Hoje o dia de Filipinho Scolari começou assim

Vitor Baia
Tarde ou cedo, a mediocridade de um treinador vem ao cimo. E a hipocrisia de quem o defendeu apenas para atacar o FC Porto acompanha-a. As bandeiras podem regressar aos mastros, que é para isso que servem.

Comments

  1. Gottlieb says:

    faz mais umas festinas ao ressentimento, faz …


    • Qual ressentimento? o de ter perdido um Europeu por causa de um idiota? pois tenho.


      • o baiazinho defendia os penalties da inglaterra 2 vezes? cai fora jararaca. Os flops do porto nunca os assumes e vens mandar bocas sobre uma selecção com 5 títulos de campeão do mundo e um treinador que apesar de tudo também foi campeão do mundo.


        • O Vítor Baía foi nessa temporada campeão europeu de clubes. Sabes o que isso é? pois não deves saber, porque quem defende um frangueiro que acabou a carreira onde acabou sabe muito pouco.

          • Deus perdoa, eu nao! says:

            o teu baiazinho deu um frango incrível na irlanda… jogou no barcelona de onde foi corrido… campeão europeu contra uma porcaria chamada monaco… tem juizo. Scolari escolheu bem, o labreca defendeu tudo o que podia.

            Além disso o labreca não andou metido com os gatunos do BPN, dívida essa que eu estou a pagar porque o baia não tem onde cair morto…

            Acabar como acabou, o labreca tem 1000 vezes mais dignidade.


          • 1000 vezes mais frangos, é capaz disso. Dignidade não tem quem passou a vida a pregar que o filipinho era campeão do mundo, e agora cospe para o ar e nem repara que ficou com um olho molhado.

          • Deus perdoa, eu nao! says:

            ajuda o baia a pagar o calote do BPN tá? Não abre a boca pra falar bobagem. Baia é um gatuno como o oliveira costa devia tar na cadeia!


          • Quem confunde um tipo que foi à falência com um escroque que levou à falência um banco está ao nível do filipinho. pois está.


          • O Deco e o Maniche também foram corridos do Benfica e nem por isso deixaram de ser os grandes jogadores que foram, fazendo gato sapato, por diversas vezes do clube que não o quis.

        • Dr. Fonseca Galhão says:

          Deves ao Ricardo – que nunca soube sair a cantos com os joelhos em riste (que é mais ou menos a lição #2 de qualquer guarda-redes) – o golo da grécia na final. Deves-lhe variadíssimos erros, posicionamentos sofríveis, uma total incapacidade de jogar com os pés. Defendeu penaltis contra os bifes e marcou um. Big deal. O Ricardo não é mau, claro, mas seria sempre suplente de um GK campeão europeu, experiente, que tranquiliza a equipa (i.e. centrais com os quais jogou ou jogava durante o ano). O Baía comeu muito frango por excesso de confiança – vide poborsky e euro96 – mas era melhor guarda redes a dormir que o labreca acordado. A não convocação foi uma cena de macho alfa (nem meto aqui política clubística ao barulho) e ponto final.

          Mas é ao Scolari que deves mais.

          Deves-lhe a estúpida aposta num Pauleta inoperante, em detrimento de um Nuno Gomes que, não sendo grande espingarda, sempre se safava com um golito ou dois em fases finais (vide paralelismo com os Freds e o Jos e quejandos).
          Deves-lhe também a estúpida derrota no jogo inaugural, quando insistiu numa equipa de was beens em prejuízo do meio-campo campeão europeu, trabalhadinho ao milímetro pelo Mourinho.
          Deves ao Felipão a fé na santinha do caravaggio em detrimento de rotinas complementares de jogo e demais minudências técnicas que “não interessam para anda”.

          Mas enfim, bandeirinhas e tal.

