Robles, hienas e abutres

Foram de árduo trabalho, estes últimos dias em que as hienas e os abutres saíram à rua para tentar convencer os portugueses que o caso Robles coloca o Bloco de Esquerda no mesmo patamar dos antros de contradições, desonestidade, tráfico de influência e corrupção em que se transformaram, há décadas, os partidos do chamado “arco da governação”, apesar de ainda lá resistirem algumas pessoas de bem.

Foi hercúleo, o esforço empregue pela imprensa arregimentada à direita – que é quase toda, apesar da trampa lusitana que se esforça por aldrabar as ovelhas do contrário – pelos painéis de comentadores televisivos, onde o CDS-PP parece ter a dimensão do PSD e do PS, e pelos opinadores virtuais independentes com cartão de militante, que alternam, quais alternadeiras, entre contas pessoais e perfis falsos de patifaria eleitoral.

Durante os dias quentes da polémica, Ricardo Robles disputou espaço mediático com Cristiano Ronaldo. Sim, chegamos a esse ponto. O sistema não podia perder a oportunidade de tentar destruir o Bloco de Esquerda. Foi o que foi. E só foi porque Robles assim o quis. O agora ex-vereador bloquista, que fez campanha com o foco na oposição à especulação imobiliária, era afinal um especulador imobiliário. Uma vergonha. Uma facada no partido que representa. Um dos piores momentos de sempre do Bloco de Esquerda, talvez o pior. Mas, ainda assim, a anos-luz da canalhice a que nos habituou a fina-flor da elite que vem comandando o bloco central, táxi incluído.

Felizmente, não somos todos palermas manipuláveis, boys a salivar por tachos ou carreiristas sem espinha dorsal. Felizmente, nem todos temos memória curta. Porque, ao contrário do PS, do PSD e do CDS-PP, não há nem nunca houve um único dirigente bloquista envolvido em casos de corrupção activa ou passiva, em fraudes bancárias como o BES ou o BPN, em negociatas público-privadas de traficantes de influências ou noutras criminalidades de colarinho branco, que fizeram milionários tantos chico-espertos do bloco central. Percebem a diferença?

Não, o BE ainda não é igual aos restantes. Como não o é o PCP. Outros dedos se lhes poderão apontar, é certo, mas se o tema são as contradições e a desonestidade no exercício de cargos públicos, ainda não é desta que o Bloco entra no campeonato do bloco central. Ainda tem muita sopa para comer, muitos dirigentes para ser corrompidos, muita influência para traficar e muitos recursos saltear aos portugueses. Não, não estou a falar de culinária. Estou mesmo a falar dos milhões que as redes de clientelas do PS, PSD e CDS-PP roubaram aos portugueses desde a década de 70. Roubos esses que as hienas e os abutres gostam de tratar como casos isolados, ao contrário daquilo que foi feito com o caso Robles, não vá o chefe cortar o cartão de crédito aos pulhinhas.

Até porque, se quisermos colocar o BE no mesmo patamar que PS, PSD e CDS-PP, se o caso Robles ilustra, como tantos defenderam por estes dias, aquilo que é o BE, então o PS é um partido de Josés Sócrates, o PSD um partido de Dias Loureiros, e o CDS-PP um partido de Jacintos Leite Capelo Regos. Se é para ser parvo e para fazer os outros parvos, façamo-lo em grande!

O quê?

Não convém?

Claro que não convém, meus pequenos corruptos. Lá se ia o vosso modo de vida!

Quando Cavaco Silva veio a público dizer aos portugueses para confiar no BES, já o império do Dono Disto Tudo se afundava, não me lembro de ver nenhuma destas hienas ou abutres, financiados pelos mesmos que financiam os partidos a quem fazem fretes, fazer este exercício de obediência canina, ou acusar o PSD de estar acabado porque, naquele momento, todo o laranjal era feito de Cavacos irresponsáveis e desonestos. Não me lembro de ver a imprensa em peso, com jornalistas armados e comentadores e comentadores armados em virgens ofendidas, a destruir Cavaco Silva em uníssono, apesar da relação privilegiada entre Cavaco e Salgado. Acontece que o incómodo é já impossível de disfarçar. Porque o novo normal poderá acabar com o arranjinho de décadas, e a experiência da Geringonça, que poderá muito bem repetir-se em 2019, está a deixar corruptos e clientelas nervosas. E isso são excelentes notícias para quem está farto de ser roubado pela mesma escumalha.

