Magno Momento Gagá

A velhice, no pior sentido do venerado conceito, foi ontem à Aula Magna.

Pelas TV, pudemos ver, como quem vai ao zoológico pasmar com espécimenes raros, o que tem sido este Regime Corrupto: uma horrorosa forma de enriquecer através da manipulação e do tráfico de influências continuamente exercido. Histérico, perdido no seu ódio odioso, ululante, o milionário Soares teve o beija-mão processional com que sonhara, mas exaspera-se na mesma: o que já não tem, conforme sempre teve, é um Governo ao seu serviço, como os de Guterres ou os de Sócrates: «Dr. Soares, o que podemos fazer por si Dinheiro. Dinheiro. Dinheiro.

É duro ser solenemente ignorado, finalmente. O Circo de ontem na Aula Magna é a anacronia, a desonestidade e o exclusivismo que, com Pacheco presente em forma de carta, dramatizam e concentram num só Governo o grande problema do Mundo. Não há diagnóstico nem enquadramento do País. Só há instinto. Só o epidérmico. Só o cio e a exclusividade de Esquerda, ilusões de Esquerda num mundo onde a Esquerda não tem soluções a não ser o absurdo, aquilo em que ninguém vota, na hora da verdade.

Ontem, o dr. Soares exibiu toda a sua malícia e todo o seu ego: ele é o Regime. O Regime agoniza. O Regime é corrupto no tom e no grau de atrevimento. O Regime não tem vergonha nenhuma. O Regime deu-nos três bancarrotas. O dr. Soares está rico, extremamente rico e, para que isso pudesse ser assim, foi preciso que Governos irresponsáveis, venais e incompetentes, lhe fizessem todas as vontades.

Ontem, tivemos Circo Magno, num Magno Momento Gagá. Essa masturbação acabou num enorme foguetório. O Regime foi para casa. Continua milionário e convencido da velha força e influência plutossocializante. Está sempre pronto para mais uma perninha maliciosa e conspirativa, e uma chantagem violenta, insolente, sobre o Presidente em Exercício Cavaco, sobre o Menino Jesus e sobre a Popota.

Comments

  1. tchitchikova says:

    Não sei se o seu argumentário resulta de uma cultivada desonestidade ou se é tudo burrice, mesmo burrice. É que na sua análise (que nem de análise se trata) não acerta uma. Vá estudar.

    • palavrossavrvs says:

      E por que motivo o seu argumentário é insultar-me? Por que me lê? Por que me comenta? Nada do que escrevo deveria incomodar a tchitchikova. Mas incomoda.

    • Manuel says:

      Cara Tchitchikova,
      decorrido este tempo, se ainda mantiver alguma veneração pelo SóAres, não há estudo que lhe valha. Há gente burra por gosto e por militância. É só aceitar essa realidade, seguir em frente e continuar a pagar impostos. Alguém tem de custear a guarda pessoal do dr. Soares e família. Pela parte que me toca, tenho de ficar satisfeito por, apesar de ter nascido entre portugueses, vivo na Europa.

  2. fernando tavares says:
  3. Dora says:

    Uma chamada inteligente à união por princípios que todos apoiamos.
    Descontemos os aplausos, resultantes da empatia, da partilha e da vontade de não se morrer na praia…

    • palavrossavrvs says:

      Infelizmente, nunca libertámos Portugal do lastro do dr. Soares nem do seu fermento calamitoso. Quanto a Nóvoa, não há alternativa à austeridade, embora haja alternativa a Nóvoa. Pessimista como é, não há esperança se ficar tudo como até aqui.

  4. Dora says:

    Será este um “magno momento gagá”, caro palavrossaurius?

    • palavrossavrvs says:

      Eu também sei derramar palavras e dizer «é preciso um outro desenvolvimento». Mas depois das palavras não se faz nada. Construir uma esperança é ter paciência enquanto, por enquanto, colhemos o que semeámos. Ah, os aplausos, os aplausos, o bálsamo dos aplausos. Tão cegos, meu zeus! Revolta? Desespero? Ainda não viram nada.

