100 nomeações para o governo PSD/CDS no dia em que o Presidente indigitou novo Primeiro-Ministro (*)


100 nomeacoes para governo PSD CDS

Repare-se no detalhe de o Observador conseguir associar Costa a uma morosca da direita

Há alturas em que os actos valem mais do que as palavras e nomear pessoal quando há novo governo à vista é uma delas. Demonstra-se que a dor do PSD e CDS por deixarem de ser governo, das mais prosaicas que se possa imaginar, se resume a ter que abandonar o pote.

Se a PAF estivesse seriamente preocupada com o equilíbrio das contas, não estaria  a nomear “técnicos especialistas” para “realizar estudos e trabalhos técnicos no âmbito da imprensa” de um governo que cessará funções dentro de dias. Se não fosse para manter os boys nos jobs, não estariam a ser renovadas comissões de serviços de três anos. Técnicos administrativos, coordenadores de gabinetes, técnicos especialistas, CCDR, etc., etc., um rol de nomeações num Diário da República perto de si.

Até um governo falhado, que não chegou a governar, tem direito ao séquito das nomeações na totalidade. É o que se conclui deste Estado não reformado pelo suposto guião da reforma que Paulo Portas apresentou. São estas as gorduras que Pedro Passos Coelho não cortou. É este o dinheiro do contribuinte que a direita, tão ciosa quando se se trata de gastos no SNS, SS ou educação, não hesita em estoirar. É este, por fim, o Portugal à Frente, mesmo à jeito para fazer a vidinha.

(*) Este poderia ser o título de quem realmente estivesse a Observar, em vez de participar.

Comments

  1. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Vergonha,

  2. Joao Calado says:

    Eu só tenho um palavra para classificar isto: Escumalha!

  3. Ana A. says:

    Se eles o fizeram é porque podem!
    O que mais me indigna é que até hoje, não tenha havido “quorum” suficiente, ou vontade política na AR, para travar esta ida extemporânea ao pote. Talvez, porque aos governantes do costume esta situação tenha interessado. Espero que a verdadeira esquerda consiga moralizar um pouco este “modus operandi”.

  4. Filipe says:

    Regra de ouro: o Observador nunca é uma boa fonte. E o Governo de Passos Coelho foi tão mau que não é preciso ir buscar isto. Sejamos justos. As nomeações feitas pelo Governo foram publicadas ontem no Diário da República, mas foram feitas antes da queda do Governo na Assembleia da República. E têm uma justificação: a necessidade de pessoal para os gabinetes dos novos ministros. Estes nomeados cessam funções quando o ministro para o qual trabalham cessarem funções, ou seja, amanhã.

    • Filipe says:

      Corrijo: o Negrão fez algumas nomeações no dia seguinte à rejeição do programa de governo. E houve alguns outros titulares de gabinetes que fizeram nomeações nos dias 9 e 10 de Novembro, ou seja, quando já era certo que o programa de Governo ia ser rejeitado. Mas todas estas nomeações cessam, por lei, amanhã. E, independentemente de poder haver ou não ali nomeações escusadas, mantenho a questão: como é que os gabinetes dos membros do governo iam funcionar sem pessoal enquanto o governo estivesse em funções?

      • j. manuel cordeiro says:

        Era sabido desde o início que o programa de governo iria ser rejeitado. Não havia suporte parlamentar. Desde a tomada de posse, a 30 de Outubro, não chegou a haver 1 mês de governo. Sendo certo que algum pessoal seria necessário, é de ver a lista de nomeações para se perceber que não estamos perante uma situação de “assegurar funções”. Então, porque insisto no tópico, poderia perguntar. Porque a PAF resolveu centrar a sua mensagem política na legitimidade e no despesismo que (supostamente) a esquerda trará. Quem quer dar lições de moral tem que primeiro dar o exemplo.

        • Filipe says:

          Não discuto a necessidade de todas as nomeações, nem tenho conhecimento de causa para o fazer. Quanto a lições de moral, todas as que o Governo deu foram uma farsa e uma hipocrisia sem limites.

    • j. manuel cordeiro says:

      “Regra de ouro: o Observador nunca é uma boa fonte.”

      Um jornal nunca é uma fonte. Excepto quando cria notícias.

      No caso em apreço, qual é o tema da notícia? Nomeações do governo PAF. Que foto é usada para ilustrar o artigo? Costa. Escolha óbvia, não é?

