ISTO ESTÁ MESMO COMPLICADO….

Aquilo a que assistimos-e agora, com o orçamento de Estado , isso está tornar-se muito visível – é que não temos partidos com sentido de Estado,e todos são eleiçoeiros, procurando, exclusivamente , posicionamentos que lhes possam trazer votos, para aumentar bancadas, e sentar mais pessoas das suas familia politicas, ou pessoais, á mesa do orçamento de um estado debilitado,para se locupletarem .
Os partidos em vez de tentarem diminuir o deficit, pelo contrário, fazem-no crescer ,com o pretexto que é muito pouco, com o objectivo de terem simpatias nos seus eleitorados, para aumentarem os seus votos.. .. são sobretudo populistas,muito embora, com um argumento político de um decreto antigo aprovado por unanimidade,que mais tarde o PS rasgou .
Rompeu-se totalmente a solidariedade social.
Enquanto os sindicatos com o apoio do PCP se manifestam , fazem greves, e pedem aumentos- quando o que pode acontecer é, no mínimo,com o Pacto de Estabilidade que se tem de fazer, até 2013- o bloqueamento dos ordenados, o aumento das taxas da ADSE, cortes nas reformas ,e até, talvez cortes do 14º mês, senão, mesmo o seu fim.

Outras alternativas são piores ,porque se não preenchermos os padrões comunitários tornamos-nos para a CE um peso tal- como a Madeira se torna para Portugal- que isso não interessa à Europa,porque não produzimos riqueza, só recebendo fundos, que não sabemos investir corretamente.e à CE interessa lhe competitividade,para marcar um lugar no concerto mundial .

Por outro lado, a corrupção ao mais alto nível , o atraso no seu julgamento, e o exemplo também não vêm de cima.

O Presidente do Banco de Portugal ,com o enorme ordenado que aufere mensalmente,não é a pessoa mais indicada para falar em congelamentos e cortes salariais, o que de certa forma legitima muitas das reivindicações inconsideradas que se vêem fazendo.

Reconheça- se também que nem todos os investimentos feitos ultimamente , foram os melhores, embora muitos dos erros sejam a continuação de outros , vindos de trás .
Quando as agências de ranking,correcta ou incorrectamente nos colocam em zona vermelha, isso vai ter sérios resultados, no investimento estrangeiro.E como em política, o que parece ,é, as acções das empresas portuguesas caem,e os países não investem cá,o que tem consequências enormes, na empregabilidade, nas empresas, etc. Seria bom encontrar soluções plausíveis à esquerda, para cobrar as mais valias excessivas ,diminuir gastos na defesa, controlar a questão dos offshores,e certas acumulações de cargos e rendas ,diminuir o leque salarial, tornar os sindicatos mais realistas ,etc
A declaração do Ministro das Finanças, claramente, para serenar os mercados internacionais,foi boa,mas é preciso ,no meu entender, agora, que o Governo dê um murro na mesa, que o público entenderá,e não faça mais cedências em determinadas áreas.

Isto está mesmo muito complicado…….

António Serzedelo

Comments


  1. Pois está complicado. Mas não é de hoje. Tem anos. Agora só ficou pior porque, para combater a crise, o Governo gastou por conta. Para depois se pagar. O problema é que a economia continua de rastos e pouco ou nada beneficiou dos ‘apoios’.
    Estamos junto do abismo e a dar o passo final.

  2. Antonio Serzedelo says:

    Sim, eu também concordoconsigo José Freitas , vem de outros governos.A crise é que veio atrapalhar tudo, ainda mais .Mas também escondeu muitos dados a toda a gente.Os apoios comunitários foram em grande parte mal geridos,e muitos serviram para a corrupção, que entrou em grande no tempo do Cavacoe prosseguiu depois com o bloco central .
    O Eng Guterres quando abandonou o governo disse, que vinha aí o pantâno.Agora estamos atolados nele.Mas na verdade a competitividade de Portugal e a produção são muito baixas,por má organização do Estado, e dos patrões.Não vale a pena chorar sobre o leite derramado.Agora , creio ,há é que olhar para a frente e procurar soluções criativas e viáveis,em vez de apostar no quanto pior, melhor!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.