Sanções da CE a Portugal: aí está a represália proposta


Jyrki Katainen

Imagem: Vídeo SIC

A senda contra Portugal continua. Sim, Portugal, porque quando há ataques não há governos, mas sim portugueses.

A SIC trouxe o tema para a mesa e a restante comunicação social, via Lusa, repete o bordão.

A Comissão Europeia está mesmo a preparar-se para suspender a comparticipação nos fundos europeus a Portugal. É o próprio vice-presidente da Comissão Europeia, Jyrki Katainen, quem o assume numa carta ao presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, em que indica desde já 16 fundos ou programas estruturais europeus que devem ser suspensos. [SIC]

Há algumas notas interessantes quanto a este assunto. A primeira, e mais relevante, é que não importa se está o país está a ir mais direito ou mais torto em termos económicos. Ao que parece, e contrariamente ao que a opinião de direita diariamente anuncia, as coisas nem estão melhor nem pior. Vai-se gerindo. É factual que Schäuble não gosta deste governo e está actuar para lhe dificultar a vida.

A segunda observação é sobre o cinismo da união, na personalizado num politicozeco que ninguém conhece, Katainen, o qual afirma que “o que interessa é que todos os estados-membros sejam tratados de forma igual”, como se não existissem as excepções para a França e para a Alemanha, bem como as pinças com que a Itália é tratada.

Por fim, todo este processo, Der Prozess, mais apetece dizer, faz lembrar a antiga lei de prender aqueles que não conseguiam pagar as dívidas. Ao serem presos é que não as iriam mesmo pagar, mas imperava a moral da punição. Suspender a comparticipação dos fundos europeus a Portugal é um contributo efectivo para que se falhem as metas do défice, assim abrindo a mais sanções até que o governo caia e volte ao poder a direita de Schäuble.

Uma nota final sobre a cobertura mediática de fuga de informação. Ao escrever este post, apenas encontro um artigo da Reuters, do passado dia 20, vago e na linha do que tem sido dito até agora. Contrasta com o afinco com que a notícia apareceu, logo num dos países que mais tinham a ganhar com um não levantar ondas que assustem os medricas dos mercados. Coincidências nestas fuga? As conclusões são de cada um.

Comments

  1. Hipócritas says:

    Tinha que ser, são mesmo uns hipocritas! Todos disseram que não se deve ter medo da Europa, que a Europa não é para sanções ou que portugal não merece sanções ou que são contra sanções a portugal e etc. E evidentemente a decisão é de sanções sempre foi o que procuraram, o resto é histórias. O futuro de portugal na Europa pode-se ver na Grécia

  2. fleitao says:

    Do que eles gostavam, em Bruxelas, era dum país inteiro de Passos, Portas, Maria Luís e Cristas. Em resumo: um rectangular capacho à beira mar colocado. Filhos duma cabra velha e dum bode centenário.

  3. Anti-pafioso says:

    A quadrilha de malfeitores continua a atacar . F D P .

Trackbacks

  1. […] Com este artigo no Expresso, eis desmontado o que cheirava a esturro. […]

  2. […] o jornal PÚBLICO deu grande destaque às supostas sanções de Bruxelas. No online, teve direito a ser o artigo mais destacado durante a tarde de […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s