Felizes os pobres de espírito, que serão professores de Economia

transferir-2Começo por uma declaração de interesses: se eu mandasse, João César das Neves nunca seria impedido de falar, porque acredito que o mundo precisa de risos, de sorrisos, de gargalhadas. Por outro lado, também é verdade que o mundo precisa de economistas. Com César das Neves, temos divertimento garantido.

Segundo parece, César das Neves escreveu um livro, o que é natural, porque são raríssimos os cidadãos que ainda não o fizeram. Quando saio à rua, sou olhado de lado pelos meus vizinhos, porque ainda não aderi à moda da autoria.

Como qualquer autor, Neves deu início a uma série de entrevistas em que fará aquilo que os autores de livros fazem: explicar em voz alta aquilo que escreveu, porque, hoje em dia, os livros são incapazes de se fazerem entender.

Segundo percebi, de acordo com o resumo da entrevista ao professor de Economia, Portugal não cresce porque está dominado pelos funcionários públicos e pelos reformados, que, por dominarem a política e a comunicação social, escaparam a cortes nos salários e nas pensões, durante o domínio da troika.

Se esta informação for verdadeira, chego à conclusão de que sou uma espécie de Truman e que tenho andado a ser enganado por uma série de colegas e amigos, queixosos de cortes e de congelamentos que, afinal, têm recaído apenas sobre mim. Isto não vai ficar assim, garanto. [Read more…]

Medo, preconceito, superstição e fantasia

com a chancela do Abominável César das Neves. Vale sempre a pena ver até onde pode ir uma mente retorcida. Nem o Natal lhe escapa…

“O Católico Mais Javardo do Mundo”

Esse mesmo, o Abominável César das Neves

O Amoral

Ele é «totalmente inocente dos males que afligem o País.»

João César das Neves, um católico

em democracia Portugal nunca conseguirá controlar a despesa pública.

A inquisição vem já a seguir

Amar Portugal

Fartos de misérias e miseráveis, temos sede de palavras e pessoas que nos inspiram, nos atiram para a frente e nos ajudam a ver claro e positivo.

«Amar Portugal», escreveu ontem João César das Neves no DN:

Ainda há muita gente que ama verdadeiramente Portugal. Ama-o, não por ser grande e próspero, não pelas suas obras e feitos, não omitindo fraquezas e misérias. Ama-o por ser o que é. Ama-o por ser nosso. Ama-o por ser aquilo que somos.

Hoje é preciso dizer isto, pois o que se ouve é precisamente o contrário.

Eu também amo Portugal.

A Páscoa de João César das Neves

João César das Neves nas Filipinas gozando os prazeres da Páscoa

O conhecido fundamentalista João César das Neves passou a última Páscoa nas Filipinas.

As férias, onde se deliciou com as tradições locais conforme esta imagem exclusiva documenta, foram obtidas a partir de uma crónica que atraiu vários voluntários para figurarem como patrocinadores, e alguns mesmo como figurantes no papel de flageladores.

Ontem terá mesmo atingido o orgasmo, na forma de êxtase místico, mas não nos foi permitido captar imagens da X estação do percurso, Jesus é despojado das vestes, onde a elevação espiritual terá ocorrido.

O seu regresso à pátria, devidamente revigorado, está previsto para o final da semana.