Culpem o Heavy Metal


A TVI 24 faz-nos saber que os prisioneiros de Guantanamo foram expostos a música em altos berros, música… H-e-a-v-y M-e-t-a-l. E como no Bataclan tocava ontem uma banda de heavy metal (o que nem é verdade), será que há relação entre a música e o banditagem a que assistimos ontem em directo?
“É só uma coincidência? É só um pormenor que nos ajudar a compreender o que se passou em Paris?”
E como sobreviveremos a este “novo tipo de terrorismo que, por acaso, repara, até já tem comunicações por satélite?”

Comments

  1. R.J.O.m says:

    Glória a Deus nas alturas
    que cá em baixo está tudo louco.

  2. Nightwish says:

    Se nem de economia, direito, educação, política, informática, etc etc percebem, qual é a surpresa?


  3. Venha o diabo e escolha entre entrevistador e entrevistado. O que vale é que eu não gosto de heavy metal, mas que fico com tendências para ir aos gorgomilos daqueles dois, ai isso fico.

  4. Konigvs says:

    Sobrevive-se a este novo terrorismo desligando a ficha da tomada. A partir desse momento estamos imunes à estupidez e manipulação das televisões (apesar de mesmo sem televisor sermos obrigados a pagar a taxinha para a RTP que até tem tanta publicidade como os outros e agora também faz peditórios ao fim-de-semana e tudo).
    Mas é curioso isto da TVI. Eu até gostava de fazer um estudo aprofundado, pois para já tenho uma curtíssima amostra, mas não deixa de ser uma amostra aleatória. Na zona industrial onde trabalho há dois restaurantes, e no meio daquelas centenas de canais, ambos, à hora de almoço, estão sintonizados na TVI.

  5. Rui Moringa says:

    Não aprecio esse tipo de música. Não sei como se consegue estabelecer esse paralelo. Contudo é sabido a influência, associação, entre determinada música (por exemplo as marchas de Piotr Ilitch Tchaikovsky) as acções “guerreiras”. Há um retrato disso no filme apocalipse… de Copola.
    Não a justificação para este atentado com toda a certeza.
    Este atentado é uma acção militar (guerrelheira) de uma guerra com custo de vidas inocentes no centro das nossas vidas que pensamos protegidas.
    Bem podem teorizar nas justificações, mas falharam sempre porque há mão escondida nisto e que está no meio de nós. apenas não a vemos como o termo indica. Os executores, são almas perdidas alienadas às quias não demos respostas ou não as aceitaram e às vezes isso é difícil.
    Ficam espantados com o nível de execução? Qualquer um que tenha lido o manual de guerrilha urbano do Che Guevara percebe que fazer uma coisa destas não é difícil no plano da organização.
    Contudo digo só os alienados e os insanos o fazem.

    • Rui Moringa says:

      Estudos? Tenho dúvidas.
      De qualquer maneira, estabelecer uma relação entre a música de um certo “tipo” e o terrorismo é uma ideia do catano!!!

  6. FilipeMP says:

    Concordo, a culpa do terrorismo é do Marilyn Mason. Maldito Metal!

  7. Hélder P. says:

    Nos anos 50 era o Rock and Roll a música capaz de fazer os jovens perderem as almas para Lúcifer.
    Depois foram os filmes de terror como Psycho. O Hip-hop.
    Recentemente, eram os videojogos PEGI +16.
    Cada geração tem os seus ignorantes no palanque a destilar o preconceito sobre um qualquer bode expiatório, o suposto responsável por todos os males da sociedade. Compreender as causas e as origens dos problemas que a nossa sociedade atravessa é que era de valor. Mas é preciso usar da massa cinzenta.

Trackbacks


  1. […] certo acerca do universo“. E a prová-lo estão os tempos que correm e que a televisão tão bem documenta. Nuno Markl fez uma síntese pequenina mas sintomática do que sobre uma banda de música as […]