O candidato é da Iniciativa Liberal, o discurso é do Chega

Como em qualquer partido, existe, no IL, gente boa e gente menos boa. Pessoas honestas e trafulhas. Gente trabalhadora e parasitas sociais. Pessoas verdadeiramente liberais e aspirantes a tiranetes, para quem o liberalismo se resume a pagar menos impostos e a impor uma selva económica onde impere a lei do mais forte, restando ao mais fraco o tradicional “desenmerda-te”.

Não sei em qual das categorias se insere o candidato da IL à CM de Viseu, se é que em alguma, mas sei isto: alguém que se refere às suas adversárias políticas como “as mal fodidas das fachistas feministas de género” não fala o idioma do liberalismo. Fala o da extrema-direita. E não, não se trata de um caso isolado. Não é a primeira vez que Fernando Figueiredo usa este tipo de discurso onde o ódio, a misóginia, o insulto e/ou a javardice em bruto andam de mãos dadas. Talvez por isso a sua conta no Twitter tenha sido desactivada. Porque se o candidato é da Iniciativa Liberal mas o discurso é do Chega, não estamos apenas perante uma incoerência. Estamos perante uma fraude ideológica. Ou, quiçá, perante uma tendência que vamos vendo um pouco por toda a Europa, protagonizada por autocratas que desprezam a liberdade e a democracia, mas que não deixam de servir os interesses económicos da elite que nos comanda. Liberais na economia e fascistas – assim mesmo, com “sc” – nos costumes.

É por estas e por outras que o MEL tem tudo para correr bem. Em particular para André Ventura.

Pelo Direito à Estupidez

pedro_arroja
O misógino Pedro Arroja na vanguarda da modernidade, sempre.

Daryush Valizadeh, o misógino que vive na cave da mãe

Roosh

Se achava que a visão que Pedro Arroja tem do papel da mulher na sociedade era radical e idiota, espere até conhecer Daryush Valizadeh, um blogger norte-americano de 36 anos que defende que a mulher deve ser tratada como algo descartável e substituível, servindo para pouco mais do que “retirar o máximo prazer sexual possível”. Um conselho para os homens? Estar disposto a abandonar qualquer mulher. Uma causa? Legalizar a violação dentro de casa. Sim, esta coisa existe mesmo.

Roosh V, o nome do indivíduo na blogosfera, apresenta-se como criador de uma nova filosofia de vida, a neomasculinidade. Apesar de habitar nos EUA, esta coisa afirma odiar o Ocidente. E porquê? Será a corrupção política que o incomoda? Será o sistema financeiro terrorista? Nada disso: a razão para o ódio de Daryush reside o facto de a sociedade ocidental ter desvirtuado a mulher. Deu-lhe direitos e coisas dessas. O ultraje dos tempos modernos. [Read more…]

Um homem com ideias e uma menina para atender o telefone

Consiste uma das minhas inúmeras manias  no facto de o duche matinal ter de ser acompanhado pelas notícias da rádio. Se não consigo encontrar o rádio (levo-o para todos os lados da casa), ou se as pilhas estão descarregadas, não posso tomar banho até resolver o problema. Para mim, tomar banho depende tanto da existência de água e sabonete como de um transístor ao pé do chuveiro.

Isto traz os seus amargos de boca, claro está, porque tendo a começar o dia com uma voz a anunciar-me que o PSI20 está em queda e que a bolsa de Lisboa abriu no vermelho, conceitos demasiado abstractos para mim, confesso. Ou que há complicações de trânsito na Avenida AEP, por onde raramente passo, ou no IC24, por onde não passo nunca. [Read more…]