No país onde a culpa morre sempre solteira

banksters

O timing para a absolvição foi perfeito: o ciclone Jorge Jesus a levantar telhados na segunda circular, a FIFA a arder – e para apimentar a coisa parece que a ex-namorada de Cristiano Ronaldo é também ex-namorada de Sepp Blatter, grande cena –  PS e PSD/CDS-PP a esgrimir propaganda, e eis que no meio do caos mediático uma nova culpa se prepara para morrer solteira.

Afinal, e à semelhança de outros bons rapazes como Oliveira e Costa, Dias Loureiro ou Ricardo Salgado, também João Rendeiro e restante comitiva do BPP são inocentes relativamente às acusações de burla qualificada no caso Privado Financeiras. João Rendeiro nem sequer apareceu à leitura do acordão, estava fora do país, não era nada com ele. E se estivesse seria igual. Neste país, o banqueiro é sempre inocente e o povo é sempre sereno.

E por falar em pessoas inocentes, parece que o 44 vai ser transferido para domiciliária. Será que ainda vem a tempo das presidenciais?

Comments

  1. Rui Silva says:

    Temos que acreditar na nossa justiça.

    Rui Silva

  2. maria celeste ramos says:

    Empresa de José Lello – ganha 70 milhões com o ESTADO – com ele muitos deviam estar em évoa Vara – Celeste Cardona e lista sem fim – sem fim

Trackbacks


  1. […] Enquanto uns lutam por perdões de dívida, outros conseguem-no nos tribunais portugueses. Hoje foi a vez (outra vez) de João Rendeiro. A culpa continua a morrer solteira. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.