Financiamentos do bem: CDS, Chega e a família DePaço entram num bar…

Ficamos esta semana a conhecer um novo caso com contornos bastante suspeitos, envolvendo um dos principais financiadores do Chega, César DePaço, e vários dirigentes do CDS Madeira. César DePaço, próximo de André Ventura e destacado mecenas do partido de extrema-direita, ficou conhecido como fugitivo da justiça portuguesa, procurado pelos crimes de furto qualificado e fuga às autoridades, que o governo de Pedro Passos Coelho – na pessoa de Rui Machete, político com estreitas ligações ao caso BPN e a outros escândalos nacionais – distinguiu com o título de cônsul honorário de Palm Beach. Mais recentemente, ficamos ainda a saber que DePaço ostentava um diploma falsificado de Harvard, onde nunca estudou. Uma obsessão que não deixa de ser curiosa, ou não nutrisse a extrema-direita portuguesa que patrocina um profundo ódio ao mundo académico e ao conhecimento científico.

No mais recente episódio da grande reportagem da SIC “A grande ilusão”, da autoria de Pedro Coelho, que se debruça sobre o fenómeno da extrema-direita em Portugal, ficamos a saber que, em 2019, César DePaço terá transferido cerca de 30 mil euros para cinco dirigentes do CDS Madeira, a poucas semanas das eleições regionais. Entre eles estava Rui Barreto, líder regional do CDS e titular da pasta da Economia do executivo de Miguel Albuquerque.

As transferências terão acontecido no dia imediatamente a seguir a César DePaço e Rui Barreto se terem conhecido, no início de Agosto de 2019. Um mês antes, a esposa de César DePaço, Deanna DePaço, tomava posse como Coordenadora-Geral do CDS-PP nos EUA e Canadá, numa cerimónia em que se fez acompanhar por José Lourenço, antigo Coordenador-Geral do CDS-PP para o Brasil, posteriormente líder da distrital portuense do Chega, tido como próximo de Nuno Melo e apontado como testa-de-ferro de César DePaço, de quem foi conselheiro, pelo antigo dirigente nacional do Chega, Miguel Tristão Teixeira.

Francisco Rodrigues dos Santos e a direcção nacional do CDS têm explicações para dar ao país. Ainda que Rui Barreto alegue tratar-se de um empréstimo ao partido, tais transferências, que ultrapassam o triplo do permitido por lei para donativos de particulares a partidos políticos, foram feitas directamente para as contas bancárias pessoais dos dirigentes regionais do CDS, não para qualquer conta oficial do partido. Bem sei que não há nenhum Sócrates ao barulho, mas importa esclarecer os contornos deste financiamento “do bem”, que tresanda a ilegalidade por todos os lados.

Comments


  1. A máfia portuguesa no seu melhor e com total apoio dos partidos do arco governativo.

  2. JgMenos says:

    «não nutrisse a extrema-direita portuguesa que patrocina um profundo ódio ao mundo académico e ao conhecimento científico»

    Sobre a extrema-direita não estou a par, mas sobre os idiotas da ‘igualdade porque sim’ e dos ‘géneros multiplicados’ pela potência da cretinice esquerdalha, é a frase aplicável quanto à ciência.
    Quanto ao mundo académico, quando transformado num concurso de citações, papers e demais parafernália da dotação curricular, que resulta da insaciável aptidão de pirosos por alcançarem distinções que os afastem da igualdade que a todo o tempo propagandeiam, é bem certo aplicar o ódio a uma tamanha teia de mesquinharias.
    Serve de exemplo a infestação de roupagens anteriores ao século XX que povoam as universidades, para aquilatar do que virá a ser produzido.

    • POIS! says:

      Pois é!

      Produziram, por exemplo, um Dótor em Finanças que teve muito sucesso! Ganhou uma quantidade de eleições e até um plebiscito em que, de forma muito moderna, os eleitores podiam votar a partir de casa. E, por respeito aos nossos antepassados, também se concedia amplo direito de voto aos defuntos.

      O curioso é que, depois da trabalheira que teve lá na Óniversidade, a fazer cadeiras atrás de cadeiras, acabou por ser vítima de uma! A vida dá cada volta!

      Lá está: quem visse as diversas mantas pretas que o gajo foi envergando, devia ter aquilatado o que viria a ser produzido. mas não! Foi pena! A perspicácia de V. Exa. fez muita falta nessa altura.

    • Paulo Marques says:

      TL:DR; a esquerda odeia a ciência, por isso, eis as razões porque odeio a ciência.
      Um país de maoistas.

  3. JgMenos says:

    Quanto às explicações!
    Só o PS não tem que se explicar como elegeu secretário-geral um coirão financiado pelo Freeport e elevado a primeiro-ministro para arruinar a PT de mãos dadas com o Salgado.

    • POIS! says:

      Ora muito bem! Ao Menos, que haja ética!

      O PS tem de se explicar! Porque é do Mal!

      Quanto ao Barreto, enfia-o V. Exa, para usar garbosamente nas festas de Alcochete! Porque é do Bem!

      Pelo Menos, confere!

    • Paulo Marques says:

      Já se pode dizer bem de Bava e Granadeiro outra vez? Só para saber onde estamos.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.