O Verão de 1816

Diz o IPMA que

 4 sistemas de previsão acoplados: três europeus – ECMWF, Met Office, Météo-France – e um norte americano – NCEP [prevêem] para o trimestre junho, julho e agosto, (…) um cenário para Portugal Continental em que a probabilidade da temperatura média ser inferior ao normal é de 40 a 60%, com uma anomalia negativa entre -0.5 e -0.2 °C.

Brrr, que gelo. Mas como já estamos na estação idiota da comunicação social, e há sempre um a colaborar na nobre causa do capitalismo não fazer mal a ninguém, a poluição nunca ter existido e o planeta ser tão descartável que o posso ir tramar onde me der mais lucro, já estou cheio de frio.

boneco-neve-praia

Um cacilheiro em Veneza

Hoje, lembrei-me do Carlos do Carmo e do Ary dos Santos.

cacilheiro

O aquecimento global volta a fazer das suas…

Ou talvez não, mas certamente os teóricos dos mitos climáticos cientificamente por comprovar, irão argumentar com as alterações, blá, blá, blá… No entanto, ao que parece em 1816 o Verão não terá sido nada quente e nessa altura, ainda não existiam várias das causas apontadas pelos crentes especialistas na matéria. Nem os EUA eram na época uma superpotência. Registo que desde o fim do mandato de W. Bush, com Obama na Casa Branca, estas matérias passaram a ter uma menor projeção internacional…

Menos 45 milhões nos transportes em 2012

De quem é a culpa da quebra anunciada pelo INE? Dos passageiros, claro. Sabotadores das previsões das receitas do IVA do Gaspar. Malandragem!

Somos bestiais

Vejo as notícias. Milhares de franceses (porque é que estes tipos parecem sempre ter qualquer coisa de Vichy?…), furiosos, largaram as baguettes e desatinaram pelas ruas de Paris, contra o casamento de pessoas do mesmo sexo e tudo o que envolve esta questão. Com a habitual coragem, incendiaram carros, partiram montras, destruíram, vandalizaram, bateram uns nos outros.

Agora vejam a nossa classe, a nossa finesse: quando discutimos o problema (que cada vez o é menos, valha a verdade) a coisa mais violenta e destrutiva que se nos apresenta (“que mor coisa parece que tormenta!”) é a fúria argumentativa do Marinho Pinto. Tomem lá disto, franciús selvagens!

Greve dos Professores: modo de usar

Tem dúvidas? É descarregar o documento de perguntas e respostas elaborado pelos sindicatos:

Greves Junho 2013_FAQ (pdf)

O Centro Infantil de Valbom, a Cruz Vermelha e os bibes de 16 euros

DSCF2532
Há coisas que me irritam profundamente. Uma delas é o aproveitamento dos particulares por parte de uma instituição supostamente séria e de solidariedade.
O CIV, infantário das meninas, agora gerido pela Cruz Vermelha Portuguesa, exige, para o próximo ano lectivo, que todas as crianças usem bibe e boné. Tudo a ser comprado no próprio infantário, evidentemente!
Até agora, as crianças usavam batas iguais, adquiridas directamente pelos pais na Feira de Gondomar, à Da. Rosa das batas, ou noutro sítio qualquer. Cada bata custava entre 7,50 e 10 euros, dependendo do modelo e do local de compra. Não me consta que a Da. Rosa e as outras lojas tenham prejuízo.
A Cruz Vermelha vende os bibes a 16 euros cada. Considerando que convém que cada criança tenha no mínimo duas batas e considerando que eu e bastantes outros pais temos lá duas filhas, estou, como dizia o outro: é só fazer as contas. Sinto-me roubada por uma instituição que também me devia proteger.
Depois de consulta do Regulamento Interno, que não referia o uso obrigatório de batas padronizadas, decidimos que não compraríamos. O que foi que a Cruz Vermelha fez? Alterou o Regulamento Interno e agora é obrigatório o uso dos bibes que lá vendem!
Só tenho um comentário, que por acaso é um insulto, a fazer… E, já agora, onde anda a Associação de Pais?

Vossa Inefável Vampireza

Mário Soares está lúcido? Como uma porta. Ubíquo como o ar que respiramos, omnipresente como o metano que largamos, o viscoso Mário Soares faz primeira página de jornais dia sim, dia sim. Conspira desesperadamente pela queda do Governo. Ninguém o escuta sem sentir que escuta o estertor de um passado que nos deu azar. Ouvi-lo, lê-lo é ler e ouvir a desesperada mumificação conveniente de um estado de coisas insustentável. Agora quer federar as esquerdas antes que a lógica anti-corrupção subjacente às reformas estruturais na Europa o fodere a ele e ao Regime que, desde o princípio, sempre lhe correu de feição ao bolso e ao instinto manipulador. [Read more…]

O medo é que manda na vinha

Paulo Portas tem sido chantageado pelo governo por causa do processo dos submarinos e dos carros de combate Pandur. Quando, pela primeira vez, Portas admitiu que estava a ponderar se ficava ou não, o caso dos submarinos voltou à primeira linha. E isso obriga-o a continuar no governo. O medo é que manda na vinha…

Mário Soares chamando os bois pelo nome, numa entrevista exemplar onde defende a unidade da esquerda (eu diria dos democratas) por aquilo que é  o seu programa mínimo comum: derrotar a austeridade, derrotar aqueles que tentam mudar ilegitimamente o regime, mas sem votos para alterar a constituição.

Era bom que de uma vez por todas se entenda isto: Marcelo Caetano ao pé de Passos Coelho e Vítor Gaspar parecia um democrata. É disto que falamos.

George Grosz: The Wanderer

George Grosz: The Wanderer

Penso de que algo está errado

leo jardim

E prontos, aqui está a foto. Ainda não acredito de que li isto. E agora surge-me a dúvida: terá sido Leonardo Jardim em que terá dito isto ou será sob o jornalista o qual devem recair as críticas? Seja em como for, a nossa Comunicação Social já passou sobre melhores dias.

Tiro no porta-aviões

capa i m soares

Ofereço Paredes

As de minha casa. A quem as quiser graffitar com arte. Será um prazer ter um acervo de obras de arte urbana na minha própria casa. E aqui o Rui Rio não risca. Ou melhor, não desarrisca!