Um dos piores fatos que já vi

fatos

 

David Rodrigues, Professor Universitário e Presidente da Pró-Inclusão – Associação Nacional de Docentes de Educação Especial, escreve, hoje, no Público, um texto com cujo conteúdo concordo em absoluto, criticando a vigência de uma mentalidade paleo-liberal com efeitos perniciosos sobre a equidade em Educação, ou seja, sobre a Educação na vida democrática. Recomendo vivamente a leitura.

David Rodrigues adoptou o chamado acordo ortográfico (AO90). Não sei, é claro, por que razão o faz ou se tem alguma razão para o fazer. Não posso deixar de lamentar, no entanto, que alguém com opiniões tão acertadas sobre Educação opte por utilizar um instrumento cujas deficiências de concepção só podem provocar efeitos negativos na escrita e, portanto, na Educação.

O próprio texto de David Rodrigues é prova disso, como já podem ter visto mais acima: lá estão os “fatos” no lugar dos “factos”. Mais abaixo, a mesma palavra aparecerá escrita correctamente. Sobre factos destes, o Francisco Miguel Valada tem escrito acertada e abundantemente.

O título do texto de David Rodrigues é “E se levássemos o Direito à Educação a sério?” Ora, tendo em conta a importância da escrita, será que podemos levar a sério esse direito, insistindo na utilização de um acordo ortográfico que, entre outros problemas, contribui para aumentar os erros e as dúvidas?

Comments

  1. portela says:

    Será que a Bíblia vai fazer constar ” Atos dos Apóstolos” em vez de “Actos dos Apóstolos”?
    O Acordo Ortográfico também altera a Hermenêutica?

Trackbacks


  1. […] entre confeção [kõfɨˈsɐ̃ũ̯] e confecção [kõfɛˈsɐ̃ũ̯]. Ou seja, de facto (sim, de facto), confeção não existe. Confessem lá: este AO90 está a correr mal, não […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.