O silêncio cúmplice e cobarde de um Ocidente sem espinha dorsal

Nos últimos, dias fomos confrontados com notícias do desaparecimento do jornalista e crítico do violento regime saudita, Jamal Khashoggi. A imprensa internacional avança que Khashoggi terá sido assassinado e desmembrado no interior da embaixada saudita em Istambul. A confirmarem-se as suspeitas, estamos perante um crime hediondo que deveria ser intransigentemente condenado por qualquer democracia digna do nome.

Seria por isso expectável que o ocidente democrático se insurgisse contra o que se passou. Seria o que aconteceria caso a barbárie tivesse acontecido em Cuba, no Irão, na Venezuela ou na Coreia do Norte, apesar do amor declarado por Trump a Kim Jong-un.

Contudo, até à data, e apesar do caso ter já duas semanas, não há gritaria, não se ouve falar em sanções e não se vislumbram ameaças de intervenção militar. E o motivo deste silêncio, cúmplice e cobarde, é claro como a água. É que, todos os anos, a Arábia Saudita despeja milhões de euros nos EUA e na Europa. Reino Unido, Itália, Espanha, França e Alemanha estão entre os seus principais fornecedores de armamento. E o dinheiro, mesmo entre as democracias liberais do Ocidente, continua a falar mais alto do que os direitos humanos ou do que a própria democracia. Que nos sirva de alerta para um futuro que não augura nada de bom para todos os defensores deste regime em que vivemos, que continua a ser o pior, é certo, mas apenas e só se exceptuarmos todos os outros.

Comments

  1. JgMenos says:

    Veja-se em contrapartida o grande alvoroço nas chancelarias com aquele desgraçado que foi suicidado na polícia venezuelana.
    Pelo menos nisso aqui no Aventar a indignação tem sido exemplar!

    • ZE LOPES says:

      A começar por V. Exa.! Que só se indignou agora! E só para um lado! Saia uma “flute” de champetroleo!


  2. SHAME ON THEM !!!|!!!!!

  3. E. Monteiro says:

    “Brutal conflict between Houthis and Saudi Arabia-backed coalition forces sparks humanitarian crisis, leaving as many as 10,000 dead and 8.4 million people facing devastating famine”

    https://www.independent.co.uk/news/world/middle-east/yemen-civil-war-explained-facts-saudi-arabia-bombing-uk-forgotten-war-deaths-refugees-a8584356.html

    Fale-me agora de “O silêncio cúmplice e cobarde de um Ocidente sem espinha dorsal”, p.f. A não ser que, para si, a nossa atenção se deva concentrar no presumível assassínio de um jornalista e 10 000 mortos mais 8 400 000 pessoas a enfrentar uma fome devastadora sejam apenas números. Assim parece, muito como quem troca o essencial pelo acessório, o que, devo dizer, está a
    muito em voga e a “arrasar”.

  4. JgMenos says:

    Hoje ouvi um republicano (dos mais assanhados) nos USA a dizer que se sentia ofendido e que o crown prince ‘got to go’ e que não tem lugar na cena internacional.
    É pouco?
    Há Ocidente e Europa dos consensos e das politiquices.

  5. Ana Teresa says:

    Por estas e outras ainda piores como o que o povo Venezuelano está a passar, precisamos de um Ocidente forte e interventivo e sem a influencia nefasta do Marxismo Internacionalista que diariamente tenta enfraquecer os nossos valores.
    Precisamos de novo de uma dupla Ronald Reagen/Margareth Tatcher.
    Pode ser que Donald Trump no seu segundo mandato já depois da “Casa Arrumada” e com UK já livre do jugo castrador da UE nos surpreendam pela positiva.

    Ana Teresa

    • Manuel Silva says:

      Tetézinha de Cascais:
      Essa tua novela vinha no último número das Selecções do Reader’s Digest, não vinha?
      Tem esperança, a ciência parece que está bem encaminhada numa nova técnica de fazer ressuscitar múmias.

    • Paulo Marques says:

      E o Iraque, entre dezenas, que correu tão bem… O que vale é que o Kim agora é um amigalhaço.
      Agora o Maduro nem uns hoteizinhos compra ao Drumpf, um pândego.

  6. ZE LOPES says:

    Que texto admiravel! Permita-me que o traduza para o cidadão comum, que terá naturais dificuldades para encontrar o seu sentido último.

    No tempo da Dama Enferrujada e do Cóbói Encavalado não havia Arábia Saudita. Foi criada pelo Marxismo Internacional como um país exemplar no que toca aos Direitos Humanos, particularmente das mulheres, só para fazer inveja. O Ocidente não se importou muito porque havia lá petroleo aos pontapés.

    Esse regime só ainda não acabou porque, realmente, o Trampa não tem tido tempo. Tem estado muito ocupado a mudar a mobília da Casa Branca que, por negligência dos Obama, estava completamente carcomida pelo bicho da madeira.

    Quando acabar tão herculea tarefa (muito dificultada devido ao boicote dos carpinteiros mexicanos, entretanto expulsos) e se conseguir livrar de uma tipa de mamas grandes e bastante conhecidas, talvez se junte à Bailarina de Maio para mudar isto tudo.

    Pode ser.

    • Paulo Marques says:

      E a mudar a embaixada para Jerusalém, um feito hercúleo.

      • Ana Teresa says:

        Foi um feito de coragem de “quem os tem no sitio”…
        Os eunucos do costume diziam que ia começar a 3ºguerra…

        Ana Teresa

        • ZE LOPES says:

          “quem os tem no sítio”…eunucos…Ana Teresa? Huuuuuummmmm!

          E depois? Nada! É um lindo nome para direitrolha!


        • Ana Tristeresa, a 3ª Guerra já começou há muito ! e aí está silenciosa a jogar a favor dos poderosos senhores sem rosto, a formatar e a destruir o mundo de acordo com planos estabelecidos pela sua gente direitalha irmãos metralha que ” os tem no sítio” para quem as Anas Tristeresas são soldado raso / idiotas úteis do exército montado diabolicamente por forças do mal e da mentira do pior que a humanidade produziu.

          Naomi Klein dixit in /

          A Doutrina do Choque – A Ascensão do Capitalismo de Desastre

        • Paulo Marques says:

          Isso é verdade, o Nuno Rogeiro fez escola da ignorância de só ler propaganda.
          Agora, a 3ª guerra não era pela embaixada, penso que sabe. E também não é por ter nada no sítio, é porque se borrifa para o genocídio de quem não é branco.

  7. Ana Teresa says:

    O Statler não argumenta nada de jeito. A reforma e o marxismo comeram-lhe os neurónios.

    Ana Teresa

    • ZE LOPES says:

      Tá bem! Não sei a quem respondeu, mas…

      Segundo a minha experiência o marxismo, dizem, é mauzito, mas não costuma comer neurónios.

      Disseram-me é que, por vezes, se atira a partes bastante mais em baixo, (alguns dizem dizem que “tomates”) de direitrolhas. Deve ser, por essa razão, que V. Exa. é Ana Teresa, que é, repito, um lindo nome para direitrolha.

  8. Miguel says:

    Consulado. Istambul não pode ter embaixada, essa fica na capital, que no caso da Turquia é Ankara.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.