A culpa é da Guerra

Parece que começou uma Guerra na Europa e, tal como sempre que acontece algo novo, várias hipocrisias foram colocadas a nu. De repente, o Ocidente descobriu que Putin é um autocrata e que quer fazer da Ucrânia seu território. Uma novidade da qual ninguém esperava. Enquanto o Ocidente das elites coloca-se contra a Rússia, esse perigoso país liderado pelo jovem Putin que apareceu há umas semanas, temos uma esquerda, que toldada pelo ódio aos EUA, não consegue condenar a Rússia por esta invasão. E aqui fica mais uma vez provado: a esquerda não é, nem nunca será, empática com pessoas, mas sim com as suas causas. São aqueles que lutam pela emancipação até de um pau de vassoura, mas que decidem quem é bom homossexual ou bom preto. É o mercado dos valores a funcionar. Estes são aqueles que querem a extinção de um partido, mas que protestam contra a extinção de partidos numa Guerra. No entanto, há que admirar a posição do PCP. O PCP foi igual a si mesmo e mantém a sua postura até ao fim. Manteve o seu fanatismo. Trata a Rússia sem liberdade como se um sistema capitalista tivesse. Para o PCP, quem tem mais de 5 euros no bolso já é capitalista.

Lá por esta visão sem ponta de humanismo, não quer dizer que os restantes sejam inocentes. Esta Guerra levou a que a maioria do espaço político não-socialista a usasse, seja com medidas inconsequentes para parecer bem ou em medidas que vão contra o próprio histórico do partido. Os EUA, depois de se espantarem com o facto de Putin ser autocrata, foram negociar com as democracias sólidas e liberais do Irão e da Venezuela. O que deve ter dado dificuldades, porque, no caso da Venezuela, reconheceram um presidente que não é o que se encontra em funções. A FIFA, essa instituição cheia de valores, também fez a sua parte. Expulsou a Rússia de um Mundial que será jogado no Qatar, país que respeita os direitos das minorias e, principalmente, dos trabalhadores. Em princípio, depois do Mundial, também se fará a marcha LGBT, nesse país tão democrático.

Estas sanções à Rússia irão prejudicar todo o mundo. Desde os russos, que não têm culpa de viver sob uma autocracia, aos restantes, que não têm culpa da Guerra. É de uma arrogância atroz achar que é sensato pedir a um povo que passe mais frio ou mais fome, porque é preciso de sancionar um país. Quem acha isto sensato? Os mesmos que nunca abdicaram de um cêntimo enquanto foram abastecidos por países ditatoriais. Mais uma vez, o Estado decide usar e abusar dos seus subordinados como bem lhe apetece. E pode. Nós continuamos a viver na ilusão de que mais Estado é sinónimo de mais serviços, mais salários e aquelas tretas que vêm em folhetos bonitos da CGTP.

Comments

  1. João L Maio says:

    “Trata a Rússia sem liberdade como se um sistema capitalista tivesse. Para o PCP, quem tem mais de 5 euros no bolso já é capitalista.”

    Então… mas sendo assim, o PR também é comunista. Ainda ontem, no discurso da tomada de posse do novo governo, disse que a Rússia é um país que está assente num sistema capitalista… e é mentira?

    • Francisco Figueiredo says:

      Para ser capitalista, teria de ter um mercado livre. Não tem. É uma autocracia.

      • POIS! says:

        Pois mas…

        O Pinochet tinha um mercado muito livre!

        Podre de livre, aliás! Livre como o caraças, como disse o Hayek quando foi visitar os mercados livres.

        É capaz era de não ser autocrata, atendendo aos padrões cotrimtintinianos. Talvez fosse uma democracia guimarãespintada, quem sabe?

      • Paulo Marques says:

        Se havia um McDonalds, havia um mercado livre, Friedman dixit. Coisa que voltará a ter em breve.

        • POIS! says:

          Sim, havia, mas era mesmo livre?

          E se eu quisesse escolher um hamburger de pinto e azul às riscas, era possível?

          Não? Pois aí tem!

      • balio says:

        teria de ter um mercado livre. Não tem. É uma autocracia.

        Ter um mercado livre nada tem a ver com ser uma autocracia ou uma democracia.

        Há autocracias que têm mercados razoavelmente livres (exemplo: Portugal na década de 1960), e pode haver democracias com mercados muito regulados.

      • POIS! says:

        E já agora…

        Não estará Vosselência a carregar demasiado nos requisitos de certificação da pureza capitalista?

        “Mercado livre”? Refere-se à “mãozinha invisível”?