          Deves-lhe, parcial mas não totalmente, o reorganizar da equipa depois da miséria de 2002, não discuto, mas deves-lhe também classificações sofridas para o Mundial de 2006 e para o Euro 2008 (vai ver os resultados, se não te lembras), com um futebol feio, descompassado e totalmente dependente da qualidade individual dos jogadores (que valeu o relativo sucesso da selecção nas fases finais, mesmo que excessivamente dependente da “emoção” e do “mata-mata”, que acabou sempre por se virar contra nós). Deves-lhe, portanto, o desperdício obsceno de uma selecção de classe mundial, que muito dificilmente alguma vez voltaremos a ter.

          Lembra-te que até o Humberto Coelho punha a equipa a jogar de forma alegre e criativa (com craques de fino recorte técnico, como o Vidigal – “cepo” de primeiro nome). Até o monte de trampa do Queirós – que fez o que fez no mundia- teve, pelo menos, o grande mérito de organizar uma futura “geração de ouro” e desse não se fala com lagriminhas nos olhos (de raiva não contam). O Oliveira não conta, porque para além de estupido, é o expoente máximo da falta de profissionalismo da FPF e da ideia da “família do futebol”, alhos, muletas da sorte e putas no hotel. Secundado apenas pelo Scolari (que “defende o minino”) e, claro, pelo Paulo “Ãân” Bento.

          Valeu? Ou os burros somos nós?

          Por isso é que a selecção é a equipa das gajas, bichas e do pessoal que não percebe um peido de futebol.

        • João Soares says:

          ….e o salazar tambem foi “Presidente do Conselho ” …., logo tambem tem valor catano !!!!

  2. miranda says:

    Nem um pouco de acordo. Desse modo é ver as coisas a preto e branco.


  3. Bater nos mortos é sempre uma tarefa pífia de muito mau gosto. Os mortos são todos iguais e não se defendem. Já não importa se foram heróis ou anões… Por vezes. a distância que os separa resulta apenas da perspetiva, paixão, ressentimento, ou inveja…

  4. Maquiavel says:

    Depois da excelente actuaçäo de Vítor “dos Frangos” Baía no Mundial de 2002, só mesmo aziados cegos é que o defenderiam. Pelo menos o Jorge Costa teve o discernimento e a dignidade de ver que errou e abandonar a Selecçäo, e por isso o aprecio.
    Mas cá está, o ressabiamento andrade nunca morre, andou por lá escondidinho por 10 anos, e à primeira oportunidade, expele seu veneno qual sangue de xenomorfo. Ou tenta, porque o Felipäo, no Mundial dos Frangos Baía, foi campeäo.

    E o guarda-redes que Felipäo escolheu para a Selecçäo, para trauma centenário andrade, defendeu quase tudo, até penalties com e sem luvas, mesmo näo sendo um guarda-redes especial, e chegou a vice-campeäo europeu. O Vitinho dos Frangos… só chegou à 1/2 final, no seu melhor ano. Vidas!


    • O mundial de 2002 foi aquele em que um actual dirigente da FPF agrediu um árbitro, não foi?
      Eu compreendo a solidariedade para com o único idiota do mundo que queria manter a titular um reformado chamado Rui Costa. Chamem-me ressabiado, pois pois.

  5. joao lopes says:

    começo por dizer que sou do sporting(para nao haver mal entendidos).e tambem acho que o scolari nao tem o talento que lhe apregoam.é principalmente um motivador de homens.e reelembro que o leonardo jardim com uma duzia de putos(que os jornais desportivos tratavam abaixo de cão) colocou o SCP a jogar bem.é a tal diferença de competencias.


  6. Sou brasileiro e vivo no Brasil. Portanto, torci para o time dirigido pelo Felipão e que, bem vocês sabem o que aconteceu. Ele é um teimoso, não há dúvida. Mas um teimoso que venceu por onde passou pelos talentos que tem e pela capacidade de liderar grupos, principalmente em torneios curtos.