Comments

  1. Carlos Almeida says:

    Muito bem, João Mendes

    É claro que o CDS iria tentar tudo para deitar abaixo um partido de esquerda, quanto mais não seja para não voltar a ser o partido do taxi, se ficar em ultimo lugar nas próximas eleições.
    Para a Cristas, estas oportunidades são únicas e têm que ser aproveitadas, não a podemos criticar
    Igualmente o Partido do Marcelo Caetano recauchutado, dito PPD, alias PSD, também ia aproveitar para malhar no BE e por uns momentos esquecer-se que é composto fundamentalmente pelo Gang do BPN. Mas também não os podemos criticar, por se aproveitarem das falhas.

    Afinal de contas, este lamentável episódio do Sr Robles, veio demonstrar que os partidos de esquerda têm que estar atentos a quem lá metem. Há por aí muito menino betinho a querer ser protagonista e se tiver treta entra no Bloco ou noutro de Esquerda, a “vender” ideias completamente ao que pensa e ao que faz, desde que isso lhe dê algum prestigio e taxo.
    E os revisas também a esfregar as mãos de contentes. Estava-me a esquecer dessa malta, que não não brinca em serviço.
    Perfis como o do “Robles” não teriam lá grande futuro.

    Essa gente tem que ser filtrada, senão acontece o que aconteceu ao PS a seguir ao 25 de Abril, que todo o lixo de direita entrava, incluindo os que tinham sido bufos e informadores da Ex-Pide, uns meses antes.
    Felizmente no Bloco ainda há uma Esquerda residente, que neste caso alertou logo as meninas de que a coisa não estava certa. Estou a falar do Fazenda.
    O nucleo duro da Esquerda tem que estar atento aos Robles, porque vão aparecer mais

  2. Miguel Bessa says:

    Claro que o bloco é diferente da direita.
    Em 1o lugar nunca teve poleiro. E mesmo sem ter poleiro viu se. Sai um emprestimo de 500m para quem declara 2000?
    Em 2o lugar os partidos de direita não criticam quem tenta fazer dinheiro com negócios legais.
    3o os partidos de direita não reclamam para si o “moral highground” da nação. A esquerda ama o povo mas não as pessoas que constituem o povo.

    • Paulo Marques says:

      “viu se”
      Viu-se o quê? O empreendedorismo a que o país é alimentado à força à 7 anos?

      “Em 2o lugar os partidos de direita não criticam quem tenta fazer dinheiro com negócios legais.”
      Claro que não, fazem um RERT, apagam o registo e pedem o dízimo ou o tacho.

      “3o os partidos de direita não reclamam para si o “moral highground” da nação. ”
      O viver acima das possibilidades é o quê? O preguiçosos aos empregados e desempregados é o quê? A peste grisalha é o quê? A caça ao funcioário público, com enfâse nos professores, é o quê? Só amor, parecem hippies.

  3. JgMenos says:

    Deixa-te de tretas, Mendes.

    Quem se arma em virtuoso anticapitalista e se mete a negócios especulativos merece que o critiquem. E as justificações não existem senão pela falsidade e triste figura.

    É evidente que sendo a esquerdalhada uma contradição de termos – humano / solidariedade mística – só pode dar nestas cenas.
    E se há poucas é porque são poucos e se notam menos.

    • Carlos Almeida says:

      Sim senhor, Sr JgMenos

      Na sua opinião é a direitalhada (usando a sua peculiar classificação) que não é uma contradição, mas sim um exemplo de “termos – humano / solidariedade mística”, seja lá o que isso signifique.

      Diga lá isso aos dirigentes sionistas de Israel, que ocupam as terras dos outros e quando estes protestam pacificamente, mandam a tropa armada disparar contra mulheres e jovens desarmados.
      Será este o seu exemplo em “termos – humano / solidariedade mística” ?????

      Para a direitalhada deve ser

    • Paulo Marques says:

      O BE é anticapitalista desde quando?
      E por falar em contradições… onde está o crescimento europeu, alguém o viu?

    • ZE LOPES says:

      Parece que o Robles foi criticado, porque mereceu. Ficamos à espera que a especulação da direitrollada também seja posta a nu, desde que mereça. E pelos mesmos, é de exigir!

