Padres pedidos: «Era o João Pinheiro por favor» (sim, «o João pode ser»)

Há umas semanas, Luís Filipe Vieira, coagindo os poderes instituídos (porque quem pode, pode), queixou-se de que o árbitro João Pinheiro nunca apitava o Benfica.
Hoje, Fontelas Gomes, o Presidente do Conselho de Arbitragem, fez-lhe a vontade. Foi o que se viu: 2 expulsões perdoadas a jogadores do Benfica por agressão, na primeira parte; golo do Benfica num fora-de-jogo igual ao do Benfica – Portimonense do «aguenta aguenta»; golo anulado ao Estoril por mão; penalty perdoado ao Benfica por mão de Luisão exactamente igual ao golo anulado ao Estoril  e ao do FC do Porto – Benfica.
Na BTV,  o antigo árbitro António Rola já disse: «É um árbitro promissor». Está tudo dito. João Pinheiro tem 29 anos, vão ser mais 16 disto.
E o VAR, esse ceguinho, não viu nada. Nunca vê nada. No campo, é um ser humano e o caralho, tem o direito de errar. Na televisão, é o quê? Neste caso, é Manuel Oliveira, aquele que na época passada não viu 3 penaltys a favor do FC do Porto contra o Setúbal. 7 jogos a apitar o Benfica, 6 vitórias e 1 empate, sendo que nesse empate marcou um penalty que salvou o Benfica da derrota (o resumo desse jogo é qualquer coisa) a 5 minutos do fim- aí, já viu. Também está tudo explicado.
Fontelas Gomes, o tal que ficou a saber nesta semana que o Benfica monitoriza as tatuagens da sua esposa, Dina Mimoso, deve estar a dar pulos de alegria. As suas nomeações continuam a dar os resultados pretendidos. Semana após semana.
Como dizia outro antigo árbitro, o Benfica vai ter os padres que escolheu e ordenou, nas missas que celebrou. E nem precisa de jogar bem.
Só mesmo neste charco putrefacto que se chama Portugal é que um árbitro apanhado a pedir favores ao Benfica pode apitar impunemente um jogo desse mesmo clube e passar o jogo a roubar a seu favor. É obra e mostra uma sensação de impunidade tal que, a sério!, ultrapassa a minha compreensão. Isso e um Presidente do Conselho de Arbitragem escolher para um clube o árbitro que o presidente desse clube escolheu publicamente. Sim, o João pode ser.
E para o Setúbal – FC do Porto de amanhã, sr. Fontelas Gomes, qual é o padre que nos está reservado?

O PS é permeável aos grandes interesses económicos. Qual é a novidade?

Ontem, ou talvez até na Quinta-feira, recebi uma notificação de um jornal, penso que do Diário de Notícias, que fazia referência à tensão no seio do PS, a propósito das declarações de Catarina Martins. Fui espreitar, curioso, e percebo que fui enganado. Afinal, era apenas Francisco Assis a exigir que o seu partido defendesse a sua honradez. E todos sabemos que Assis é tão representativo deste PS como Pacheco Pereira do PSD passista.

Como ainda não tinha ouvido as declarações da líder do Bloco, aproveitei a deixa. Vou a ver e a senhora não diz nada de novo. O PS é permeável aos grandes interesses económicos? Oh my fucking God, por esta é que eu não esperava! Qual é mesmo a novidade? [Read more…]

Não vão os afectos dar para o torto

Marcelo Rebelo de Sousa contratou José “Zeca Mendonça” Nunes.

«Instant Karma’s gonna get you»

cantava o Lennon, João. Essa da «bola a bater na barra e depois dentro da baliza» é mais Karma vossoabre os olhos, Olegário

Federalismo, uma ameaça para levar a sério…

Martin Schulz foi derrotado nas eleições alemãs, que não me interessam rigorosamente para nada, mas pode vir a fazer parte do próximo governo em coligação com Angela Merkel ou quem sabe, caso a actual chanceler não consiga apresentar uma solução até podem vir a ser convocadas novas eleições e se os eleitores entenderem Schulz até pode acabar chanceler. Ora para consumo interno os alemães que decidam, mas sabemos o papel da Alemanha na U.E. e quanto esta se tem tornado uma entidade cada vez mais omnipotente e omnipresente na vida dos europeus. [Read more…]

Postcards from Greece #32 (Thessaloniki)

Não sei onde vão os pássaros ao por do sol, em grandes bandos

Este slideshow necessita de JavaScript.

que avisto daqui da minha breve varanda em Salónica. Todos os fins de tarde em que estou em casa assisto à dança dos pássaros, centenas deles, voando em grupo ao por do sol, dirigindo-se não sei bem para onde. Nunca soube onde vão os pássaros, nesta azáfama ao por do sol, em parte alguma. É, no entanto, uma coisa digna de ser vista, sobretudo por cima da igreja de São Demétrio aqui em frente e, sobretudo, recortando-se contra o céu que se tinge de cor de laranja ao mesmo tempo que as antenas de televisão.

[Read more…]