      Outro: “Polémicas, pressões e ‘sacos de gatos’. A palavra aos novos ministros”
      http://observador.pt/2015/11/24/polemicas-pressoes-sacos-gatos-palavra-aos-novos-ministros/

      Dirá eventualmente o Filipe, “mas então se os novos ministros estão, de alguma forma, associados a polémicas, não se pode falar nelas?” Pois pode, digo já. Desde que existam. Lendo o artigo, no meu entender o que de mais polémico ali existe é o secretário de estado da presidência do Conselho de Ministros ser o advogado de José Sócrates na providência cautelar interposta contra o CM e a CMTV em relação à publicação de notícias sobre a Operação Marquês. De resto, há alguma pimenta, mas daí até justificar o título do artigo e uma foto de Costa a limpar o suor vai uma grande distância.

      Por outro lado, o que é que o Observador escreveu sobre o XX governo? Nada de especial. E se o jornal tivesse a mesma picardia que tem com a esquerda, temas não lhe faltariam. Bastava começar pelos número 1 e número 2 do governo. E continuar pelos secretários de estado, como Paulo Núncio e Bruno Maçães. Era só querer, e é neste aspecto onde o descrédito incide.

      • Filipe says:

        Mas por que raio é que eu diria isso?!! O Observador é asqueroso, ponto final. P.S. Os jornais são fontes para a blogosfera. Foi nesse sentido que escrevi.

        • j. manuel cordeiro says:

          Ora, estamos só a “falar” 🙂

        • Cristina says:

          O problema está nestas e noutras centenas delas, que vão onerar por muitos meses o errario publico. Foram sendo feitas ao longo destes 4 anos, com impunidade, sem mérito, tendo por premissa o simples cartão político, Sei do que falo pois na instituição onde trabalho, temos a chefiar os menos competentes de entre nós. Alguns até passaram pela malha dita isenta da Cresap, valia a pena perder tempo a ver como tal prodígio foi possível, Assim supostamente legitimados por 5 anos, como gerir tal no dia a dia? foi e vai ser um fartar vilanagem.

  5. Rui Moringa says:
  6. martinhopm says:

    O comentador Filipe afirma que cessam funções quando os novos ministros tomarem posse. Desconheço se assim é e se é assim com todos os nomeados. Penso que só os nomeados com funções políticas se enquadrarão neste preceito. Mas esta é uma prática corrente dessa ‘gajada’, agora atirada pela borda fora. Recordo a aprovação, já em ‘tempo de descontos’, da negociata Portucale, pela gente do CDS (Nobre Guedes, Telmo Correia e Costa Neves) e a recente nomeação de responsáveis para os Centros Distritais da Segurança Social, única e exclusivamente de gente do PSD e do CDS, claro que os mais ‘competentes’, e após ‘exame prévio’ da CRESAP.

    • Filipe says:

      Todos os nomeados para o gabinete de um membro do Governo cessam as suas funções com a exoneração desse membro do Governo. Está no DL 11/2012. Amanhã serão publicados no Diário da República os decretos de exoneração dos ministros e secretários de estado do Governo do Passos Coelho, e os nomeados cessam automaticamente funções. Quanto ao resto do seu comentário, estamos de acordo.

      • j. manuel cordeiro says:

        E o que acontece às nomeações e renovações plurianuais? 😉

        • Filipe says:

          Eu só estou a falar nas nomeações para os gabinetes dos membros do Governo. Essas não são plurianuais, só subsistem enquanto durar o mandato do ministro ou sec. estado que as fez. Como deve imaginar, não estive a ver todas as nomeações deste diário da república, mas em todas as que vi o respectivo despacho diz que são feitas de acordo com o DL 11/2012. Essas terminam inevitavelmente amanhã. Se há outras neste diário da república, não tropecei em nenhuma.

  7. martinhopm says:

    Quanto à imagem que acompanha a notícia em apreço é exemplo de tudo menos de isenção e de seriedade. O ‘Observador’ a mim não me oferece o mínimo crédito.

  8. Este novo governo só tem de correr com todos os parasitas nomeados nos últimos 2 meses JÀ.

  9. Verdade, que se vai repetir quando o dão seabtião Costa tiver que sair do governo, como foi sempre no passado e a menos que governe e troika se mantêm as “boas” praticas

Trackbacks

  1. […] lugares aos amigos, contrariando aquilo que Passos Coelho havia dito na campanha de 2011, até ao último dia no poder. Resta-lhes Cavaco, o semi-deus. Até que em Janeiro caia da cadeira e seja substituido por um […]

  2. […] estas assumpções, socorro-me de duas muletas para prestar uns breves esclarecimentos à Helena: a primeira,  do Jorge, aqui publicada e a segunda, a sua respectiva fonte noticiosa. Onde? No observador! No […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s