Indignações selectivas

Leio com frequência nas redes sociais e até jornais com alguma frequência, acusações aos governos da Polónia e Hungria. Longe de mim recomendar tais políticos, mas não posso deixar de apontar que uma jornalista é barbaramente assassinada em Malta após denunciar práticas de corrupção envolvendo vários membros do governo socialista, mas pouco destaque o assunto mereceu em Portugal por parte dos activistas, paladinos dos valores civilizacionais e outros indignados com a sua costumeira hipocrisia…
Não faltam vozes indignadas com a atribuição de vistos gold em Portugal, como se fosse um caso raro na Europa, quando a prática se não está generalizada é no mínimo comum a vários países. Uma vez mais Malta vai mais longe, não se limitando à atribuição de visto, mas vendendo cidadania. A tão propalada quanto falsa superioridade moral da esquerda opera verdadeiros milagres e compra silêncios cúmplices…

Comments

  1. ganda nóia says:

    selectivo, como sempre, é o almeida. essa senhora denunciou, não práticas de socialistas ou floriculturalistas, mas o que se passa no mundo dos paraísos fiscais, lugares tão do agrado de gente como o almeida.

    depois também é conveniente o almeida chamar “esquerda” ao que não é esquerda. o ps? talvez a secção mais à esquerda do ps seja esquerda. a secção francisco assis é centro-direita.

    outra vez o almeida a virar o bico ao prego, como sempre. e pelo meio, relativizar a ascensão da extrema direita e do fascismo na europa, causados precisamente pelas imbecilidades liberais que corroeram a social democracia europeia.

    e ainda consegue esquecer que por exemplo a líder do Bloco ainda há dias trouxe à agenda mediática a permeabilidade do ps às negociatas. por isso, almeida, sugiro que procures um pouco de coerência. coisa que tem andado arredada do aventar…

  2. Fernando says:

    Por falar em práticas generalizadas…
    Capitalismo conviveu muito bem com a venda de escravos, mas só porque era uma prática generalizada não fazia dela uma boa prática.

    Ou seja, o argumento do “eu faço porque todos os outros fazem” é um argumento medíocre. Para alguém como o António, sempre tão lesto a defender o individualismo puro e duro, defender o comportamento de manada fica-lhe mal…

    • JgMenos says:

      O capitalismo e a venda de escravos sempre incorpora a atribuição de valor.
      Já o Gulag socialista escraviza sem mais…

      • ZE LOPES says:

        Brilhante! Nunca tinha pensado nisso! A superioridade do capitalismo reside na existência de contabilidade!

      • ZE LOPES says:

        Ah! E para quem é escravizado a diferença é enorme!

      • ZE LOPES says:

        A solução será, então, a privatização dos Gulags. Se é que Putin não a fez já.

      • Fernando Antunes says:

        Atribuição de valor para quem? Para o escravo não é com certeza!

        A Direita é useira e vezeira em falar de valor (leia-se, lucro para o patrão) como se fosse um bem em si mesmo, e a negar a existência de quaisquer outros valores.

        Foi um momento hilariante (e triste, ao mesmo tempo)

  3. Paulo Marques says:

    Porque Malta não interessa nem ao menino Jesus e de paraísos capitalistas não se espera outra coisa.
    Já socialismo… lol.

  4. ZE LOPES says:

    Mais uma almeirada!

    Parece que V. Exa. é que apenas hoje acordou para o assunto. Uma pergunta: esteve a ver o mesmo programa na RTP3 que eu? Ah!

    Então o que está a dizer é uma mera manipulação!

    Este caso já foi objeto de post e comentários neste blogue. E não foi propriamente gente de direita que o colocou e comentou.

    Chamei até a atenção para o facto de Malta se ter tornado o “paraíso” das empresas de apostas “on line” com tudo o que isso traz consigo, nomeadamente máfias de todo o tipo. E porque é que isso acontece?

    Pois, porque são muito bonzinhos e cobram impostos baixinhos e não chateiam com regulação essas empresasinhas de jogo. Ou seja, é o paraíso com que V. Exa tanto tem sonhado! Aquele que atrai os tais capitaizinhos mafiosos!

    Além do mais, se V. Exa. se tivesse informado saberia, nomeadamente que a deputada Marisa Matias inclusivamente preconizou uma investigação internacional ao que se passa em Malta, sugerida por vários diretores de jornais de referência de diversos países. Não diga que a esquerda não denunciou o caso, porque é uma redonda mentira!

    E quanto á venda de cidadania: olhe, é uma forma de competir e tal com esses países e tal que confiscam a riqueza dos cidadãos e tal…

  5. atento às cenas says:

    você tem o condão de me deixar a pensar…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.