        É que há três coisas que eu nunca vi na vida: um homem a parir, um defunto a ressuscitar e isso da “mãozinha invisível” (e do “mercado livre”) a funcionar.

        • Zeca Gado says:

          Ora POIS! acabaram de regressar a casa, vivos e bem tratados, os 13 bravos marinheiros ucranianos que tinham sido trucidados há um mês, depois de terem mandado o barco russo à m…

          • POIS! says:

            Pois folgo que estejam de saúde.

            Não sei é o que tenho eu a ver com isso. Nunca comentei tal assunto.

            Mas pode ter-se perdido uma grande hipótese: a de o acontecimento ficar registado no “Guiness”.

            Seria o primeiro pirete conhecido a ser derrubado por um míssil.

      • João L Maio says:

        Francisco, concordo com muito do que dizes no texto. Dizeres que a Rússia não é capitalista, é uma ilusão. E com isso é impossível concordar. Pode não ser do capitalismo que idealizas, mas é capitalista.

        • Francisco Figueiredo says:

          Se tem uma economia capturada pelo Estado, é tudo menos capitalista.

          • João L Maio says:

            Dentro do teu conceito de capitalismo, percebo. Mas a Rússia está assente num sistema capitalista, ponto.

          • Paulo Marques says:

            Bom, bom, são os estados capturados pela economia, não fosse o raio do Putin e encaixava bem nos nossos valores de liberdade.

  2. balio says:

    Estas sanções à Rússia irão prejudicar todo o mundo. Desde os russos, que não têm culpa de viver sob uma autocracia, aos restantes, que não têm culpa da Guerra. É de uma arrogância atroz achar que é sensato pedir a um povo que passe mais frio ou mais fome, porque é preciso de sancionar um país. Quem acha isto sensato? […] Mais uma vez, o Estado decide usar e abusar dos seus subordinados como bem lhe apetece. E pode.

    Excelente texto. Subscrevo 100%.


    • Há sanções más como as que se fazem á Russia, já que aquele povo não tem culpa nenhuma culpa de viver sob uma autocracia, e para alem disso essas sanções também nos prejudicam a nós.
      E há as sanções boas, como as que se fazem á Venezuela, Irão, Iraque, Cuba, etc. Aquele povo também não tem culpa de viver sob autocracias mas que se lixem. E para alem disso essas sanções não nos prejudicam a nós.

      • balio says:

        Eu sou contra todas as sanções: tanto contra as contra a Rússia como as contra a Venezuela, o Irão ou seja quem fôr.

        Eu sou contra todas as sanções porque sou um liberal e, como tal, não quero que o Estado me proíba de me dar com (e de negociar com) seja quem fôr.

  3. POIS! says:

    Pois parece que! Começou.

    E o Ocidente, eeeh pá! Mas os esquerdeiros, Tchhhhh! Uma falta de empatia que, eh pá! E não podem ver um gajo com uma nota nos bolso, pá!

    A tabela é: 5 euros, capitalista! 10 euros, bicapitalista! 15 euros tricapitalista; 20 euros, milionário! 25 euros, oligarca! 30 euros, “too much sand for our truck”, como dizem os italianos.

    Faltou, no entanto, ao Sr. Escritor salientar um elemento importante: a participação da extrema esquerda no fornecimento de armas ao Putin, milhões de notas de 5 euros, quando já existia uma resolução de embargo por causa da anexação da Crimeia.

    Pois foi! Um crowdfunding organizado pelo Bloco e pelo “Podemos” permitiu comprar muitos 5 euros de materialzinho que agora está a matar ucranianos (e russos, mas esses não contam! Não são empáticos!). E quem denunciou, quem foi? Quem foi? Quem foi?

    Adivinharam! Foram os “países liberais” com a devida certificação cotrimtintina: República Checa, Eslováquia, Alemanha, França…Bem pregaram, mas ninguém os ouviu, porque a esquerdaria já contaminou tudo de falta de empatia.

    Um horror!

  4. Paulo Marques says:

    Entretanto, no mundo real, o PCP condenou Putin, desde bem antes de Fevereiro, de resto, o capitalismo continua a ser o sistema onde se é explorado em troca de poder aceder ao pão, seja no saudoso Chile, seja na Rússia, e o socialismo não é o estado fazer coisas. Quanto à maldade do estado, não é esse um dos cartéis a subir preços porque podem.
    Numa escala de Palin a Putin, atribuo um Saddam a nível de propaganda: só convence os convertidos à seita.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.