      Sim, porque Robles, afinal, foi denunciado por ter agido em nome próprio – dele e familiares. Não se acoitou por detrás da fachada do “testa de ferro”, da Sociedade Anónima ou do “Off-shore”. Nisso foi ingénuo. A direitalhada “do it better”…

      Robles também foi ingénuo ao ponto de defender publicamente a intervenção do Estado no sentido de por cobro aos negócios de que ele próprio beneficiava. Mas a direitalhada não lhe fez a vontade, vá lá saber-se porquê! Pode ser que fosse apenas para apanhar Robles em flagrante. Ultrapassada essa fase Cristas e Cª vão cair pesadamente em cima da especulação! Deixem lá passar as férias e vão ver!

      “Quem se arma em virtuoso anticapitalista e se mete a negócios especulativos merece que o critiquem”. Ora aí está. Para o direitrolla Menos o problema não é a especulação. Isso é normal e natural. O problema é ser um “virtuoso anticapitalista” a fazê-la. Se for um mafioso pró-capitalista já está tudo bem!

  4. Antonio Costa says:

    Subescrevo todas as palavras do Camilo Lourenço

    • ZE LOPES says:

      Ah! Ah! Ah! O Sr. Camilo Lourenço não é aquele liberal encartado que trabalhava para o grupo Imprensa e defendia a privatização de tudo e mais alguma coisa e que, depois de ter sido despedido, foi trabalhar para o Estado a fazer um programa medíocre na RTP2?

      Ahhhhh! Tem uma autoridade do caraças para criticar o Robles!

      Fica só uma citação do site “Portal da liderança”: “Em termos de líderes portugueses destaca Zeinal Bava “enquanto líder transformacional e inspiracional”, discorrendo sobre o porquê desta escolha e porque o aponta como um “líder fantástico””

      Deve ter sido inspirado no “líder fantástico” Bava que fez este comentário do mais puro esterco que tazido aqui pelo maior especialista em esterco que tem passado por estes comentários.

    • Carlos Almeida says:

      Subscrevo todas as palavras do Pato Donald


  5. Um partido que nunca teve militantes em cargos público, gabar-se que nunca desviou dinheiros públicos – ao contrário desses bandalhos do Bloco Central, é como eu gabar-me que nunca traí à Beyonce – ao contrário desse bandalho do Jay-z.

    • João Mendes says:

      O CDS já esteve envolvido em mil esquemas sem estar no poder. Tenta outra vez.


      • Não se faça de lorpa: ou CDS integrou 5 governos constitucionais (e foi de lá que saiu com histórias de sobreiros e submarinos) e teve a presidência de dúzias de câmaras municipais, com presidentes tão “carismáticos” com Avelino Ferreira Torres, Daniel Campelo, Girão Pereira ou Krus Abecassis. Se isto não é estar no poder…

        • João Mendes says:

          Em bom rigor, o CDS até integrou 7 governos constitucionais. O que eu quis dizer foi que, mesmo enquanto esteve no poder, e apesar de ter uma expressão residual, o CDS esteve envolvido em esquemas. Presidêmcias de Câmara? O PCP tem e sempre teve mais representatividade que o CDS. Porque é que não vemos os comunistas envolvidos em tantos esquemas como os “democratas-cristãos”?


          • Agradeço a correcção (fiz as contas de cabeça). Quanto à pergunta a resposta é óbvia: porque (sem ironia) a maioria dos políticos do PCP é gente que está na política por espírito de missão. E nem é uma missão que eu aprecie. Eu não me revejo em NADA da doutrina política do PCP e votei Bernardino em Loures, para correr com o Teixeira dos 10 parentes, e, se não me tivessem obrigado a mudar de registo eleitoral, votava outra vez. Infelizmente, o mesmo não se aplica à maioria dos políticos do BE, que não uns nefelibatas do pior, que arranjaram um esquema para arranjar tachos pagos pela comunidade – é só ver a lista de assessores do Robles (ou seja, políticos “como os outros”, mas com uma mensagem ainda mais enganosa e hipócrita).

  6. Antonio Costa says:
  7. Antonio Costa says:

    Subescrevo todas as palavras do António Galamba

    https://ionline.sapo.pt/621080?source=social

    • César Sousa says:

      Com tantas subscrições que faz,o Sr. Costa,ainda acaba a subscrever o “motard” Mário Machado.

      • João Mendes says:

        Este Costa deve ser um daqueles fake profiles que os corruptos partidários usam para viciar fóruns, blogues e redes sociais. O cheiro a boy com ajuste directo não engana.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.