sei…

por grandes amigos que temos em comum em Aveiro, que, António Nogueira Leite, ex-vice-presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos, um dos mais importantes administradores do banco do Estado, afirmou que “no dia em que se demitisse, a CGD seria privatizada” – a sua demissão deu-se a 19 de Dezembro de 2012, sensivelmente um ano e meio depois do gestor ter sido convidado pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho para a Comissão Executiva do mesmo, e foi motivada por alegadas desavenças que já se arrastavam há meses com a gestão de Faria de Oliveira.

se na altura já se falava amiúde por aqui e por ali na possibilidade (poucos meses mais tardes, Relvas iria iniciar os seus contactos no Brasil, Angola e Colômbia para angariar um investidor para a TAP e qualquer coisita mais), estamos a poucos dias de ser conhecida a dita carta de intenções escrita\assinada por este governo perante as instituições da Troika, em específico, perante o FMI, carta que deverá (alegadamente) ter facilitado a “saída limpa” do país do programa de ajustamento estrutural…

O caso das alegadas irregularidades que agora não interessam nada

Um sector sensível: um banco. Ainda por cima público. Ainda por cima o maior de todos.

Um administrador deixa o seu cargo.

Um jornal diz que o tal administrador saiu porque a administração optou por fazer de conta que não houve “denúncias de existência de ilícitos criminais praticados na década passada por directores em funções na instituição”.

Nogueira Leite

Seguem-se as cenas dos próximos episódios. Se os houver.

António, não me mates, que sou tua mãe!

António Nogueira Leite: “A Caixa funcionou no passado como barriga de aluguer da política”

Nogueira Leite já se pirou?

Depois de ter anunciado que se pirava se os impostos aumentassem, para alivio da pátria e dos portugueses honrados em geral, António Nogueira Leite apagou a declaração de partida do Facebook. Será que abriu uma vaga na administração da CGD?

A ansiedade entre os candidatos ao lugar é enorme. É que ele até pode trabalhar para os impostos até Agosto, mas um salário bruto de 189 mil euros/ano mesmo que se receba apenas três meses chega perfeitamente para várias famílias numerosas.

É muito fácil encontrar profissionais sérios e competentes por menos de quatro mil euros, desde que não sejam gestores, claro!

Nogueira Leite: “É muito difícil encontrar um gestor sério e competente por quatro mil euros”

Adivinhem quem vai a Bildberg 2011

O clube de Bildeberg está reunido na Suiça. Sem especular muito sobre este clube, que segundo várias teorias mais ou menos conspirativas governa o mundo, de facto e de fato, é sempre interessante saber quem acompanha Pinto Balsemão ao evento. Normalmente nos anos seguintes acabam a governar Portugal, ou dito de outra forma, são nomeados ali.

Seguindo esta fonte, a presença de António Nogueira Leite, “da José de Mello Investimentos, SGPS, SA” parece natural. Já Clara Ferreira Alves, “CEO, Claref LDA; writer” me deixa um pouco perplexo. Terá ido em reportagem?