No debate com Ventura, Chicão deu uma lição… a Rui Rio

O frente a frente entre Francisco Rodrigues dos Santos e André Ventura foi, pessoalmente, a maior surpresa desta bateria de debates. O presidente do CDS apareceu com tudo, em modo metralhadora, atirando várias coisas ao líder do Chega, falando de Luís Filipe Vieira, apresentando dados concretos sobre o RSI, reduzindo os argumentos de Ventura a populismo puro, dizendo-lhe que o Chega é um partido unipessoal, falando ainda de que o deputado de extrema-direita parece líder de uma seita religiosa, pelas “figuras” que faz nos congressos.

Tudo me separa de Francisco Rodrigues dos Santos, nem sequer ponderaria alguma vez votar no seu partido. Há linhas ideológicas claras que me colocam nos antípodas do CDS. Mas isso não me impede de ver que, hoje, Chicão teve a coragem que faltou a Rui Rio até agora: a de fazer uma demarcação claríssima em relação ao Chega. Poderá ter sido estratégia para ir buscar eleitorado, poderá amanhã deitar tudo a perder e dar um passo atrás, mas o que fica na retina, hoje, no final deste debate, é essa demarcação entre duas direitas distintas, nas palavras de FRS.

Bem sei que Rio já tentou demarcar-se do Chega, mas nunca de uma forma absolutamente clara, dizendo que o Chega teria de se moderar. A partir de hoje, se Chicão aceitar qualquer tipo de acordo com o Chega, mesmo daqueles manhosos como aconteceram nos Açores, a sua vida política está, definitivamente, condenada ao fracasso.

No rescaldo do debate, na CNN, uma das comentadoras do painel citou a frase de George Bernard Shaw, que aconselhava a nunca lutar com um porco, pois ele gostaria. Na verdade, Chicão foi até ao território de Ventura e deixou o líder do Chega surpreendido e, em alguns momentos, atarantado. Apesar disso, ripostou bem, em determinados assuntos, nomeadamente fazendo referência à presença de Chicão na direcção de Frederico Varandas, enquanto era líder político, bem como aludindo à alegada falta de democracia interna, uma vez que Francisco Rodrigues dos Santos termina o seu mandato a poucos dias das eleições. Destas críticas não conseguiu fugir, nem defender-se, mas poderá hoje ter catapultado o CDS para uma subida nas intenções de voto e, quiçá, para um rejuvenescimento do partido. Se foi bonito? Nada. Se engrandeceu a democracia? Pouquíssimo. Mas pouco se pode esperar de um debate com a presença do líder do partido populista.

No fundo, André Ventura foi colocado no seu lugar e só os mais fanáticos apoiantes do Chega (e são bastantes) poderão ter saído deste debate com a ideia de que o seu líder marcou pontos, uma vez que, para o fanatismo, a vitória é sempre garantida, independentemente do que é dito. Para os apoiantes de uma direita mais clássica, o frente a frente de hoje poderá ter sanado algumas dúvidas, aos indecisos entre os dois partidos. Sobretudo os eleitores mais religiosos, uma vez que Chicão conseguiu demonstrar que Ventura se afasta da doutrina social da Igreja, ao passo que este, ao citar um Papa, optou por Bento XVI e não por Francisco. Sintomático.

PS: O argumento mais utilizado por Ventura foi o de apelidar a direita do CDS de “mariquinhas”. Sintomático também e uma pena que Chicão não tenha virado esse argumento, utilizando-o na flash como contra-argumento.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Ventura não é uma surpresa no espectro político português. Este tipo de arruaceiro é muito comum na nossa sociedade.
    Surpresa é constatarmos que neste país existe uma legião de frustrados e rancorosos seguidores, dispostos a segui-lo de forma canina, fruto da incompetência dos nossos governantes, mas também alguns saudosistas do império colonial, todos eles perfeitamente alienados num discurso de seita.


    • Os saudosistas do Império colonial já devem estar um bocado velhotes para se preocuparem com estas coisas.

      Procura antes entre aqueles que dizem Chega ao discurso da seita de “para os amigos tudo, para os inimigos nada e para o povo aplique-se a lei que nós fazemos para nos proteger”.

      • POIS! says:

        Pois, “velhotes”?

        Então o que dizer do Venturoso Enviado (e Pastorinho nas horas vagas) que andou lá a combater de armas na mão, na mata, a morder o pó e até a engolir cobras vivas?

        Haja respeito, ó PT!

      • Democrata_Cristão says:

        PT

        Olha que os Bolsonazis não gostam nada dos PTs

      • Paulo Marques says:

        Há sempre muitos que acreditam no olha para o que eu digo, não para o que eu faço. Principalmente quando se faz um espectáculo de aldrabices.

