Já que perguntar não ofende…

Podem os militantes de partidos, como o do fantasma Jacinto Leite Capelo Rego e do ministro dos submarinos mergulhados em corrupção na Alemanha mas a seco em Portugal, vestir o manto da hipocrisia sem que ninguém na comunicação social lhes aponte o dedo? Parece que sim.

“Faz-se cada vez mais de conta que a mulher de César ainda parece séria quando já toda a gente sabe que não o foi”, afirmou o jovem popularucho sem que ninguém se risse.

E, continuou Francisco Rodrigues dos Santos, do alto da sua superioridade moral, “antes do 25 de Abril tínhamos presos políticos; hoje temos cada vez mais políticos presos”. É uma chalaça muito gira, um argumento de peso na retórica juvenil do Doutor, assim mesmo, a qual só peca pela falta de rigor – sempre houve políticos presos e, nem por isso, são assim tantos agora, a começar pelo seu próprio partido.

Por fim, a sua pièce de résistance consiste na inversão do ónus da prova, agora com uma designação mais-chique-sei-lá, que se resume a uma inconsequência, dado ter sido por duas vezes rejeitada, e bem, pelo Tribunal Constitucional. Mas dá para peças de jornal e, ai jesus, artigos encaixados na Forbes.

O Facebook (afinal) sabe

Só não é claro como é que o Facebook sabe dos patrocínios do Expresso.

image

Com que então, a melhor juventude partidária?

image

[Read more…]