Um favor aos corruptos

Será que Paulo Morais não entende que ao fazer as suas inverosímeis generalizações sobre o tema da corrupção ( “o Parlamento é uma central de negócios e corrupção” em que “todos os grupos parlamentares estão envolvidos”) está, não só a enunciar um juízo grosseiramente falso como, ao misturar tudo no mesmo granel, a fazer um favor aos corruptos? Ou sabe? – o que é pior.

Comments

  1. martinhopm says:

    É minha opinião que sabe.

  2. doorstep says:

    Sabe… Se sabe! Paulo Morais é peça duma operação de agitação histriónica e inconsequente de um tema que leva à sua sua desvalorização (“lá vem o gajo com as mesmas chachadas”), e que por outro lado consagra o trompetista como CACO – Chief Anti-Corruption Officer (são sempre “officers”, nunca são sargentos nem cabos), com quem haverá que contar quando se projectam certos esquemas.

    Nada de novo – o esquema é tão só o da Transparency International, cujos sponsors principais (ver relatório anual) são a nata de quase todas as corrupções activas de peso que grassam pelo planeta.

  3. Ausente52 says:

    Se um Paulo incomoda, um Paulo Morais incomoda muito mais.
    Pobre gente que gosta de conviver com a corrupção.

  4. Socialista sempre. says:

    Quem muito fala pouco acerta. Este srº é candidato a 1º ministro,ou é mais um charlatão ( tipo paulo portas ?)

  5. Pedro Marques says:

    Só o facto de ter estado no psd, e só ter saído porque não conseguiu subir e só depois de sair é que descobriu que havia corrupção. Da-que pensar.