ADEUS (2)

Amizade

Amizade

Comments

  1. Carvalho says:

    Triste povo que tal traste elegeu.
    Este ser arrogante e ignorante, abrutalhado e mal-educado nunca deveria ter chegado aos cargos a que chegou. NUNCA!
    Diz-me quem eleges e dir-te-ei quem és…

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    À mulher de César não basta sê-lo … Ou se quisermos podemos aplicar a filosofia popular : “Tão bom é o que rouba como o que fica à porta”.
    Temos que agradecer ao povo estes dizeres para compensar a sua fraca escolha… Este senhor que aqui aparece sentado é a figura política mais negra depois do 25 de Abril. E ainda assim, teve quatro maiorias absolutas.
    Grande povo que lhe sobra em filosofia, o que lhe falta em consciência.

    • J.Ribeiro says:

      Não confunda Filosofia com a ignorância dos ditados populares que não passam de palavras que, de modo acrítico e acéfalo, os ignorantes vão memorizando, as mais das vezes sem entender o significado, e que vão repetindo a propósito e a despropósito.
      “Aprender até morrer” e “Burro velho não aprende línguas” são exemplos de contradições que revelam ignorância e afirmações sem sentido nenhum.
      Filosofia é algo sério. Ditados são senso comum, sem autor nem verdadeira sabedoria.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Eu não confundo nada.
        O que me parece é que o caro J. Ribeiro não percebeu o que escrevi que nada tem a ver com filósofos.
        A sua achega parece-me ser do tipo mesteiral, considerando o que está em discussão. Mas é uma opinião e ainda que a despropósito, no meu modo de ver, aceito.
        Em todo o caso, o que se discute ou seja, o post em questão, é uma coisa bem diferente e o que escrevi temn só e apenas a ver com isso.
        Dito de outra forma, o Sr. fica com a sua fiilosofia, eu fico-me com a aplicação.
        Mas fico contente por vê-lo escrever os tais ditados populares que aqui coloco com sua licença …” “Aprender até morrer” e “Burro velho não aprende línguas” são exemplos de contradições que revelam ignorância e afirmações sem sentido nenhum”. Sobretudo fico satisfeito pela sua autocrítica que manifesta e aparece em … “não passam de palavras que, de modo acrítico e acéfalo, os ignorantes vão memorizando, as mais das vezes sem entender o significado, e que vão repetindo a propósito e a despropósito”.
        Cumprimentos

        • J.Ribeiro says:

          Você, Ernesto Ribeiro, apesar de ter um bonito apelido, deve ter, também, a mania de que é bom e mais inteligente que os demais. O seu tom arrogante não engana ninguém.
          Peneiras e água benta… são consigo, não são?
          Não o cumprimento, não tenho cumprimentos para desperdiçar.

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            O Sr. é um malcriado e nota-se que quando fala de arrogância, sabe bem do que fala. De inteligência, já não estou certo.
            A educação cabe em todo o lado.
            Cumprimentos.

          • joão lopes says:

            o comentador ernesto tem criticado a falta de cultura democratica,civica e politica do povo português.o que diga-se é verdade;nada a ver com criticar o alentejo por ser uma terra de suicidas(caso rapaso) que é o cliche mais velho do mundo.no primeiro caso temos a consequencia do desinvestimento na educação;no segundo caso,temos a (má) educação(que a teve,graças aos pais) que mantem o preconceito(eles são preguiçosos,é um exemplo) como forma de manter uma sociedade por castas(que ainda é a portuguesa)

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Caro João Lopes.
    Com toda a honestidade, não entendi o seu comentário.

    • joão lopes says:

      manter um povo na ignorancia democratica,civica ,e com muita intriga,mantem o status quo actual.enquanto os previlegiados se vão literalmente rindo desta choldra toda.ex:maria luis ou henrique raposo

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Estamos completamente de acordo.
        Obrigado pelo esclarecimento.
        Cumprimentos.

        • J.Ribeiro says:

          Caro Ernesto “Educadinho” e “Culto” Ribeiro:
          sabe onde pode meter a sua auto-proclamada educação? Precisa de um desenho?
          Santa paciência para aturar estes palermas que por aqui andam…

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            Como manifestamente não entendeu, desculpe a repetição:
            O Sr. é um malcriado.
            E repito ainda, porque manifestamente também não entendeu :
            A educação cabe em todo o lado.
            Cumprimentos.

          • J.Ribeiro says:

            Mas quais filósofos? Há aqui algum filósofo?
            A arrogância agora deu-lhe para me chamar filósofo? Daqui a bocado vai chamar homem honesto ao Pinto da Costa, não?

        • J.Ribeiro says:

          Pois sou, sou um malcriado. E então? É o meu direito a ser aquilo que me apetecer e você não tem nada a ver com isso nem eu tenho satisfações a dar-lhe, seu facharrão prepotente.
          Mas você também o é, porque palavrinhas mansas envoltas em intenções nefastas e arrogantes não são boacriação, são pura ordinarice, do mais rasco. E é isso que você é, seu arrogante da treta. Você acha que as suas doutas opiniões interessam a alguém? Vá dar uma volta ao bilhar grande! Grande bimbo!!!

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            O verniz nestes filósofos estala a uma velocidade surpreendente.
            Não se pode pedir ao limão que dê sumo de laranja.
            É dos livros…

          • J.Ribeiro says:

            Não é uma questão de verniz (até porque não o tenho, o Senhor esgotou todo o verniz em si, lembra-se?); é uma questão de não haver pachorra para aturar palermas da sua estirpe, arrogantes e auto-convencidos. Vá, vá lá masturbar-se em frente do espelho, vá…

  4. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Sr. J. Ribeiro.
    O Sr é manifestamente uma pessoa doente.
    Porque não tratar-se?
    Não perca mais tempo comigo e verá que fará de uma só assentada duas pessoas felizes.

    • J.Ribeiro says:

      Está combinado. É tão fácil não perder tempo consigo, não lhe atribuir qualquer importância. Difícil seria o oposto…

  5. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Excelente. O Sr, às vezes até parece inteligente.

    • J.Ribeiro says:

      É engraçado, o senhor também me parece inteligente, às vezes. Mas depois acordo e vejo que não, era só ilusão. Foi pena.
      Bom, e agora a brincadeira acabou. Alguém tem de trabalhar neste país.
      Só estive a brincar consigo, nada de mais. Para desanuviar. Estas coisas da Internet têm disto. Nada me move contra si nem contra ninguém.
      Cumprimentos.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        O Sr. J. Ribeiro expõe o seu discurso ao modo do ferrador: dá uma no cravo, outra na ferradura.
        Enfim, modos de encarar a vida.
        Relativamente à sua inteligência, eu não preciso de estar a dormir ou acordado para saber quanto ela vale, nem tenho qualquer ilusão quanto a isso.
        A brincadeira, como lhe chama, tem sempre associada a si uma dose de bom gosto que, no seu caso, é tão seca, tão seca que depois de ler os seus comentários, fico cheio de sede. Mas depois dou comigo a pensar que a água faz bem à saúde e portanto as suas tiradas são um autêntico bálsamo salutar, motivo pelo qual lhe agradeço.
        Esteja à vontade para desanuviar, mas seja educado. É o mínimo que se lhe pede.
        De resto nada tenho contra si. Só tenho contra o Cavaco e esse, era o motivo do post. Já viu o tempo que perdemos.?
        Fique bem.
        Cumprimentos.