No regresso para

«No regresso para em Lourenço Marques para visitar uma irmã». Efectivamente.

Comments

  1. Hélder P. says:

    Por vezes tenho mesmo dificuldade em ler e interpretar esta novilíngua que o AO criou. Os casos são muitos e caricatos.
    Esta não é a minha língua materna.

  2. Fernando Antunes says:

    Nunca irei usar o AO. É um caos em todos os sentidos, não tem ponta por onde se pegue, e o Brasil está-se a marimbar para isso. Qual era o objectivo mesmo? Criar uma trapalhada em documentos oficiais (para além de publicações, televisões, etc) em que cada cabeça, sua sentença?

    O resultado é já ninguém, nem mesmo professores, ter certezas quanto à ortografia correcta do que escrevem. É pena porque até era uma língua bonita…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.