    • Só vitórias.:
      LUIZ FELIPE SCOLARI, O GRANDE BLUFF – pelo jornalista brasileiro MARCO ANTÓNIO ARAÚJO *
      «Caiu a máscara. Felipão é um blefe antológico e já tem verbete garantido na enciclopédia das grandes mentiras da história do futebol com esta derrota do Brasil contra a Alemanha (1-7). O encontro que ele promoveu com seis jornalistas (destrinchado com maestria pelo colega Cosme Rímoli) é uma confissão juramentada de que todas as alardeadas vitórias do técnico não passaram de acidentes de percurso. Essa conversinha de técnico vencedor, especialista em mata-mata, motivador que tira leite de pedra, grande estrategista e blablablá é o mais puro lixo.
      Nunca entendi por que Felipão é bajulado de forma acintosa por parte da imprensa esportiva — e uma pequena legião de palmeirenses saudosistas e melancólicos. Os deuses do futebol foram muito generosos em dar ao técnico gaúcho uns dois ou três grandes momentos de vitória. Mas não passa disso: lampejos, felizes casualidades que a vida reserva para algumas figuras medíocres e inexpressivas. O destino é um fanfarrão.
      O estado deplorável em que Felipão abandonou o Palmeiras deveria ter sido o ato final de uma carreira em que os fracassos retumbantes deveriam enterrar eventuais medalhas conquistadas aqui ou acolá. Ainda mais que a tragédia que abateu o Parque Antártica foi uma reincidência, um convite injustificável para o profissional que saiu enxovalhado do Chelsea. Ingleses não rasgam dinheiro nem gostam de ser enganados.»


      • Pois olhe só. Naturalmente não estou aqui para defender o Felipão, que aliás não precisa da minha ajuda pra nada. Jogadores e outros profissionais da área reconhecem nele uma liderança pouco vista, ponto. O sujeito foi campeão do mundo, vice na europa, campeão brasileiro pelo Criciúma, pelo Palmeiras, campeão da libertadores com o Grêmio (duas vezes), campeão da copa das confederações. É muita vitória para ser colocada na conta do acaso.

  7. rampas says:

    Ui. Tanta azia..
    O Felipão sabia que o Baía só podia defender com as mãos fora da área quando jogava no Porto. Na selecção, como no Barcelona, já se tinha visto o fraco nível do dele..

    Quanto a vir dizer mal do Felipão agora, porque não quando ele foi campeão do mundo? Ou quando ganhou a Taça dos Libertadores? E o Del Bosque também é uma besta?


  8. Seremos capazes de colocar de lado a clubite? Em 2002 Ricardo merecia a titularidade, Baía vinha de lesão e estava em baixo de forma. Em 2004 era Baía quem estava melhor. Já em 2006 e 2008 tenho dúvidas se algum dos dois, para mim era Quim. Ricardo acumulava frangos no Sporting, Baía tinha perdido a titularidade para Helton no Porto. Com todas essas decisões erradas, primeiro do Oliveirinha depois do sargentão, foi Portugal quem saiu a perder…
    P.S. – Não vamos esquecer que Baía só no Porto atingiu um nível de classe mundial. No Barcelona, para meu desgosto ficou muito abaixo das expectativas.


    • Quem não deixou de lado a clubite chegou a convocar o terceiro guarda-redes do Porto.


      • Sem prejuízo de considerar que entre 2004 e 2006 a selecção com Scolari teve um bom desempenho, nunca gostei do personagem. E não me revi nessas atitudes provocatórias. Desde o Euro 2000 que Portugal não tem a meu ver um bom seleccionador. E não sou do Benfica. Respeito é Humberto Coelho pela forma que está na vida e no futebol. Paulo Bento fez um bom trabalho para o Euro 2012, mas esta convocatória foi infeliz. Não sei se será o único culpado. Existe promiscuidade na relação empresarial entre FPF e um conhecido agente FIFA…

  9. Rui Moringa says:

    Mas, para muitos dos que escrevem aqui, o futebol não apenas um “jogo da bola”?! Não compreendo tanta excitação com a coisa.
    Fico sempre surpreendido com as pessoas a gritar “ganhamos” ou a chorar “perdemos”. Mas ganharam ou perderam o quê?!!!
    São agentes dos jogadores, dirigentes, pessoas interessadas no negócio”?
    Muito do que se passa com esta excitação toda é logro e fantasia.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.