Imprensa portuguesa? Tudo comunistas.

p

Andam por aí uns tipos engraçados, fanáticos quando baste, que se entretêm a tentar transformar propaganda barata em factos, para consumo de indivíduos que estejam na disposição de ser aldrabados. Dizem eles, que para além de engraçados e fanáticos ainda são desonestos, que a comunicação social portuguesa é controlada pela esquerda. Não sei se se referem ao grupo Impresa (SIC, Expresso e Visão), desse histórico comunista que é Pinto Balsemão, se aos marxistas do SOL, I, Correio da Manhã e Observador, sempre na vanguarda da luta esquerdalha. Será o Público, essa referência vermelha, liderada pelo camarada David Dinis? Talvez sejam o JN e o DN, esses pasquins de extrema-esquerda, propriedade de perigosos estalinistas como António Mosquito, Joaquim Oliveira e Luis Montez. São comunas a mais, não são?

Apanhei esta pérola n’Os truques da imprensa portuguesa, que apesar de já ter uns dias, não pude deixar de a partilhar. Não é a primeira, é certo, nem é um exclusivo do Público. Acredito que o Público, como qualquer jornal, tem jornalistas e cronistas sérios, mas esse mito de ser uma central de jornalismo de esquerda é tão palerma que até me sinto palerma por me pôr para aqui a constatar o óbvio. Imprensa controlada pela esquerda? Não brinquem com as pessoas. Se querem vender imbecilidades aos portugueses, dediquem-se aos resgates que cantam e às sanções que não chegam. Neste país, não existe imprensa de esquerda. O que existe são uns quantos jornais que dão um pouco mais de espaço à comunicação, iniciativas e comentadores de esquerda que aqueles que se transformaram em autênticos órgãos não-oficiais das posições da direita, às claras e sem um pingo de vergonha na cara, e que nos brindam diariamente com malabarismos destes, insultando a inteligência dos leitores. O resto é paleio de fanáticos desonestos.

Imagem via Os truques da imprensa portuguesa

Comments

  1. Scalabis says:

    A técnica é simples:
    Chamar puta a alguém, antes que lhe chamem a eles…


  2. Conclusão fácil de atingir : os plantadores oficiais direitRolhas, são tão exemplarmente “bons” nabos, que até julgam que a rapaziada NORMAL são da mesma espècie dos naBAbos que as mandam plantar. Até por aqui se vê a ENORME competência dos nossos “capitalistas” e “empresários…?…
    contratando “servos” tão mediocres.

Trackbacks


  1. […] mais um episódio de falta de isenção neste país ensombrado por uma imprensa vermelha e totalitária. No final da entrevista que António Costa concedeu ontem à RTP, o canal público reuniu um painel […]


  2. […] da justiça portuguesa. O que surpreende a ausência de interesse da imprensa portuguesa, esse antro comunista, num caso que envolve um dos homens mais próximos de Passos Coelho durante a anterior legislatura. […]


  3. […] é paleio de saco que já quase ninguém engole, por muito que os estrategas da direita insistam no embuste. Mas uma coisa são as bacoradas dos fanáticos do costume, outra coisa é ver o líder parlamentar […]


  4. […] a excepção, claro está, da SIC, da RTP, da TVI, do Sol, do I, do Correio da Manhã, do Público Dinis, do Expresso, do JN e dos blogues disfarçados de jornais como o Observador, o ECO e o Jornal […]


  5. […] juros negativos recorde não foi merecedora de grandes manchetes, o que é de estranhar visto vivermos num país onde a imprensa, toda ela e sem excepção, se encontra ao serviço da máq…. O mais certo é nem ter havido emissão de dívida nenhuma. Se houve, com certeza que terá sido a […]


  6. […] a carburar a todo o gás. O Gorjão a ter orgasmos múltiplos. Pedro Passos Coelho, indignado, a cuspir nos pratos onde come desde 2011 e a questionar quem ainda o ouve – e o Expresso até lhe fez o frete de lhe dar destaque […]


  7. […] perdi tempo a procurar nos jornais, que toda a gente sabe que isso é território sob a pata pesada da Catarina e do Jerónimo, pelo que o Google, ainda activo, era a minha esperança para deslindar o mistério. Abri o motor […]


  8. […] Imaginemos que o que se passou ontem no Prior Velho tivesse sido protagonizado por movimentos de extrema-esquerda. Um embate entre facções rivais, com uma delas, munida de paus e ferros, a bloquear o acesso à rua onde tudo aconteceu, com vandalismo e violência em doses industriais, do qual resultavam seis feridos, três em estado grave. Conseguem imaginar? Conseguem imaginar o que seria dito pela so called imprensa de esquerda que domina este país? […]


  9. […] terminar sem aqui aventar um apelo, que me parece da maior importância nestes tempos conturbados em que a imprensa nacional se encontra capturada pelo regresso do mais nefasto e atroz estalinismo: parem de azucrinar Miguel Macedo! Já chega de tanta notícia, tanto debate, tanto artigo de […]


  10. […] mereça, até porque o homem foi o primeiro-ministro que assinou este negócio da China, mas neste país de imprensa comunista, as coisas são o que são e estes esquerdalhos são sempre protegidos. […]


  11. […] hercúleo, o esforço empregue pela imprensa arregimentada à direita – que é quase toda, apesar da trampa lusitana que se esforça por aldrabar as ovelhas do […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.