Cesar Sayoc e a alvorada do terrorismo liberal-fascista

Fotografia via New York Magazine

Chama-se Cesar Sayoc, tem 56 anos e um extenso registo criminal (esteve preso em 2015), e, avança a imprensa nacional e internacional, é o principal suspeito pelo envio de engenhos explosivos para a casa de várias figuras do Partido Democrata. Sayoc é também membro do Partido Republicano e apoiante entusiástico de Donald Trump, daqueles que se dedicam, com afinco, a destilar ódio e a partilhar propaganda e conspirações do Breitbart nas redes sociais. Um dos muitos mujahedines produzidos na fábrica de androides fascistas do trumpismo.

Cesar Sayoc, a confirmarem-se as suspeitas da justiça norte-americana, conspirou para assassinar várias pessoas, por motivos ideológicos. Uma consequência directa desta nova narrativa de divisão e ódio, alimentada diariamente por um presidente bélico, que destrata os aliados da NATO com a mesma convicção com que declara o seu amor por Kim Jong-un. Com a mesma determinação com que procurou amparar o cliente saudita, após o brutal (e encomendado) homicídio de Jamal Khashoggi. Com a mesma paz de espírito com que desvaloriza a violência racial.

Ter um presidente que prega a violência contra os seus opositores, e que elogia publicamente bestas totalitárias como Kim Jong-un ou Mohammad bin Salman, nunca pode dar bom resultado. E se os EUA são já palco de sucessivos tiroteios, num país onde comprar uma arma é tão fácil como comprar uma embalagem de rolos de papel higiénico, a deriva nacionalista e paranoica de Trump só vem motivar ainda mais os potenciais terroristas, que há anos aguardavam, no recato do armário, pela oportunidade de impor um apartheid extensível a todos aqueles que, no seu entender, chocam a sua visão fundamentalista de uma sociedade dominada pelo homem branco, onde a mulher é dona de casa, o homossexual um desvio a exterminar e o negro um trabalhador precário e sem direitos, que é uma forma simpática de nos referirmos à escravatura moderna sobre a qual assenta grande parte do liberal-fascismo contemporâneo.

Sayoc é apenas um entre milhares de norte-americanos que aguardam por uma oportunidade de pôr em prática um tipo de justiça muito similar à praticada pelo Daesh e pela Al-Qaeda. São pessoas violentas, que cospem nos direitos humanos e no livre-arbítrio, determinadas em abolir a democracia à pancada. Pessoas desequilibradas, com acesso livre à compra e posse de armas semiautomáticas, que exibem e não hesitam em usar. Presas fáceis da propaganda dos Bannons desta vida, transformados em peões de uma guerra que pensam ser sua, quando na verdade não passam de meros objectos descartáveis. O seu futuro não será muito melhor do que o daqueles que perseguem.

P.S: A partir de amanhã, o Brasil será deles.

Comments

  1. Miguel Bessa says:

    Como é que algo pode ser anterior ao seu criador? Ai essa coluna.

    E o tiroteio de hoje? Será resultado de farakahn? Não deve ser. Este foi um maluco! Ai essa coluna.

    • Carlos Almeida says:

      São todos uns malucos…..
      São como cá os incendiários das florestas, que quando são apanhados, não falam. Se falarem a vida dos seus familiares corre perigo.
      São todos malucos….

    • Paulo Marques says:

      É anterior ao seu legitimador. Ou melhor, ao seu maior, já que o partido racista, perdão, republicano não mudou assim tanto em 2016.
      Claro que malucos não faltam, e até prova em contrário, mataram pessoas porque acordaram do lado errado da cama, mas há-de acontecer quase sempre no mesmo país por alguma razão. O Michael Moore tinha alguma razão, apesar do filme ser manipulador, o medo é um modo de política para aquela gente.

      • Miguel Bessa says:

        Partido racista?
        Você sabe quem era o partido dos defensores da escravatura? Os republicanos até gozam com os democratas dizendo que da última vez que o partido republicano se mobilizou os democratas perderam os escravos.

