Um verdadeiro artista


Cada povo tem os governantes que merece. Portugal é governado por um farsante que promete uma coisa e faz o contrário.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Isso é completamente diferente aplicado a, sei lá, Reino Unido e Estados Unidos.

  2. António de Almeida says:

    Porque não cumprem as promessas (e acordo) que assumiram com os professores em finais de 2017? Mas não tinha acabado a austeridade e agora era tudo para reverter? Em linguagem de futebóis, se o Centeno é parecido com o Mourinho, este artista é uma cópia do Neymar, um verdadeiro farsante especialista em teatro…

    • Paulo Marques says:

      Xiu, não questione a lógica da eurolândia, as reformas que acabam com a austeridade permanente estão mesmo aí a chegar.

    • Fernando Manuel Rodrigues says:

      Ora mostre lá onde e quando o governo “prometeu” e “acordou” em reconhecer a totalidade do tempo de serviço. É que eu ainda não vi isso em lado nenhum. A não ser que uma “recomendação para negociar” seja uma promessa ou um acordo.

  3. Carlos Almeida says:

    Podemos gostar ou não do Costa, mas que é um politico hábil e inteligente que está a lidar com políticos amadores.
    Vejam na Sic, a opinião de um homem, que não pode ser acusado de esquerdista. Na realidade na sua juventude de estudante em Coimbra, era um admirador confesso da falange do franquismo espanhol, estando em termos nacionais politicamente muito à direita de Marcelo Caetano.

    https://sicnoticias.pt/opiniao/2019-05-03-Foi-uma-jogada-de-mestre-de-Antonio-Costa

    • Paulo Marques says:

      Dois homens que odeiam a função pública dizem mal da função pública? Meu deus, parem as rotativas!

  4. António de Almeida says:

    Catarina pode ter aprendido teatro, sem grande sucesso, diga-se. Já António Costa é um verdadeiro mestre da farsa…

  5. Carlos Almeida says:

    Outra opinião sobre o tema Costa, também no “laranja canal”, mas agora de Marques Mendes

    https://sicnoticias.pt/opiniao/2019-05-05-Quem-deu-a-Costa-a-oportunidade-para-fazer-este-teatro-foram-Cristas-e-Rio

  6. Julio Rolo Santos says:

    Farssantes e trocas tintas é o que há para aí mais, Passos Coelho prometeu, se fosse Primeiro Ministro, que não cortava nos vencimentos nem nas pensões nem nas reformas. Chegado ao poder apressou-se a fazer o contrário. Antônio Costa, descongelou as carreiras, repôs as 35 horas semanais, repôs os salarios, repôs as pensões e repôs o tempo congelado aos professores na mesma proporção com as restantes carreiras especiais. Dos dois, qual é o maior troca tintas?

  7. Paulo Marques says:

    «Julgo que algumas vezes se têm exagerado as nossas possibilidades. Nós somos um país pobre, que, tanto quanto se enxerga no futuro, não pode na Metrópole aspirar a mais que à dignidade de uma vida modesta.»
    Vai-se a ver, toda a gente lhe dá razão hoje, afinal. Grande país!

  8. João Sequeira says:

    Farsantes a prometer uma coisa e a fazer o contrário é o que temos tido quase sempre desde há 40 anos, infelizmente.
    Não sei se os países têm os governantes que merecem, mas não duvido de que têm pelo menos os governantes que escolhem. Isto é válido para António Costa, Trump, Theresa May ou o palhaço da Ucrânia, tal como foi para Nelson Mandela ou Pepe Mujica. São sempre escolhidos, seja pelo voto, seja pelo não-voto. Por isso é que, em qualquer sociedade, o mais execrável dos cidadãos é o abstencionista. Que, ainda por cima, é por regra o que mais se queixa dos “políticos”, como se não tivesse nada a ver com o que se passa em volta.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.