XP

windowsxp
Já não há paciência para aturar o tonitruante obituário do Windows XP. Não há quem não cante o que foram as suas maravilhas na altura, agora que a Microsoft decidiu deixar cair o sistema e os seus possuidores em nome do progresso. O argumento é que o sistema já tem 12 anos e é tempo de o abandonar, bem como aos incautos clientes destes aldrabões. Esquecem-se de dizer que ainda há 3/4 anos vendiam portáteis dotados com XP. Os modelos pequenos, sobretudo, não usavam outra solução, o que não era nada mau, já que era muito mais leve e sensato que o Vista que se seguiu. Por isso, façam lá a vigarice mas não nos dêem música com as maravilhas do futuro, até porque alguns aspectos do Windows 8 parecem saídos da cabeça de tecno-ideotas fumadores de coisas esquisitas. E porque, finalmente, esta operação não passa de um acto de terrorismo comercial. O resto é conversa.

Comments


  1. Excelente oportunidade para migrar para Linux. O Caixa Mágica, por exemplo, é português, estável e fácil de usar mesmo para um utilizador com poucos conhecimentos.


  2. É passar para Linux, qual é a dúvida?

  3. António Duarte says:

    Continuo a utilizar o XP neste mesmo computador em que escrevo e não tenho planos para mudar.

    E os muitos anos de uso permitem-me conhecer o sistema ao ponto de perceber que, de há uns meses para cá, a Microsoft alterou qualquer coisa no programa de actualizações automáticas de forma a, passados uns minutos do arranque, começar a consumir recursos da máquina fazendo nada, ao ponto de outros programas deixarem de funcionar.

    Foi a forma encontrada pela empresa para tentar demonstrar aos utilizadores satisfeitos do XP que este sistema já não serve, que é lento como uma carroça e têm mesmo de mudar.

    Mas o problema resolve-se desligando as actualizações, ainda para mais agora que já não haverá mais nada a actualizar…


  4. Subscrevo na íntegra o artigo, por sentir que a microsoft de facto uma terrorista comercial é que não sou fã da mesma, embora quase sejamos reféns dos seus sistemas operativos em PC e portáteis.
    Se há muito adotei o openoffice para fugir ao microsoft office, se nos tablets e smartphones fugi para o android, a verdade é que a maçã demasiado cara e conotada com uma forma de exibicionismo que detesto e mudar para linux é algo que não sei fazer… mas se soubesse era para já.


    • Mude. É fácil e gratuito.


      • E como se faz sendo eu um mero utilizador destes equipamentos mas ignorante em matéria de informática, mudar o sistema operativo não é um processo igual a baixar uma aplicação como o openoffice em vez de comprar o da microsoft.


        • Só para terem ideia da “dificuldade” que é…
          1. Backup de tudo o que for importante.
          2. Escolher a distribuição Linux ideal.
          3. Fazer download e gravar num CD ou numa pen.
          4. Desligar o PC, e reiniciar. No arranque, mandar o PC arrancar através do CD/pen.
          5. Seguir as instruções. Na maior parte dos casos é possível instalar Linux sem desinstalar o Windows, ficando com dois sistemas operativos (escolhe 1 ao iniciar o PC).

          Para uma explicação detalhada de como fazer cada um destes passos, passe pelo fórum da comunidade portuguesa Linux & Companhia: http://linuxecompanhia.foruns.com.pt/


          • Obrigado, como tenho dois portáteis quase pré-históricos (ambos com + de 6 anos) e faço backup mutuo, vou fazer a experiência no notebook menor que tem o XP nos próximos dias.
            Pelo menos não perderei nada e posso ganhar experiência e se correr bem, mais me afasto do quase monopolista microsoft.


        • No link que deixaram, tem também a ligação para o guia de instalação do Lubuntu, do pplware: http://pplware.sapo.pt/linux/aprenda-a-instalar-o-lubuntu-uma-alternativa-ao-windows-xp/

          Se a máquina for realmente muito antiga, o Lubuntu é o indicado, porque é super leve e tem requisitos muito baixos, é pensado especificamente para computadores antigos. Mas não é por ter 6 anos que não corre uma distribuição qualquer mais geral do Linux como o Ubuntu ou o Mint. É uma questão de experimentar e ver. Considere o Ubuntu e o Mint como distribuições Linux de âmbito generalista e adequadas para iniciantes; o Kubuntu como uma versão mais leve do Ubuntu, e o Lubuntu a versão super leve do Ubuntu para computadores muito antigos. Isto para falar apenas das distribuições que foram referidas, pois existem muitas mais.

          É fácil instalar e usar tudo isto. Mas também é natural que surjam dúvidas. Não há é que ter medo de perguntar e pedir ajuda, pois a ajuda mútua é o ponto forte da comunidade Linux, e há lugar para todos, desde os programadores que desenvolvem o software, aos iniciantes que nem sabem bem o que é Linux e querem aprender 😉
          As dificuldades que porventura possam aparecer após a instalação, poderão parecer obstáculos muito grande, mas na maior parte dos casos, pedindo ajuda, são coisas que se resolvem num minuto (por exemplo, ser preciso activar certos drivers para a placa wi-fi funcionar).

  5. moimeme says:

    Linux, instalação fácil, seguro, sem desfragmentador, sem anti virus (mas pode ter se quiser), sem anti mallware e sem anti spyware, sem publicidade, sem programas pagos, (mas se gostar pode doar algum dinheiro para os desenvolvedores), e 105.000 programas gratuitos de produtividade, ferramentas, graficos, jogos, tudo num simples click e após inserir a password.
    Há cerca de 8 distribuições principais de Linux, (Debian, Slackware, Gentoo, Open Suse…) e um número infinito de distribuições Linux nelas baseadas.
    Ubuntu, Mageia, Puppy, Manjaro, CentOS, Zorin, Caixa Mágica …
    Utilizo-o há 15 anos, (comecei no Ubuntu), e nunca tive um virus nem nenhuma falha de segurança.
    Bastante mais rápido que o Windows, (não tem programas a correr na sombra), e actualmente é praticamente compatível com todo o hardware existente.
    Estou a escrever esta mensagem no Windows 7, (por causa do IRS, e já tenho o LINKEY!!!!!, um spyware no firefox disfarçado de google), se bem que costumo utilizar o Arch linux por ser mais personalizado.
    Para os iniciados em Linux e que tenham uma máquina com o XP, aconselho o Linux Mint XFCE 13 LTS.
    Se a máquina jé é um dual core então pode ir para o Linux Mint Mate 16 Petra.
    O Download destes programas faz-se através de mirrors portugueses, da Universidade do Porto, salvo erro.
    O aspecto gráfico é bastante parecido com o XP e não é preciso praticamente instalar nada pois os drivers e os programas principais como o Office estão lá (Libre Office).
    Tudo gratuito.
    (Eu costumo dispender 50 euros anualmente para doar a desenvolvedores de alguns programas que utilizo de borla).

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.