Diminua o seu QI

Fantástico produto para aqueles que, como eu, têm dificuldade em suportar a corrupção, os permanentes enganos, os talibans da política de caminho único, a ausência e incapacidade de debate, a intolerância face à diferença, a ausência de solidariedade, a ausência de responsabilidade e responsabilização, o amiguismo, a falta de seriedade e de princípios, etc. Estamos em minoria e a única forma de não criar problemas e viver feliz é o MinusIQ.

MinusIQ – “The world’s a much brighter place when you’re not too bright for it.”

 

Comments

  1. joaovieira1 says:

    Interessante o seu comentário, aliás, imbuído de um humor fino. Cuidado, no entanto, pois, por mais tentador que seja pensar que existem formas mágicas e/ou artificiais de se atingir uma felicidade e harmonia q.b., sobretudo, quando não se tem inteligência, talento, sensibilidade e amor ao trabalho capazes e bastantes, tudo se complica, quando a sociedade em que se nasce e vive é, de raiz, profundamente, desigual e injusta, por ex: como a portuguesa que o seria, ainda mais, se não fosse o 25 de Abril/74 e a CRP. Na verdade, sendo complexo e extremamente difícil viver numa sociedade como a nossa, nada substitui a liberdade, capacidade e competência que os cidadãos/ãs devem cultivar e assumir com vista a preservar os seus equilíbrios dinâmicos a nível pessoal, familiar, profissional, social, político e cívico. No nosso caso, mais do que a estupidez, é a inteligência que é comum à maioria esmagadora dos portugueses/as. A actuação de uma classe política iníqua e corrupta, mancomunada com interesses empresariais e financeiros da mesma jaez, dentro e fora do país, é que fazem a verdadeira diferença, aquela que, há décadas, vem penalizando, fortemente, todos os que, não aguentando tanta obscenidade, procuram isolar-se, social e politicamente, sofrendo na pele os efeitos da crise. Para que a classe política mude, têm de ser os cidadãos/ãs a mudar primeiro. A democracia, por mais controversa e polémica que seja, assim, o exige. O resto são os autoritarismos ou mesmo ditaduras de direita ou de esquerda que espreitam.