Daryush Valizadeh, o misógino que vive na cave da mãe

Roosh

Se achava que a visão que Pedro Arroja tem do papel da mulher na sociedade era radical e idiota, espere até conhecer Daryush Valizadeh, um blogger norte-americano de 36 anos que defende que a mulher deve ser tratada como algo descartável e substituível, servindo para pouco mais do que “retirar o máximo prazer sexual possível”. Um conselho para os homens? Estar disposto a abandonar qualquer mulher. Uma causa? Legalizar a violação dentro de casa. Sim, esta coisa existe mesmo.

Roosh V, o nome do indivíduo na blogosfera, apresenta-se como criador de uma nova filosofia de vida, a neomasculinidade. Apesar de habitar nos EUA, esta coisa afirma odiar o Ocidente. E porquê? Será a corrupção política que o incomoda? Será o sistema financeiro terrorista? Nada disso: a razão para o ódio de Daryush reside o facto de a sociedade ocidental ter desvirtuado a mulher. Deu-lhe direitos e coisas dessas. O ultraje dos tempos modernos.

Mas a demência desta espécie não se fica pelo ataque às mulheres. Roosh V também organiza encontros para homens, supostamente a sério, onde a entrada está barrada a mulheres, homossexuais e muçulmanos “que estão a invadir vários destes países e a deixar-nos desconfortáveis”. Nota de humor: esta personagem não só é muçulmana como se identifica com os ideais de Donald Trump, que como sabemos também é um grande apreciador de tudo o que é árabe. Misógino e idiota. Excelente!

Mas por trás de um anormal destes, com pelo na venta para dar e vender, existe sempre um telhadito de vidro. É que o neomasculino Roosh V vive na cave da casa da mãe. Os engates devem adorar. Será que ainda leva umas palmadas no rabo? Isso explicaria, em parte, a diarreia mental. Será que também descartou ou substituiu a mãe ou terá ficado com receio de ter que dormir na rua.

Comments

  1. Fernando Cerdo says:

    Cuidado que muitos destes personagens “online”, especialmente aqueles que recebem uma cobertura mediática internacional que os distingue dos milhões de loucos que debitam os seus vómitos na internet sem promoção mediática internacional, não são nada mais que personagens fictícias criadas pelos departamentos de operações psicológicas/contra-informação de serviços como a CIA, NSA, MI6, GCHQ, Mossad, etc. A referência a árabes e muçulmanos sugere que tal poderá eventualmente ser o caso aqui, sendo a Mossad e os serviços israelitas grandes mestres nesta arte.

  2. tancredo says:

    Se Hillary ganhar, oxalá que sim, faz-lhe a folha.

  3. Konigvs says:

    Numa sociedade em que, pelo menos, mais de 90%, diz acreditar num conjunto de livros, supostamente sagrados, de teor altamente machista e misógino, surpreendem-se agora quando alguém segue essa mesma corrente de opinião!

    Deus, muito antes dos blogues, a misoginar desde menos infinito! E nem é preciso darem-se a trabalho de folhear muito. Logo nas primeiras páginas, no primeiro livro da palavra d’ Ele diz o seguinte:

    “E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.” (Génesis 3:16)

    Um blogger misógino. Grande merda! Deus já o faz desde… sempre!