        Por acaso, o “bombista” até é nativo americano, logo “não branco” pela categorização marxista cultural em voga nos states.

        E o atirador do ano passado que deu como justificação a mesma retórica do Sanders? Esse já é maluco e não fruto do Sanders?
        E o atirador de hoje? É maluco e não fruto do farakahn? Uns são malucos, outros são fanáticos. É isso? É a evolução do ditadores bons vs ditadores maus.

        Quem mais tenta instigar o medo do que os democratas? É preciso recordar o que era dito sobre o futuro caso Trump fosse eleito? O fim do mundo já chegou?

        • Paulo Marques says:

          Sabe que desde a segregação já passaram uns aninhos, certo? O KKK é bem claro em quem vota.
          Não me vai por a analisar caso a caso, o relevante é a tendência que só não vê quem põe palas nos olhos.
          Quanto ao fim do mundo, tenha calma, o mundo não vai a lado nenhum. Mas que que a América está mais violenta, lá isso está.

          • Miguel Bessa says:

            Claro que não é para analisar caso a caso. A tendência geral é que os democratas insultam tudo e todos os que discordam deles como racistas e fobicos disto ou daquilo, porque como não têm propostas, só têm como tema as políticas identitárias!

            E se há um partido que avalia tudo em função da cor de pele ou do sexo, ou da identificação sexual, esse sim é partido racista!
            Viu o que foi dito de Kanye west só porque tem opinião diferente da que os democratas acham que os negros devem ter?

            A América está mais violenta? Ainda ontem vi um gráfico (não incluía Trump) onde era evidente que o pico de violência se deu com Obama.

            De qualquer forma, a minha intenção é apenas expor toda a hipocrisia e manipulação que existe em considerar que quem não concorda com a esquerda é um perigoso fascista.

          • Paulo Marques says:

            Se o Miguel disse que há uma tendência, está demonstrado, pronto. Afinal está tudo bem quando os negros são assassinados pela polícia. Deviam pintar a cara com graxa para mostrar o quão respeitosos são.

    • ZE LOPES says:

      São preguntas retóricas, não é? V. Exa. sabe a resposta, mas insiste porque “é para nós lá chegarmos”, não é?

      Como lhe agradeço! Só um lampião de grande intensidade como V. Exa. nos conseguirá iluminar o caminho! O que seria de nós sem V. Exa? Nem quero pensar nisso!

    • ZE LOPES says:

      “Ai essa coluna”…”Ai essa coluna”…Não me diga! Bateu lá com os…perdão, a testa? Não se preocupe a responder, é uma pergunra retórica. Eu sei a resposta.

      De qualquer modo, as melhoras!

  2. Mafarrico "With The Eyes Wide Open" says:

    Um texto cheio de mentiras, de falsidades, de boatos (fake news) e de ódio aos adeptos da direita, que não está longe de outros textos de ódio ao Benfica pelos fascistas adeptos dragartos.
    A diferença é nenhuma. Os extremistas e os fanáticos são todos iguais, independentemente dos campos de luta onde operam.

    • Paulo Marques says:

      Fake news que os próprios visados assumem como verdadeiras, tá certo.

    • Fernando Antunes says:

      É a novilíngua da Direita: chamar fake news a quem denuncia a propaganda conspirativa das redes sociais e suas consequências.

      Mas a Porta dos Fundos explica melhor. Imagine-se uma realidade alternativa em que todas as conspirações do whatsapp são mesmo verdade (biberões em forma de pénis para fomentar a homossexualidade, e outras aberrações inacreditáveis que influenciaram a campanha eleitoral no Brasil deste ano):

      https://youtu.be/NM9wDPYWKcA

    • ZE LOPES says:

      Muito bem! Veja lá mais uma “fake” que acabo de ver: “Belenenses 2, Benfica 0”! O que eles inventam! Mas há quem acredite, veja lá!

Trackbacks


  1. […] via Cesar Sayoc e a alvorada do terrorismo liberal-fascista — Aventar […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.