  2. POIS! says:

    Gostei imenso do “Adeus Pátria e Família”. E a do quarto pastorinho (“tens inveja, não é?”, respondeu o Venturoso Enviado!)

    Também meteu piada o “deixe lá o Salvini”. Parece que já foi uma bela amizade. Mas amores entre troca tintas…

    “L’amore è un attimo, l’amore è un attimo
    Però la vita è un vento forte più di me”

    Grande cantor é este Salvini!

  3. JgMenos says:

    Estamos a meses de comemorar 48 anos de uma vida política condicionada por uma ideologia de esquerdalhos «alienados num discurso de seita», ufanos da total cretinice em que fundam as suas crenças e da dívida que suporta aquilo a que chamam conquistas.

    Quanto ao CDS e à direita em geral, só tem que agradecer ao Ventura que por uma vez se diga que a ‘originalidade’ do socialismo indígena é, para além de uma cretinice como todos os socialismos o são, uma fraude ao serviço de uma canalha política miserável, e cujos custos já os sentem os jovens de hoje como o sentirão os reformados de amanhã.

    • POIS! says:

      Pois, mas não será o único evento importante no nosso país!

      No próximo dia 3 de agosto comemora-se o Dia Mundial da Cadeira de Repouso, assim instituído para salientar a importância histórica de tão importante objeto e a promoção da sua segurança.

      Este último aspeto é muito importante, pois são conhecidos os acidentes que tantas vidas ceifaram por esse mundo fora e até em Portugal (*).

      Porque ainda há lugares disponíveis, convida-se Vosselência para a Comissão de Honra que irá definir o programa das festividades.

      (*) Ficou célebre, aliás, o caso de um tal Miguel de Vasconcelos, que aterrou no Terreiro do Paço, dizem as lendas, dentro de um armário onde repousava deitado sobre rolos do Diário do Governo, justamente por falta de cadeiras de repouso seguras.


    • Dito isso, quem não sente vergonha alheia (e própria, por ter assistido) pelo circo dado pelo Chicão e pelo Ventura, não gosta lá muito de democracia e da cidadania (e/ou, claro, da direita, como é o caso do autor deste post, que achava que o Rio devia ter abordado o debate com Ventura reproduzindo-lhe o estilo).

    • José Peralta says:

      Ó “menos” !

      “Quanto ao CDS e à direita em geral, só tem que agradecer ao Ventura”…

      Estás todo dorido na “rabadilha” ? O venturoso, também…

      O chicão apanhou-lhe jeito, e meteu-o num chinelo !

      Lava “isso” com água de malvas !

    • Paulo Marques says:

      Estão há 48 anos a destruir a liberdade, mas o problema é não terem destruído que chegue. Pois que continuem, correrá bem.

  4. frar says:

