Não votarei na coligação de direita

Junto-me aos aventadores que dissertaram sobre o seu sentido de voto, aproveitando para sublinhar o aspecto plural do Aventar.

portugal à frente

Há quatro anos e meio escrevi umas linhas e agora, ao reler, até parece que estava a falar da presente campanha eleitoral.

Depois de seis anos de campanha eleitoral, em quem votar? No que me toca, já lá irei, mas antes gostaria de explicar esta da campanha eleitoral dos seis anos. Para tal, socorro-me do recorrente anúncio do sucesso frustrado, sendo o grande feito das contas públicas o último acto desta tragédia. Em Fevereiro, o governo lançou aos quatro ventos a ideia de termos um tal sucesso ao nível da execução orçamental que havia um excedente orçamental. A comunicação social nem questionou os dados embrulhados em celofane que, certamente, as assessorias de imprensa prepararam. Apresentei na altura as minhas dúvidas e, há dias, vi-as confirmadas quando a Unidade Técnica de Apoio Orçamental nos informou que apenas se tinha adiado o pagamento de contas.

Mudam-se os protagonistas e assistimos às mesmas estratégias.  Em 2011 votei contra Sócrates, o que se traduziu num voto em Passos Coelho. Bem que me arrependo, e peço por isso desculpa aos Portugueses.

Desta não me apanham. Nunca, mas mesmo nunca, votaria num governo que, ao longo do seu mandato, acabou a fazer tudo o que prometera não fazer em campanha eleitoral. Nem vou discutir se havia ou não outras soluções (a minha convicção é que elas existiam), focando-me apenas num ponto essencial. Não é de todo admissível que, em democracia, se atraiçoe os eleitores desta forma. Um presidente da república que os tivesse no sítio teria demitido este governo por faltar de forma tão gritante ao seu programa eleitoral. Caía o governo? E então? Que se fizesse outra eleição com propostas sérias, em vez de falsidades.

Votar na coligação de direita é concordar com esta mentira básica. É admitir que a eleição é um pro-forma. É, em última análise, contribuir activamente para a destruição da democracia.

Esta coligação não pode ganhar as eleições porque isso implicaria a inexistência de um travão eleitoral à loucura governativa a que assistimos durante quatro anos e meio (obrigado Cavaco!) Sem este freio, a coligação de direita ficará em roda livre, sentido-se incólume perante os seus actos.

Não votarei PS por diversas razões, sendo o que eles fizeram no passado uma delas. Cada vez acredito mais que governos formados por acordos parlamentares são uma menor ameaça para os Portugueses, comparativamente com os governos de maioria. É são a melhor garantia de que serão os deputados, os legítimos representantes do povo, quem controla o governo, impedindo-o de se transformar numa ditadura renovada a cada quatro anos. Votarei, por isso, num dos partidos à esquerda do PS. “Ai os papões que aí vêm”, já ouço dizer. Pois, nunca estiveram no governo e vejam só onde nos levaram aqueles que não são os “papões”.

Comments

  1. Ana A. says:

    “Bem que me arrependo, e peço por isso desculpa aos Portugueses.”
    Pela parte que me toca, só o desculpo, porque demonstra ser uma pessoa intelectualmente honesta, que reconhecendo os seus “erros”, tem também elasticidade mental para sair da alternância e trilhar novos caminhos! 🙂


  2. Normalmente tenho reparos a substancia do discurso, mas a isenção com que os reparos são publicados no Aventar tem que ser realçado; primeiro pelo respeito que espelha e depois por ser menso frequente, mesmo em blogs, sem interesses comerciais. Que tenham muitos anos, a dizer mal ou bem de quem querem.

  3. mdlsds says:

    Desculpas aceites. Oxalá o resto do país tenha esta clarividência no Domingo e a esquerda, a mais à esquerda do PS, possa receber o obrigada que merece pela luta que trava.

  4. joão lopes says:

    pois eu votarei à esquerda sabendo que essa mesma “esquerda” não consegue sequer um mínimo(um mínimo,senhores) de entendimento ou dialogo,pelo que sei perfeitamente que na segunda feira o próximo primeiro ministro será o que for indicado pela coligação Paf.Ja agora responsabilizo a esquerda toda pela vitoria do Paf.pelo que peço a cabeça do jeronimo,C.martins e costa pela vitoria do paf e consequente demissão dos atras referidos.

    • Nightwish says:

      Vai ver que o PS e o PSD se entendem, como toda a gente sabe à um anito. Olhe que o Rio ainda está livre para ir para o governo…