Os prémios maravilha do turismo

Hoje, no i, Elidérico Viegas (Presidente da Associação dos Hotéis do Algarve) disse em voz alta o que muitos já sabiam mas apenas falavam em surdina:

Em relação a esses prémios, só nós é que os conhecemos, o resto do mundo não sabe. São eleições feitas por entidades privadas que se regem por princípios económicos, de rentabilidade económica e, como tal, pagamos e ficamos no lugar que queremos. Estes prémios que andamos a apregoar com frequência são prémios atribuídos por estruturas ou organizações privadas que têm como fim o lucro e que vendem lugares em função dos preços que se pagam. Jornal i, 26 de Março.

Em suma, a malta andou a festejar (sobretudo nas redes sociais e nos meios de comunicação social) que o Porto era o melhor destino da Europa, Lisboa o melhor destino do Mundo, Braga melhor destino 2020 e já nem sei quantos mais “melhores do mundo e arredores” fizeram capa de jornais, abertura ou fecho de telejornais e movimentos de #manada nas redes sociais quando, afinal, era tudo treta. Ou melhor, tudo pago. E pago por quem??? Ora adivinhem lá….É isso, foi você, fui eu. Os do costume. Maravilha.

Comments

  1. Anasir says:

    Os estrangeiros que ficam nesses hotéis também pagam…

  2. Paulo Marques says:

    Não é assim que funciona a meritocracia?

  3. Rui Naldinho says:

    Estes prémios sempre foram como os pareceres jurídicos. Dão sempre razão a quem lhes paga. Mesmo aqueles que fogem um pouco deste registo são alvo das mais diversas formas de lobismo.
    Mas já era assim no tempo do Luís XIV, com a guerra dos vinhos entre a Borgogna e a Gasconha, até aparecerem os Húngaros a destroná-los, não sei qual a admiração do Senhor Elidérico Viegas

  4. Filipe Bastos says:

    Mas haverá alguém que não saiba que tudo isto é comprado?

    Até na minha área é raro o mês em que não chega um convite para novo prémio ou ‘gala’ a dar-nos a fantástica oportunidade de pagar uns cobres para receber uma taça, placa ou lindo Jpeg a dizer ‘1º LUGAR’ duma treta qualquer.

    Mesmo prémios desconhecidos dão para inserir em sites, posts, anúncios, etc. Como aqueles filmes que têm na capa um monte de logos: “Festival de cinema de Alfândega da Fé”, “Brilhante!”, “Assombroso!” (reviewsdefilmesfatelas.com).

    Os grandes mamões fazem o mesmo: lembro a ‘Superbrands’. Como já disse o Paulo, é a meritocracia em acção; quanto mais se paga maior o mérito. O capitalismo nunca se engana.

    Quem festeja estes prémios? Cúmplices e otários. Quem ganha com eles, e aquela carneirada cheia de ‘orgulho’ da sua cidade, do seu país… do que lhe dizem para se orgulhar. São como aqueles pacóvios que se lhe orgulham do CR7 ou do Guterres.

  5. Nada para pensar aqui... says:

    Já a “guerra das medalhas” entre as duas grandes marcas de cerveja cá do burgo sempre foi não mais que fazer-se publicitar como a que mais medalhas “ganhou”, como se não fossem compradas…

    Mas pior e parece-me que mais pernicioso, é o mesmo esquema servir os selos de “bio” ou “fair trade” e outros que tais a assegurar-nos que estamos a consumir conscientemente no respeito por humanos e planeta…

Trackbacks


  1. […] Primeiro foi o Elidérico Viegas que denunciou o esquema e entretanto foi corrido (disso já se falou no Aventar) […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.