    BOYS E GIRLS (Merkel, Sarkozy, etc) DO PSEUDO-ACOLHIMENTO DEVEM SER JULGADOS POR CRIMES CONTRA A HUMANIDADE
    .
    .
    Exemplo 1:
    – Merkel (etc) bloqueiam a investigação à forma como chegam armas a ‘grupos rebeldes’ que… não possuem fábricas de armamento!
    .
    Merkel (etc) estão preocupados é em acusar de ”’RACISTAS”’ os Identitários separatistas que dizem o óbvio:
    – «a recepção de refugiados faź parte do negócio… os países aonde são produzidas as armas utilizadas pelos ‘grupos rebeldes’ é que têm de pagar a ajuda aos refugiados».
    .
    [É isso: a máfia do armamento fornece armas a ‘grupos rebeldes’ (sim: os ‘grupos rebeldes’ não possuem fábricas de armamento!) para lucrar, não apenas com a venda de armas, mas também com o acesso a recursos naturais de baixo custo (petróleo, etc)… e mais, refugiados são deslocados para locais aonde existem investimentos interessados em negócios de abundância de mão-de-obra servil].
    .
    .
    Exemplo 2:
    – Merkel (etc) bloqueiam a introdução da Taxa-Tobin.
    .
    Merkel (etc) estão preocupados é em acusar de ”’RACISTAS”’ os Identitários separatistas que dizem o óbvio:
    – «num planeta aonde mais de 80% da riqueza está nas mãos dos mais ricos, que representam apenas 1% da população, quem deve pagar a ajuda aos povos mais pobres é a Taxa-Tobin, e não a degradação das condições de trabalho da mão-de-obra servil de outros povos».
    .
    .
    .
    .
    .
    O EUROPEU-DO-SISTEMA XX-XXI NÃO GOSTA DE TRABALHAR PARA A SUSTENTABILIDADE… E QUER PROIBIR OS IDENTITÁRIOS DE O FAZEREM
    .
    Um exemplo:
    – quando os Identitários discutem a constituição de uma sociedade economicamente sustentável, isto discutem a promoção/valorização de todos os trabalhadores necessários à sociedade (incluindo a mão-de-obra servil)… o europeu-do-sistema XX-XXI quer que essa discução seja PROIBIDA: sob a acusação de ser ”’RACISMO”” não estar disponível para receber a abundância de mão-de-obra servil que os supremacistas demográficos (africanos e outros) estão disponíveis para fornecer.
    .
    .
    .
    .
    .
    Separatismo Identitário
    (separatismo-50-50)
    .
    A situação já é anterior a Jesus Cristo:
    – O CIDADÃO DE ROMA CONTINUA IGUAL!!!
    —> o cidadão de Roma XX-XXI (tal como o cidadão de Roma do passado) projecta uma economia partido do pressuposto da existência de outros como fornecedores de abundância de mão-de-obra servil.
    .
    .
    .
    Separatismo Identitário na Europa:
    –» Por um lado, temos o EUROPEU CIDADÃO DE ROMA: das negociatas…
    –» Por outro lado, temos o EUROPEU IDENTITÁRIO: este europeu valoriza o Ideal de Liberdade que esteve na origem da nacionalidade: ‘ter o seu espaço, prosperar ao seu ritmo’.
    [pois é, é isso: na origem da nacionalidade, não estiveram, nem tiques-dos-impérios, nem negociatas de índole esclavagista -> o cidadanismo de Roma]
    .
    .
    .
    .
    .
    SEPARATISMO-50-50
    —» Todos Diferentes, Todos Iguais… isto é: todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» INCLUSIVE as de rendimento demográfico mais baixo, INCLUSIVE as economicamente menos rentáveis.
    [blog separatismo-50-50]
    .
    .
    .
    .
    P.S.
    QUE SE ENTENDAM!
    Os supremacistas demográficos que se entendam com os seus aliados: o europeu cidadão de Roma:
    -> não-nativos naturalizados europeus renegam o Ideal de Liberdade que esteve na origem da nacionalidade… que se entendam… com os europeus (leia-se: os nacionalistas do sistema, o cidadão de Roma XX-XXI)… das sabotagens sociológicas (substituições populacionais, holocaustos massivos, etc) anti-intenções identitárias que prejudicam negociatas de índole esclavagista.
    OS IDENTITÁRIOS QUEREM LIBERDADE/DISTÂNCIA/SEPARATISMO DESSE PESSOAL.
    .
    .
    P.S.2.
    O que há a dizer aos supremacistas demográficos… é simples e óbvio:
    – possuem imensos, imensos, territórios ao seu jeito!…
    – não sejam nazis!!!
    – ou seja: aceitem a existência de outros!!!
    Resumindo: os ‘globalization-lovers’, UE-lovers, etc, que fiquem na sua… desde que respeitem os Direitos dos outros… e vice-versa.

    • British says:

      What ?

    • Paulo Marques says:

      Prefiro entender-me com quem trabalha para comer, do que quem insiste em separar tudo em grupos. E nisso, tem tudo em comum com Merkel e Sarkozy.


  5. Manuel Pinho preso, muda-se o juiz ao domingo.

    Já Chega desta justiça.

    • POIS! says:

      Pois claro!

      O Venturoso Enviado (a.k.a. Quarto Pastorinho) já prometeu até satisfazer uma velha reivindicação do povão: o de dar um juiz a cada português!

    • Paulo Marques says:

      Justiça que é justiça é decidida à porta fechada de acordo com as intenções da turba.
      Cumprir a lei para fazer cumprir a lei é para parvos.

  6. Rogério says:

    Os aventares vão engolir cada sapo que depois das legistivas alguns deles tenham que se dedicar aos fraldário do parque das azenhas🤔

    • POIS! says:

      Pois, pois!

      Na próxima tente comentar em português, tá bem? Faça lá um esforço, ó Rogério. Chega pois, mas de patacoadas.

      Mas desde já lhe faço um aviso: não conte com esta malta do “aventar” para lhe mudar a fralda. Tem de se desenrascar por outro lado.

      Talvez o Quarto Pastorinho lhe consiga enviar um anjinho. Não custa nada pedir.

    • Paulo Marques says:

      Vai lá ver se a camisola castanha precisa de remendos, que ainda vai lá ficar mais algum tempo.