conceito de sentido é fundamental na comunicação. [Read more…]

Que deus?

(Dedico este post à nossa simpática Maria Monteiro)

Apoiado nas leituras de Pepe Rodriguez, doutorado em psicologia pela universidade de Barcelona, e um dos mais categorizados conhecedores e especialistas em matéria de seitas e religiões, permitam-me que construa algumas das minhas opiniões àcerca da ideia de deus.

Deus é um conceito recente dentro da evolução do nosso processo cultural. Mas a força deste conceito tornou-se tão poderosa que permitiu às instituições religiosas, que governam a presunção da sua realidade, a mudança radical dos comportamentos individuais e colectivos das relações humanas.

Há mais de dois milhões de anos a espécie humana sobrevivia e morria sem deus, num planeta inóspito, no meio de uma total indiferença em relação ao Universo. Há noventa mil anos atrás, uma parte da humanidade parece ter começado a pensar na ideia de uma possível existência para além da morte. Há trinta mil anos deus ainda não existia. Por essa altura começou a esboçar-se a ideia de um deus, mas a sua imagem e características eram as de uma mulher todo-poderosa. Daí o dizer-se que deus nasceu mulher. Só depois do terceiro milénio a.C. começou a surgir a ideia de um deus criador/controlador, mais ou menos como é imaginado pela humanidade actual. [Read more…]