  5. José Manuel Coelho Vieira Soares says:

    O mais chato foi o PC destoar, e muito bem, de todos daqueles améns !!!

  6. Dora says:

    Outro “magno momento gagá”?

    “Caro Presidente Mário Soares,

    Não podendo estar presente nesta iniciativa, apoio o seu objectivo de contribuir para combater a “inevitabilidade” do empobrecimento em que nos querem colocar, matando a política e as suas escolhas, sem as quais não há democracia. Gostaria no entanto de, por seu intermédio, expressar com mais detalhe a minha posição.

    A ideia de que para alguém do PSD, para um social-democrata, lhe caem os parentes na lama por estar aqui, só tem sentido para quem esqueceu, contrariando o que sempre explicitamente, insisto, explicitamente, Sá Carneiro disse: que os sociais democratas em Portugal não são a “direita”. E esqueceu também o que ele sempre repetiu: de que acima do partido e das suas circunstancias, está Portugal.

    Não. Os parentes caem na lama é por outras coisas, é por outras companhias, é por outras cumplicidades, é por se renegar o sentido programático, constitutivo de um partido que tem a dignidade humana, o valor do trabalho e a justiça social inscritos na sua génese, a partir de fontes como a doutrina social da Igreja, a tradição reformista da social-democracia europeia e o liberalismo político de homens como Herculano e Garrett. Os que o esquecem, esses é que são as más companhias que arrastam os parentes para a lama da vergonha e da injustiça.

    Não me preocupam muito as classificações de direita ou de esquerda, nem sequer os problemas internos de “unidade” que a esquerda possa ter. Não é por isso que apoio esta iniciativa. O acantonamento de grupos, facções ou partidos, debaixo desta ou daquela velha bandeira, não contribui por si só para nos ajudar a sair desta situação. Há gente num e noutro espectro político, preocupada com as mesmas coisas, indignada pelas mesmas injustiças, incomodada pelas desigualdades de sacrifícios, com a mesma cidadania activa e o mesmo sentido de decência que é o que mais falta nos dias de hoje.(…)”

    José Pacheco Pereira

    • Dora says:

      “(….)O sentido que dou à minha participação neste encontro é o de apelar à recusa completa de qualquer complacência com este discurso de guerra civil, agindo sem sectarismos, sem tibiezas e sem meias tintas, para que não se rompa a solidariedade com os portugueses que sofrem, que estão a perder quase tudo, para que a democracia, tão fragilizada pela nossa perda de soberania e pela ruptura entre governantes e governados, não corra riscos maiores.

      Precisamos de ajudar a restaurar na vida pública, um sentido de decência que nos una e mobilize. Na verdade, não é preciso ir muito longe na escolha de termos, nem complicar os programas, nem intenções. Os portugueses sabem muito bem o que isso significa. A decência basta.”.

      JPP

    • palavrossavrvs says:

      Outro! Interessa-me o porquê de cores carregadas tão negras.

      • Dora says:

        Verdadeiramente, pelo que leio, não te interessa minimamente o “porquê”.

        Percebo o constrangimento teu pelas tonalidades, já que és absolutamente monocromático no modo como pensas e nem a tua escrita e léxico conseguem fazer esquecer isto, antes pelo contrário.

        Mas porque até gosto de ti ( coisas maternais, enfim…), toma lá para te divertires. “E não tens nada que agradecer”:

        CARTA AOS 19%
        (Ricardo Araújo Pereira)

        Caro desempregado,

        Em nome de Portugal, gostaria de agradecer o teu contributo para o sucesso económico do nosso país. Portugal tem tido um desempenho exemplar, e o ajustamento está a ser muito bem-sucedido, o que não seria possível sem a tua presença permanente na fila para o centro de emprego. Está a ser feito um enorme esforço para que Portugal recupere a confiança dos mercados e, pelos vistos, os mercados só confiam em Portugal se tu não puderes trabalhar. O teu desemprego, embora possa ser ligeiramente desagradável para ti, é medicinal para a nossa economia. Os investidores não apostam no nosso país se souberem que tu arranjaste emprego. Preferem emprestar dinheiro a pessoas desempregadas.

