Documentos confidenciais das secretas portuguesas aparecem em África

Os nossos “serviços de informações” são uma perigosa anedota.

O imbecil e a ameaça jihadista que paira sobre Portugal

Cimeira das Lajes

O novo director do SIS, Adélio Neiva da Cruz, alertou ontem o país para o facto de Portugal não estar fora do radar dos jihadistas. Assim de repente, vêm-me à memória um determinado imbecil que em 2003 trocou as funções de primeiro-ministro pelas de mordomo e trouxe para o nosso país um terrorista e dois dos seus bobis europeus para juntos planearem a invasão ilegítima de um estado soberano.

O que se seguiu não é novidade para ninguém: os países governados pelos bobis foram vítimas de dois brutais atentados terroristas, o primata norte-americano continuou a semear o terror enquanto açambarcava poços de petróleo, o país invadido tornou-se mais violento e completamente ingovernável e o mordomo, esse imbecil, ganhou-lhe o gosto e fugiu do país para servir outros aristocratas. Já Portugal foi poupado da violência fundamentalista, possivelmente porque nem os radicais islâmicos levaram a sério o papel do imbecil que colocou o nosso país no seu radar. Quem diria que o inútil do mordomo até poderia dar jeito? Ou será que ainda não chegou a nossa vez? É que estes gajos sabem ser pacientes…

Vejamos como estes gajos funcionam

Quando rebentam escândalos como o de Relvas/Silva Carvalho o melhor são os detalhes. Conta o Expresso:

“(…) um dos SMS mais significativos é o que o ex-espião enviou no dia a seguir à vitória do PSD nas eleições. Nessa mensagem o espião contou que Ângelo Correia pediu ao Millennium BCP para contratar o diretor operacional do SIS (seu adversário) e estava a promover a ascensão da mulher desse diretor a líder da secreta interna, terminando o SMS com um tratamento informal na segunda pessoa. “Já viste?” [Read more…]

A SMS para o Miguel

“Migas, tasse bem? Outro kontinua Paris. Papou hamburguer, mas k ketchup. Trocou as batatas por cenouras. Fexo calssas aberto e n lavou maos dps xixi. Manda sempre mano.” SC