A reforma dourada de Maria de Lurdes Rodrigues

Concordo totalmente com o Fernando Martins e não me importava nada de me sentar à mesa com ele. Nomear Maria de Lurdes Rodrigues para a presidência da FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, dirigida até agora por Rui Machete, é premiar a incompetência, a inépcia e a mediocridade de uma ministra cujas medidas mais emblemáticas já foram parar, via Isabel Alçada, ao caixote do lixo da história.
Dir-me-ão os inocentes que foi uma excelente ministra e que esta nomeação é um prémio. Mas se o foi, por que razão não continua no Governo se todos os principais Ministros continuaram?
Quem devia ocupar o cargo na FLAD? Medeiros Ferreira di-lo melhor do que eu.
No meio disto tudo, sortudos mesmo foram os alunos do ISCTE, que se livraram de boa. E a própria, claro, que garantiu desde já uma reforma dourada.
Coitada da FLAD…

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Pois, ficamos todos de bem com Deus e com o diabo…


  2. Levaste-me a uma viela onde encontrei este naco da arte de bem moderar comentários:

    De Maria João Pires a 11 de Janeiro de 2010 às 21:09
    Da próxima vez pode ter a certeza q não será publicado, não por ser ou não inconveniente mas porq é dos apressadinhos q acham q estamos sempre de plantão à espera de comentários para aprovar.

    Obrigado, ainda não me tinha enojado hoje.

Trackbacks


  1. […] junto da opinião pública, Maria de Lurdes Rodrigues garantiu o ordenado milionário, na FLAD, para o qual trabalhou ao longo de quatro longos anos. Moralmente corrupta, Maria de Lurdes […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.