        Antigamente, estávamos todos a viver acima das nossas possibilidades. Agora estamos só a viver, o que aparentemente continua a estar acima das nossas possibilidades. Começamos a perceber que as nossas necessidades estão acima das nossas possibilidades. A tua necessidade de arranjar um emprego está muito acima das tuas possibilidades. É possível que a tua necessidade de comer também esteja. Tens de pagar impostos acima das tuas possibilidades para poderes viver abaixo das tuas necessidades. Viver mal é caríssimo.

        Não estás sozinho. O governo prepara-se para propor rescisões amigáveis a milhares de funcionários públicos. Vais ter companhia. Segundo o primeiro-ministro, as rescisões não são despedimentos, são janelas de oportunidade. O melhor é agasalhares-te bem, porque o governo tem aberto tantas janelas de oportunidade que se torna difícil evitar as correntes de ar de oportunidade. Há quem sinta a tentação de se abeirar de uma destas janelas de oportunidade e de se atirar cá para baixo. É mal pensado. Temos uma dívida enorme para pagar, e a melhor maneira de conseguir pagá-la é impedir que um quinto dos trabalhadores possa produzir. Aceita a tua função neste processo e não esperneies.

        Tem calma. E não te preocupes. O teu desemprego está dentro das previsões do governo. Que diabo, isso tem de te tranquilizar de algum modo. Felizmente, a tua miséria não apanhou ninguém de surpresa, o que é excelente. A miséria previsível é a preferida de toda a gente. Repara como o governo te preparou para a crise. Se acontecer a Portugal o mesmo que ao Chipre, é deixá-los ir à tua conta bancária confiscar uma parcela dos teus depósitos. Já não tens lá nada para ser confiscado. Podes ficar tranquilo. E não tens nada que agradecer.

  7. murphy says:

    D. Mário I, o Inimputável… o Sr Soares da Aula Magna estaria a falas do Sr. Soares defensor do FMI? Tenham memória srs jornalistas e “fazedores de opinião”. Melhor, tenham vergonha!

    http://jornalismoassim.blogspot.pt/2012/11/dr-mario-soares-vs-dr-mario-soares.html

  8. C Vidal says:

    O filho da puta é aquele que perante um velho que se manifesta convictamente lhe chama gagá e insinua com jardim zoológico, esquecendo-se que lá chegará, a velho (espero que não). Um filho da puta instalado e protegido. E quem o protege deve saber que está a dar voz a um fascista e eugenista.

  9. DEUS says:

    O escroque do Joaquim Carlos Rocha Santos que acabe:
    Quem semeia ventos….

  10. peidosauro says:

    fascista filho da puta

  11. sinaizdefumo says:

    Ser velho não implica ser gagá. Está fresquinho da silva e, em vez de enfiar as pantufas, clama por eleições, há muito devidas, para democraticamente derrubar este odioso governo.

  12. peidosauro says:

    Vai estudar merdoso…andas javardo com essa idade !

  13. adelinoferreira says:

    Sempre que o pantemimeiro Palavrossaureo
    escreve, há circo no Aventar!


  14. tenho que dar os parabens ao aventar.Assim ate da gosto ler um site onde alguns comentadores se portam como adeptos de futebol espelhando que insultos e o que entendem bem (dando razao a quem os tem tratado como mentecapos vendendo-lhe lindas autoestrados e energia eolica gratuita ao triplo do preço normal) e mesmo assim e publicado a divina ofensa na integra- obrigado tambem ao autor pela analise =esperemos que quando chegar a nossa idade tenhamos mais tino de resmungar para dentro – a aurea que deixou não merece este espectaculo deprimente.

  15. chikovapessonha says:

    O prof fascista pessonhento não dá 2 para a caixa.Criança sofre.

  16. chikovapessonha says:

    E…O circo no dragãoo acabou em campeão,,mete tambem os cornos de molho.!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.