In Memorian (II)

allende
Dedicado a todos os seres humanos que perderam a vida às mãos de bárbaros terroristas num dia infame.

Comments


  1. Felizmente ainda há memória…

  2. PrivaCidade says:

    Neste e em qualquer outro dia. As vítimas de Pinochet, as vítimas da Al Qaeda, as vítimas dos regimes comunistas, e de todos os outros canalhas da história.


  3. Os que tem um sentido total de liberdade que é o fascismo/nazi adaptado aos tempos modernos, só são solidários com as vitimas do 11/9 em NY.


    • Permita-me algumas considerações Ricardo.
      No Chile em 1973 terão existido algumas vítimas a 11 de Setembro. No entanto a 12, 13 ou 14 terão existido muitas mais. Consequência do golpe de Estado, é certo, mas não executadas no dia 11 e sim durante a caça às bruxas que se seguiu.
      Pinochet e seus acólitos também não eram terroristas, nem sua acção foi um acto terrorista. Foi um golpe de Estado de cariz militar. Mas eram assassinos e carniceiros, se quer colocar adjectivos, não sou eu que lhos vou poupar. No caso de Augusto Pinochet, acresce que também era um homem de confiança de Allende e por este nomeado para o cargo que à data exercia. O que nos poderia levar também ao carácter…
      Mas em 1973 eu era apenas uma criança, pelo que não tenho nem posso ter o mesmo sentimento que vivi em 2011. De resto, só tive conhecimento dos acontecimentos no Chile à posteriori. Há uma diferença entre viver e emitir opinião. Também não me pronuncio sobre outros carniceiros, sejam eles Torquemada, Marquês de Pombal, Adolf Hitler, Joseph Stalin, Pol Pot, Mao, Ernest Guevara, Somoza ou Idi Amin. Um carniceiro assassino é apenas isso mesmo…


      • Faça-me cócegas para que me possa rir!!!

        Como o entendo tão bem!

      • fontedora says:

        Em 1973, você era uma criança. Na época da escravatura, nem tinha nascido, portanto não sabe o que se passou, nem tem opinião. Pensa que tudo é a mesma coisa. Lutar por uma causa é igual a estar contra ela. Você não tem existência.


      • António de Almeida,

        Temos vivido uns tempos em que as palavras e conceitos se desvirtuam.A sua ideia de “terrorismo” é exemplo disso. A ideia de se morrerem centenas num dia é mau; se morrer esse número ou mais nos dias/anos seguintes é menos mau porque a gente se vai habituando e o impacto atenuando, certo?

        Depois, esta sua insistência de só pretender saber sobre História depois do seu nascimento é altamente sui generis.e já o comentador Camilo Lourenço defendeu que a História não tem por aí grande importância na escola. Tavez defenda, sabe-se lá, que a História é para ser dedilhada a partir dos 18 anos, idade de voto e de carta de condução.

        Pinochet era homem de confiança de Allende? Essa estória leu-a onde?

        Mas se quiser uma história mais actual, Bin Laden foi uma mais valia para os Bushes.


  4. O mundo tem sempre muitos homens notáveis ?? !!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.